Devaneios da Bel: The Roman (The Florentine #3) – Sylvain Reynard


Título: The Roman (The Florentine #3)

Título original: The Roman (The Florentine #3)
Páginas: 275
Autor(a): Sylvain Reynard
Tradução: -
Editora: EverAfter Romance
Ano: 2016
Gênero: Romance, Mistério e Suspense, Suspense, Romance Estrangeiro

Sinopse: Uma história arrebatadora e bela de um confronto milenar que poderá condenar dois amantes para a eternidade.
Raven e a sua irmã, Cara, estão à mercê de inimigos que se movem no submundo de Florença e que as mantém como reféns e oferenda de paz à temida Cúria de Roma.
Sem certezas de que William sobreviveu ao golpe que destruiu o seu domínio, Raven está determinada a proteger a sua irmã a todo o custo, mesmo que isso implique desafiar Borek, o líder dos inimigos de William.
Num esforço para manter Raven longe dos seus rivais, William decide entregar-se ao Romano, o misterioso e perigoso rei do submundo italiano.
Mas o Romano revela-se como alguém totalmente inesperado… Alianças e rivalidades irão ser feitas e quebrar-se enquanto William luta para salvar a mulher que ama e o seu reino, sem iniciar uma guerra civil. Conseguirão os amantes permanecer juntos, contra todas as expectativas?

Abro a resenha com uma reclamação: A Editora Arqueiro detinha – digo detinha porque provavelmente não tem mais – os direitos sobre a série Noites de Florença, do autor Sylvain Reynard, publicou os primeiros títulos (O Príncipe das Sombras, A Transformação de Raven e A Sombra do Passado – resenha dos dois primeiros aqui, terceiro aqui, mas deixou o último livro para lá, e em uma postagem no Face ainda tivemos que ler – os fãs da série – a sugestão de comprar a edição portuguesa do livro. Oras, dona Arqueiro, olha quantos fãs frustrados a senhora fez... Sem contar as outras séries que larga pela metade, né?

De toda forma, vamos encerrar a série – porque li em inglês mesmo, não comprei a edição portuguesa não, dona Arqueiro, porque o frete era meus dois rins!

Em O RomanoThe Roman, no original em inglês –, Sylvain encerra de maneira bastante convincente sua saga de suspense sobrenatural.

A escrita de Sylvain é eloquente, de uma inteligência ímpar – não estou dizendo que é mais ou menos do que outros autores, apenas afirmando que, assim como Tess Gerritesen – ele usa sua experiência profissional em outra área para dar vida aos personagens e histórias. Cada elemento é trabalhado de maneira que os leitores sejam envolvidos pela trama. Ele é um professor nato, ensina ao mesmo tempo que entretém.

Na série Noites de Florença ele usa mais uma vez seus conhecimentos sobre o Renascentismo, História e Literatura para montar uma trama que entremeia realidade e ficção. Para quem gosta de detalhes, de uma narrativa mais “pesada” Sylvain é perfeito, para quem tem preguiça de ler descrições detalhadas ou trabalhadas, pode ter vontade de jogar o livro longe, mas cada descrição nos transporta para mais perto da narrativa, nos faz sentir como um personagem do livro.


Quem pega o livro pela primeira vez – qualquer um deles, mas por favor, leia na ordem ou tudo fica confuso – pode pensar: “Oh, não! Mais um livro sobre vampiros ‘corrompendo’ humanos”, mas é muito mais do que isso. Não vou dar spoiler ou relembrar – muito – os outros livros, mas aqui Raven, nossa heróina confusa, determinada e manipulável (ela é quase uma Julianne, só que com mais cérebro e espinha dorsal, não muita) está em sérios apuros. Ela não está – em um primeiro momento – com seu grande amor. O Príncipe – uma excelente brincadeira com O Príncipe, de Maquiavel (que faz uma ponta na série) – tem problemas mais sérios para resolver e antes de mais nada precisa colocar Raven em segurança, o que significa longe dele.


“As mulheres são misteriosas, ele pensou. Ela riu, de que maneira? Eles são um estudo em contraste: suave e forte, feroz e gentil. Eles podem fazer tudo, é claro, e ainda assim se sente compelido a fazer tudo por eles. ”
- Sylvain Reynard , The Roman

Quando eles se reencontram é possível ver como William mudou, como se tornou mais humano e como Raven também mudou, ela não se torna mais humana, nem mais monstruosa, ela se torna real. Deixa de viver a margem da humanidade e se joga na vida, disposta a lutar pelo seu amor e pelo direito de vivê-lo.


Quanto ao final... Na primeira leitura eu xinguei Sylvain de todas as maneiras possíveis, na segunda leitura – sim eu li o livro 3 vezes – entendi o que recado, a mensagem. Ele fez todo o sentido, mesmo que boa parte dos leitores desejassem um outro tipo de encerramento.

Se você lê bem em inglês – ou tem rins sobrando para importar o livro físico de Portugal – leia toda a série. Caso contrário, vamos inundar a Arqueiro de cartas, e-mails e mensagens pedindo o encerramento da série, porque ela é magistral. Quem gostou da trilogia Gabriel, do mesmo autor, vai simplesmente enlouquecer com Raven e William. Além das participações de luxo de Gabriel e Julia.

Nascida em 1972, em Volta Redonda - RJ, jornalista, escritora, curiosa, observadora e que ama conversar com as pessoas e ouvir suas histórias. Escrever é mais quem um hobby para ela, é um vício. Um bastante saudável até. E para mantê-lo é preciso ler, ler muito e depois ler mais um pouco. Além de assistir muitos filmes e de conversar com muitas pessoas - na fila do banco, do mercado, na pr

Um comentário

  1. Nossa, Bel.
    Faço da sua reclamação a minha!! Eu adorava essa série e estou me sentindo super órfã porque o último livro não foi publicado. Vou tentar descobrir se existe o ebook dessa edição portuguesa. Assim fica mais fácil comprar sem ter que arcar com o frete!! Se não faço que nem você e apelo para o inglês!!!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir