Devaneios da Bel: O Colecionador de Ossos



Título: O Colecionador de Ossos
Título original: The Bone Collector (Lincoln Rhyme # 1)
Páginas: 462
Autor(a): Jeffery Deaver
Tradução: Ruy Jungmann
Editora: BestBolso
Ano: 2008
Gênero: Romance policial / Suspense e Mistério / Crime

Sinopse Skoob: O criminologista Lincoln Rhyme tem uma mente que brilha, mas um corpo que não sai do lugar. Já o assassino, além de um intelecto brilhante, tem a mobilidade de uma enguia. A missão do primeiro é impedir que o segundo continue a matar e desossar pessoas pelas ruas de Nova York.

Livro que deu origem ao filme com Denzel Washington e Angelina Jolie, produzido em 2000.

Sugestão, leia o livro antes de assistir ao filme – que é ótimo – e quando for assistir ao filme, faça com o coração aberto para todas as concessões do roteiro.

Não que a adaptação tenha prejudicado o entendimento da história. Washington é tão bom ator que toda vez que vejo o filme esqueço que Rhyme é branco. Jolie poderia ter ficado ruiva para o filme, mas a representação dos dois é o ponto alto do filme, eles encarnam com perfeição seus personagens.
Vamos ao livro.


Lincoln Rhyme é um criminologista e era Divisão de Investigação e Recursos, até sofrer um grave acidente e ficar tetraplégico. Preso em uma cama sua cabeça continua funcionando tão bem quanto antes, mas seu corpo é inútil agora. Até que antigos companheiros de farda batem à sua porta pedindo ajuda em um caso macabro.

Rhyme, que está determinado a morrer, com a ajuda de um médico, a princípio reluta em ajudar, mas depois de analisar as evidências pede para falar com a policial que encontrou o primeiro corpo, Amelia Sachs, que espera uma promoção para breve e que mesmo gostando da chance de trabalhar com a lenda Rhyme se ressente de ser tratada como um robô pelo famoso e irascível criminologista. Juntos eles empreendem uma corrida contra o tempo para tentar salvar a vítima que foi sequestrada.

O grande mérito do livro é a construção de Rhyme/Sachs, eles são complementares, um conjunto tão bem estruturado que não funcionam de maneira separada. Isso não se deve ao fato de Sachs ser transformada nos olhos, ouvidos, - pernas e mãos – do investigador. As personalidades é que são um atrativo. Sachs não vê Rhyme como um deficiente. Ela o enxerga como intratável, mandão, metódico, exigente, inteligente, enciclopédico. Que por um acaso não anda. Já Rhyme vê em Sachs a possibilidade de ir além, de se superar. Só muito depois do envolvimento profissional é que ele tem a ideia de que ela é uma mulher, desejável.

Deaver construiu uma história policial de primeira, que mostra as nuances e desenvolvimento de uma investigação criminal, Mac Taylor e Grissom são “filhos” de Lincoln Rhyme, com seu conhecido acima da média, memória fotográfica e uma tenacidade que beira a obsessão.
O português do livro é muito bom, por conta da trama e da dinâmica entre os personagens, não há adaptação do inglês para o português, mas uma tradução limpa, que não compromete a compreensão, muito pelo contrário. Se houvesse sido feita uma adaptação para nossa língua e realidade, muito da agilidade do texto teria sido perdida.

Leitura mais do que recomendada.



Nascida em 1972, em Volta Redonda - RJ, jornalista, escritora, curiosa, observadora e que ama conversar com as pessoas e ouvir suas histórias. Escrever é mais quem um hobby para ela, é um vício. Um bastante saudável até. E para mantê-lo é preciso ler, ler muito e depois ler mais um pouco. Além de assistir muitos filmes e de conversar com muitas pessoas - na fila do banco, do mercado, na pr

Nenhum comentário