Pitacos do Marcola - Sebos

Se existem instituições que cuidam de nossos tão prezados livros, são os sebos. Eles são um verdadeiro local de peregrinação para pessoas com o mesmo problema que eu e você, loucura por livros. Eles proporcionam uma experiência de estar perdido num mundo paralelo tão prazeroso que é impossível não querer visita-los novamente.

Só de escrever este texto, várias sensações gostosas estouram em minha mente. O cheiro de livros guardados que toma conta do ambiente com pouca iluminação devido as prateleiras abarrotadas de livros que vão até o teto, formando assim o mais belo papel de parede. As várias opções de leitura que fazem você, alegremente perder horas da sua vida decidindo “qual levar hoje”. Outra coisa que gosto são as obras com nomes e dedicatórias. Você compra uma obra e ganha de brinde um pedacinho da história dos antigos donos. Impossível não se perguntar “Por onde anda o dono e qual o motivo pra vender um livro tão bom?” “Será que esse casal ainda está junto?” ou “Que tipo de marginal se desfaz de um presente dado pela mãe?”
Mas o que mais gosto nos sebos são os proprietários. Temos que reverenciá-los. Eles são uma das mais importantes engrenagens que mantém funcionando nossa vida literária. Conversar com eles é um deleite. Moro numa cidade de pouco mais de cem mil habitantes com impressionantes três sebos, e sou camarada dos três donos. Sempre que visito esses buracos negros de cultura vou com certo tempo, pois além de garimpar livros, gasto bastante tempo conversando. Nem sempre saio com livros comprados, mas a conversa sempre sai  em dia.
Com o boom da internet, cheguei a imaginar que os sebos definhariam numa morte nada lenta. Mas o que aconteceu foi exatamente o contrário, sites como Estante Virtual e Livronauta aumentaram o alcance das venda desses lugares. A compra de livros aumentou e enquanto livrarias da minha cidade fecham os sebos se matem firmes e fortes.

Pra finalizar quero contar uma visita que fiz a um sebo em Salvador na minha Lua de Mel. A capital baiana tem uma rua com vários sebos. Um delírio pra qualquer leitor voraz. Eu e a novíssima patroa entramos em alguns até chegarmos ao maior de todos. Sebo Brandão, acho que a experiência foi tão única que jamais esquecerei este nome. Depois de muito tempo garimpando e escolhendo o que poderia levar sem pagar peso extra na bagagem, minha esposa questionou sobre um livro que não tínhamos achado. A resposta foi imediata. “Tenho mas só no nosso depósito”. Com aquele mundo de livros eles ainda tinham um depósito? E como diabos o gerente sabia que ele tinha esse volume sem consultar lista ou computador? Extasiados com tudo aquilo, já estávamos cansados, prontos pra ir embora quando fiz uma última pergunta sobre um livro e o mestre dos livros me disse. “Temos sim, no andar de baixo.” PQP!!! Eles ainda tinham todo um andar inferior quase do mesmo tamanho, apenas com prateleiras mais baixas, mas nem por isso menos impressionante. Ao fim disso tudo, só  não saímos mais encantados com a visita porque estávamos mortos de cansaço. Se sua cidade tem um sebo, vá visitá-lo, ali pode estar um tesouro escondido só esperando para ser garimpado.

E você leitor costuma visitar o sebo da sua cidade? Tem algum sebo que você tenha uma lembrança especial?

Nascido em 1985, natural de Tubarão - SC, dentista especialista em ortodontia, casado. Adora praia, esportes, filmes e uma boa bebida junto a uma boa conversa. É apaixonado por livros desde que se entende por gente. Seus estilos de livro preferidos são clássicos, fantasia, policial e terror/suspense, mas tenta sempre manter a mente aberta para descobrir novos livros.

2 comentários

  1. Oi Marco, como vai?
    Eu amo Sebos! Durante muitos e muitos anos da minha vida, só tinha grana pra comprar neles e era sempre uma maravilhosa aventura entre as prateleiras. Ler sua matéria me deu a maior saudade dessa época. Infelizmente os dois sebos que eu costumava frequentar aqui na minha cidade fecharam e acabei não tendo mais acesso a nenhum, a não ser os virtuais que não costumo usar. Nossa me deu a maior nostalgia agora!
    Abraço.
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui tudo certo Lia.
      Fico feliz q meu texto fez vc se lembrar de coisas boas. E realmente sebos virtuais não tem a mínima graça.
      Abraços.

      Excluir