Seriado: Atypical - Netflix


Falamos bastante de filmes e séries relacionadas a livros aqui no blog, mas dessa vez eu quero sair um pouquinho da temática e falar dessa nova série da Netflix que, mesmo não sendo baseada em livro, é bastante interessante por tratar de inclusão.

Sam é um jovem de 18 anos que está prestes a formar na escola, é o irmão mais velho de uma linda jovem que estuda na mesma escola que ele e filho de pais ainda casados (algo cada dia mais raro em filmes e seriados) de classe média.  Na foto, parecem a família perfeita, certo? É que faltou eu contar um detalhe: Sam tem autismo.

Atypical mostra com bastante simplicidade, um pouco de humor e uma tonelada de esperança o dia-a-dia de um adolescente com autismo leve, relativamente funcional, que está tentando aprender a ser independente. É bastante interessante as consultas de Sam com a psicóloga, onde ele explica o ponto de vista que possui do mundo e as interações familiares também.

Podemos ver o conflito dos pais entre querer dar liberdade e permitir que o filho evolua cada vez mais, misturado ao medo de que ele sofra com rejeições e o imenso desejo de protegê-lo. Observamos a “troca de papéis”, com a irmã mais nova cuidando do mais velho como se o mais novo fosse ele, e o que isso altera na vida “normal de adolescente” que ela leva ou deixa de levar. Fala sobre preconceito, bullying e amizades.

Tudo isso poderia, claro, parecer triste e chato para assistir, mas está entremeado de bastante romance, conflito e descobertas que não deixam a desejar para nenhum outro seriado adolescente; com o bônus de agregar a quem assiste um conhecimento mínimo sobre algo tão pouco debatido, o autismo.

Super recomendo o seriado!

Nascida em 1983, carioca, casa. Bacharel em Fonoaudiologia, licenciada em Letras-Inglês e pós graduada em Psicopedagogia. É revisora literária e autora da obra A Beleza de um Cacto.

Nenhum comentário