Pitacos do Marcola: A difícil vida de um leitor solitário




Uns dias atrás, em uma das viagens que faço para chegar ao trabalho, escutava um programa de rádio que trata dos problemas da minha cidade e região. Mesmo discordando de algumas colocações dos radialistas, admiro a luta deles. Foi um comentário infeliz, o gatilho para a ideia deste texto. Querendo falar em um caso complicado e que está demorando a se desenrolar, um dos apresentadores esbravejou: “Isso vai dar um livro, um livro tão longo quanto “Crime e Castigo”, do Tolstói.”

Sou capaz de imaginar você sentido a mesma dor que meu ouvido experimentou. Claro que ninguém tem obrigação de saber que a citada obra nem é tão grande assim e que seu autor é o bom e velho Dostô. Isso me fez ter uma série de divagações que ocuparam minha mente durante todo o resto da viagem.

Como nosso país carece de mais pessoas lendo! Como é solitária a vida de um leitor assíduo brasileiro. Sou leitor de uma época em que a internet engatinhava; mas  até mesmo com os milhões de blogs, canais de Youtube e grupos de Whatsapp voltados para os livros, ainda é muito difícil encontrar pessoas que curtam ler e o façam assiduamente. Isso, claro, para um mero dentista, sem um emprego no meio literário. Pense leitor, e conte quantos amigos, da vida real, virtual não vale, você tem com os mesmos hábitos de leitura? Alguma vez as pessoas já estranharam a sua rotina literaria? “Nossa, como você lê bastante!”, quando na verdade deveriam estranhar a própria falta de leitura?


Você, que tem o mesmo problema que eu, pode imaginar minha felicidade ao encontrar um paciente leitor. Pareço um cachorro pidão que não vê o dono há muito tempo (se você tem cachorro sabe como eles são). Fico "balançando meu rabinho" e "pulando em cima do pobre paciente" até ele me dizer o que gosta e não gosta de ler, e o que anda lendo ultimamente. Na grande maioria das vezes, são outros pidões que também adoram encontrar nômades nesse deserto de cultura em que vivemos.


Foi com esse sentimento que em 2013, criei junto com um amigo de livros, virtual como você já deve ter imaginado, o Clube do Livro Dois Caras. Um grupo no Skoob, que como o nome diz, eram dois caras tentando conversar e aprofundar suas leituras. Ainda hoje o grupo sobrevive e propicia um pouco mais de literatura na minha vida de séries e filmes. Foi por causa deste grupo, que muito tempo depois fui convidado para escrever para o blog.

Sou a imagem típica de um leitor carente. Vocês já devem ter visto algo do tipo. Você está lendo em um espaço público e o leitor carente começa a te encarar, louco para puxar assunto. Você está ali, querendo aproveitar qualquer segundo para adiantar a leitura e diminuir sua imensa fila de obras desejosas por serem conhecidas por sua mente, enquanto segue sendo observado. Eu sei como funciona, não gosto muito quando fazem isso comigo. Contudo, admito, já fiquei de olho em muita gente lendo por aí. 

Aliás se você estava tranquilamente lendo seu livrinho e um moreno de barba começou a te encarar, pode ter sido eu, implorando em silêncio por um diálogo literário construtivo. Se não quiser conversar, tudo bem, já estou acostumado. Só lhe peço uma coisa, deixe a capa do livro em uma posição bem exposta para que, ao menos, eu possa ter uma pequena pista do seu gosto literário.

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Me identifiquei demais. Tirando a parte dos pacientes, pois nunca vi nenhum paciente com livros ):
    Queria até deixar uma caixinha na recepção com livros que já li pra quem quisesse ler. Mas tenho medo dos livros se sentirem muito rejeitados kkkkkk
    Adorei seu texto. Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já pensei em algo parecido, mas o que rola é trocar livros com o paciente. Eu empresto um e recebo um emprestado. Rola altos papos.

      Valeu os elogios, adorei a parte do "se sentirem muito rejeitados kkkkk

      Abraços.

      Excluir
  2. As vezes eu faço isso, mas se a pessoa percebe já disfarço, tenho medo de a pessoas se sentir intimidade ou interpretar mal minha olhada. Hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehehe. Tbm já achei q estava com cara de Maníaco do Livro hehehehehe

      Excluir
  3. Muito bom quando "achamos" uma pessoa para compartilhar os nossos livros favoritos!! Ficamos como "pinto no lixo" hahahah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fico feliz de compartilhar até os livros q não gostei. Kkkkkkk. Qualquer papo literário vale muito.

      Excluir
  4. Oiii tudo bem??

    Adorei seu texto, realmente me reconheci. Na vida real é raro achar gente assim mesmo, mas tentamos, compreendo sua busca e ansia pelo mesmo. Virtual temos aos montes mesmo.
    Adorei.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  5. Muito bom quando alguém se reconhece num texto nosso. Feliz pelo seu comentário. Agora tenho mais uma amiga de livros vietual, você!
    Abraços.

    ResponderExcluir