Devaneios da Bel: Ordens do Executivo – Tom Clancy


Título: Ordens do Executivo
Título original: Jack Ryan Universe #09 – Executive Orders
Páginas: 1022
Autor(a): Tom Clancy
Tradução: Sylvio Gonçalves
Editora: Record
Ano: 1999
Gênero: Ação, Aventura, Thriller, Suspense, Literatura Estrangeira

Sinopse Record: Descrição do livroQuando um terrorista suicida japonês atira um Boeing 747 sobre o Congresso americano, matando o presidente e os mais importantes líderes dos EUA, o ex-agente da CIA Jack Ryan, nomeado vice-presidente após um escândalo sexual que derruba seu antecessor, se vê diante da missão mais difícil de sua vida. Assim termina Dívida de Honra – um dos maiores sucessos de Tom Clancy – e começa este novo romance. Em meio a uma crise sem precedentes, Jack Ryan terá de enfrentar o desafio de governar um país em pânico e ainda descobrir os culpados pela tragédia. Aturdido e desorientado, ele logo percebe que existem inimigos muito mais poderosos em Beijing, Teerã e até mesmo em Washington. Jack Ryan terá de se superar para cumprir o objetivo de sua vida – recolocar seu povo e seu país novamente no pacífico caminho da democracia.

Tom Clancy criou um personagem literário que tem um charme para o cinema ainda maior do que o Robert Langdon, de Dan Brown. Jack Ryan é o James Bond norte-americano, o superagente secreto, que salva o presidente várias e várias vezes. Qualquer presidente.

Quando não consegue, caso desse livro, ele descobre os motivos por trás do crime e restaura a ordem e a paz mundial.

O livro começa com Ryan no refeitório da CNN de Washington assistindo o Capitólio virar um grande cogumelo em chamas depois do atentado terrorista que matou o presidente e vários congressistas norte-americanos, deixando o país praticamente acéfalo.

Praticamente, porque nosso querido Ryan é o novo Vice-presidente do país. Claro.


Agora além de comandar a maior nação do mundo – sem vice, sem judiciário, sem Congresso e sem secretário de Defesa – ele ainda tem que descobrir quem planejou o atentado, porque e com que objetivo.

Por isso teremos muita ação, investigação, atos grandiosos e patrióticos, como os livros e filmes do personagem.

Alguns momentos são bem enfadonhos, parecendo que o escritor estava apenas querendo cumprir o contrato e terminar logo a série de livros, não dando a mesma atenção e minúcia que os outros livros mereceram. Sendo muito sincera? O livro vale cerca de 300 páginas, as outras 700 são de enrolação pura.
São mais de mil páginas de falta de pesquisas, onde a falta da noção básica das políticas e relações internacionais são completamente ignoradas, não só a política externa é distorcida, mas qualquer pessoa com um mínimo de conhecimento política entende que a política interna também não é levada a sério na narrativa, não digo isso pela visão de extrema direita expressa em toda a – longa – narrativa. Digo porque quem sabe o mínimo do mínimo de política interna entende que nem um clube de esquina poderia ser tal mal administrado.
Talvez o ponto alto, ou deveria dizer baixo, do livro sejam os diálogos. Eles beiram um livro jovem adulto escrito por um bêbado insone.

Agora, o mais assustador de toda a história é relembrar o 11 de setembro, quando terroristas sequestraram aviões e os lançaram contra alvos específicos. Um desses alvos era o Congresso Americano. Foi o ponto onde ficção e realidade divergiram.

Nota? Dou duas estrelas porque gosto do Clancy, mas se não gostasse...

PS: A Amazon está produzindo uma série sobre o personagem Jack Ryan, que já foi interpretado por Chris Pine, Harrison Ford, Alec Baldwin, Ben Affleck, e agora é vivido por John Krasinski, e tem previsão de estreia em agosto de 2018.

Nascida em 1972, em Volta Redonda - RJ, jornalista, escritora, curiosa, observadora e que ama conversar com as pessoas e ouvir suas histórias. Escrever é mais quem um hobby para ela, é um vício. Um bastante saudável até. E para mantê-lo é preciso ler, ler muito e depois ler mais um pouco. Além de assistir muitos filmes e de conversar com muitas pessoas - na fila do banco, do mercado, na pr

2 comentários

  1. Poxa, Bel.
    Que pena que o livro tenha dado essa impressão, de ter sido empurrado...
    Gosto muito de livros desse tipo e sei que o autor é bem conceituado, mas quando o livro é enfadonho, não rola!
    Adorei a resenha!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  2. Oi Bel,
    Cacetada, juro que achei que você ia dizer que o livro é ótimo hahahaha, que pena que a coisa não andou e que o autor só encheu linguiça, detesto quando isso acontece e um enredo que tinha tudo para ser ótimo é jogado fora. Uma pena mesmo.

    beijokas

    ResponderExcluir