Devaneios da Bel: Private: Suspeito nº 1, James Patterson e Maxine Paetro


Título: Private: Suspeito nº 1
Título original: Private #1: Suspect
Autor(a): James Patterson e Maxine Paetro
Tradução: Fernanda Abreu
Editora: Arqueiro
Páginas: 224
Ano: 2012

Sinopse Arqueiro: A melhor agência de investigações do mundo enfrenta uma grande criseJack Morgan é dono da Private, uma renomada agência de investigações que tem entre seus clientes algumas das pessoas mais ricas e poderosas do mundo. Ao voltar para casa de uma viagem de negócios, ele encontra a ex-namorada morta em sua cama, com um tiro à queima-roupa. Para a polícia, Jack é o principal suspeito.
Os agentes trabalham sem descansoA equipe de investigadores, técnicos e cientistas da Private está às voltas com o caso de um jovem astro de cinema, acusado de estuprar uma menor de idade. Ao mesmo tempo é acionada pela dona de uma rede de hotéis para investigar um misterioso assassinato em um de seus estabelecimentos. Além disso, um mafioso de Los Angeles precisa de ajuda e decide que é hora de cobrar um favor de Jack.
Resta pouco tempo para salvar a PrivateDepois que Jack é preso, fica ainda mais difícil provar sua inocência e logo vários clientes começam a desistir dos serviços da agência. Para evitar a ruína total, Jack precisa enfrentar um inimigo que parece conhecê-lo melhor do que ninguém. E o perigo pode estar mais perto do que ele imagina.

Drama, ação e aventura. James Patterson é um bom escritor, nem sempre os livros são fantásticos, até porque todo escritor, por melhor que seja, não pode produzir grandes obras todos os dias.
Private é mediano, mesmo sendo uma obra satisfatoriamente construído e que prende atenção, pelo menos na primeira metade da obra, o livro como um todo é bem fraco, não é dos melhores de Patterson. Jack não é o típico herói que esperamos, está longe de ser o homem atraente e envolvente, acima de qualquer suspeita, que no momento em que é acusado de ser um assassino, o leitor sabe que é besteira. Jack tem uma personalidade que pode levar o leitor a acreditar que sim, ele pode ser o assassino da ex-namorada encontrada em sua cama.
Não estou dizendo que o enredo, ou a história, seja ruim. Por ser um escritor experiente, Patterson apresenta uma trama clara e concisa, que nas mãos de alguém menos experiente e menos capacitado seria um desastre. Informações demais, personagens que aparecem e somem, deixando o leitor meio perdido. Casos demais sendo investigados ao mesmo tempo, pensando bem, o livro parece uma temporada inteira de CSI – nos bons tempos – resumido em um livro de menos de 300 páginas.
Resumindo? Se a ideia é um bom suspense policial, não recomendo. Agora se a ideia é apenas se divertir e ler alguma coisa leve para o Carnaval, vá em frente.
Nota? Dois. Até poderia dar 3, porque James Patterson consegue manter a loucura minimamente organizada, mas não posso ser condescendente.

Nascida em 1972, em Volta Redonda - RJ, jornalista, escritora, curiosa, observadora e que ama conversar com as pessoas e ouvir suas histórias. Escrever é mais quem um hobby para ela, é um vício. Um bastante saudável até. E para mantê-lo é preciso ler, ler muito e depois ler mais um pouco. Além de assistir muitos filmes e de conversar com muitas pessoas - na fila do banco, do mercado, na pr

Nenhum comentário