Cantinho da Daya: Meu Querido Meio-Irmão


Título no Brasil: Meu Querido Meio-Irmão
Autora: Penelope Ward
Editora: Pandorga
Ano: 2016
Páginas: 264



Quando comecei a leitura, imaginei que fosse um romance erótico e cheio de cenas de sexo, mas uma capa pode muito bem enganar e foi assim com o livro Meu Querido Meio-Irmão.

Greta é uma jovem que tinha perdido o pai ainda criança e estava naquele momento esperando chegar, em sua casa, o único filho do seu padrasto, que passaria aquele ano com eles. Mas logo de cara ela percebeu que não seria fácil lidar com esse jovem, pois desde o primeiro contato percebeu que estava lidando com um perfeito idiota.


Elec não se dava muito bem com o pai e achou que poderia descontar toda a sua raiva atormentando a vida da meio-irmã. Greta estava decidida a não se deixar ser atingida por todas as situações criadas por ele, mas o seu corpo não entendia o comando. Mesmo não querendo manter contato, Greta sentia uma atração física muito forte e não estava sabendo lidar com esse sentimento.

Claro que ele percebe que não consegue atingir Greta como tinha planejado desde o começo e, depois de algum tempo, as coisas melhoram entre eles, até chegar uma certa noite. 

Juntos vão passar por uma situação que vai abalar toda a estrutura que existia entre eles e no dia seguinte Elec precisa ir embora, deixando Greta ainda mais despedaçada e desestruturada.

Depois de sete anos vem a segunda parte do livro, onde eles precisam se reencontrar, agora adultos, e saber o que aconteceu com cada um. Foi uma cena muito difícil para eles e eu, como leitora, não conseguia largar a leitura até chegar ao final do livro.




É uma história que aborda assuntos complicados e marcantes como a família, a superação, o perdão e o amor.

A história é narrada pela protagonista Greta, mas adorei como a autora fez para o leitor também saber o que se passou na cabecinha de Elec em todo esse tempo e em cada cena vivida por eles.

Amei cada pedacinho dessa história, é um new adult maravilhoso!!!










Sinopse do Skoob: Não é normal desejarmos alguém que nos atormenta. Quando meu meio-irmão, Elec, se mudou para nossa casa, eu não estava preparada para lidar com um cara tão idiota. Odiei o fato de ele ter descontado sua raiva em mim porque não queria estar aqui. Odiei ele ter trazido garotas da escola para seu quarto. Mas o que mais odiei foi o modo indesejável que meu corpo reagia a ele. A princípio, pensei que tudo o que ele tinha a seu favor era o corpo musculoso e tatuado e o rosto perfeito. Mas as coisas começaram a mudar entre nós, e tudo teve um desfecho em uma noite inesquecível. No entanto, do mesmo modo que Elec entrou na minha vida, logo voltou para a Califórnia. Passaram-se anos desde a última vez que o vi. Quando a tragédia atingiu nossa família, tive que encará-lo novamente. E, diabos, o adolescente que me deixou louca se tornou o homem que destruiu o resto de sanidade que havia em mim. Senti que meu coração estava prestes a ser partido. De novo.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário