Leituras da Mari: Mais forte que o Sol (Irmãs Lyndon #2)



TÍTULO NO BRASIL: Mais forte que o Sol (Irmãs Lyndon #2)
TÍTULO ORIGINAL: Brighter than the Sun (Lyndon Sisters #2)

AUTORA: Julia Quinn
EDITORA: Arqueiro
PAGS: 288
ANO: 2018

Assim como eu, muita gente não pesquisou sobre o lançamento da primeira edição americana do livro 01 de Irmãs Lyndon e cometeu o erro quase fatal de acreditar que era um livro que vinha bem depois da série dos Bridgertons e trazia a sua escrita toda a bagagem de experiência da famosa autora Best Seller Julia Quinn. Apesar de só estar chegando para os fãs brasileiros da autora apenas agora, em 2018, tanto Mais lindo que a Lua (livro 01) quanto Mais forte que o Sol (livro 02) tivera sua primeira edição (em inglês) em 1997.

Muito diferente do primeiro, na minha opinião, esse segundo livro mostra uma evolução gigantesca frente ao livro 01 da série Irmãs Lyndon e um prenúncio da escrita que encantou uma legião de fãs com Os Bridgertons. Então, se, assim como eu, você  estava cogitando não ler o livro dois, repense (essa é a minha sugestão). 

Charles Wycombe precisa casar em menos de um mês se quiser receber sua herança e manter suas propriedades. Eleanor Lyndon precisa encontrar um marido que ela ao menos seja capaz de suportar para escapar da futura madrasta intragável e o marido deplorável com quem a mulher pretende casar a futura enteada para se livrar dela. Juntando a fome com a vontade de comer, temos nosso mais novo casal de romance de época.

Nada de amores a primeira vista, apenas atração e um encontro oportuno de interesses (proporcionando ao leitor um respiro merecido da mesmice de outras obras do gênero). O início do romance é no mínimo inusitado, com o "príncipe encantado" caindo de uma árvore e a "donzela em perigo" dando uma de enfermeira e reclamando horrores de ter sido atingida por um homem bêbado. 

O livro é divertido, tem romance na medida certa e conflitos bastante críveis, com resoluções coerentes. Ellie e Charlie não são o casal perfeito para aquela época, mas cativam o leitor justamente por ser o casal ideal em toda a sua imperfeição. 

O temperamento forte e explosivo de Ellie em oposição à fraqueza e ao melodrama da irmã Victoria (do livro anterior) é uma mudança mais que bem vinda! A forma como Julia Quinn dá uma atenção especial ao relacionamento dos protagonistas com personagens secundários, como toda a equipe da mansão também mostra mais essa evolução na escrita em relação ao livro 01 e uma proximidade com o que os fãs dela já conheciam de obras que para nós vieram antes e para ela foi escrita anos depois.

Leitura mais do que recomendada para qualquer fã da autora; se não pelo prazer de ler uma obra dela, pela curiosidade de ver o que me pareceu o primeiro livro da Julia Quinn com uma protagonista forte, em desacordo com a época, mas super crível e cativante mesmo assim.

Sinopse: Julia Quinn é nossa Jane Austen contemporânea.” – Jill Barnett, autora de Tudo por um beijo
Considerada a “rainha dos romances de época” pela Goodreads, Julia Quinn já atingiu a marca de 10 milhões de livros vendidos.
Quando Charles Wycombe, o irresistível conde de Billington, cai de uma árvore – literalmente aos pés de Elllie Lyndon –, nenhum dos dois suspeita que esse encontro atrapalhado possa acabar em casamento.
Mas o conde precisa se casar antes de completar 30 anos, do contrário perderá sua fortuna. Ellie, por sua vez, tem que arranjar um marido ou a noiva intrometida e detestável de seu pai escolherá qualquer um para ela. Por isso o moço alto, bonito e galanteador que surge aparentemente do nada em sua vida parece ter caído do céu.
Charles e Ellie se entregam, então, a um casamento de conveniência, ela determinada a manter a independência e ele a continuar, na prática, como um homem solteiro.
No entanto, a química entre os dois é avassaladora e, enquanto um beijo leva a outro, a dupla improvável descobre que seu casamento não foi tão inconveniente assim, afinal...

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário