Momento Cultura: Dunkirk


Data de lançamento: 27 de julho de 2017 (1h 47min)
Direção: Christopher Nolan
Elenco: Fionn Whitehead, Mark Rylance, Tom Hardy 
Gêneros: Guerra, Histórico, Drama
Nacionalidades: EUA, França, Reino Unido, Holanda

Dunkirk é mais um show de Chris Nolan, um diretor inserido no contexto mainstream do cinema, que pega as regras da indústria e as usa a seu favor. Seu nome pode ser associado a heróis (trilogia Batman), ficção (MementoInception e Interestelar), drama (O Grande Truque), mas sempre com blockbuster na chamada. Isso mesmo, ele ainda não teve um fracasso de bilheteria.
A atual obra não é diferente, está sendo incensada por todas as grandes revistas, publicações, sites e críticas ao redor do mundo — menos na França, mas como Nolan é inglês eu entendo a implicância dos franceses.
Então o Conchego vai quebrar a corrente e falar mal?
Claro que não, vamos apenas ser honestos, como sempre.

É um filme correto, bem roteirizado e dirigido que, como o próprio diretor afirmou antes do início das filmagens, usa atores pouco conhecidos para que o foco seja a trama, não os medalhões. Claro que tem nomes conhecidos no elenco, mas antes de famosos são atores talentosos.
O termo correto pode incomodar muito, mas vamos explicar: o filme desenvolve bem até chegar ali perto do terço final. As histórias vão sendo contadas de maneira crível, ligando-se aos poucos e mostrando que a guerra não é a brincadeira que alguns diretores insistem em mostrar, que explosões e mais explosões apenas cansam os espectadores. Então chega a parte final do filme e Hans Zimmer coloca para fora todo o drama de uma trilha desenvolvida para arrancar lágrimas. O heroísmo pelo heroísmo, que não havia sido utilizado até o momento, é usado de maneira desavergonhada.
A parte que menos gostei, a que mais me incomodou na verdade, foi a fotografia. O que foi aquela saturação "estourada"? Nossa, difícil não se sentir incomodado com aquilo! Senti falta de contextualização, de saber contra quem lutavam, por que lutavam, quem eram os amigos e quem eram os inimigos. Acho que isso ficou subentendido demais. A parte da guerra está bem narrada, mas cadê a política, a subtrama que explica a importância daquela batalha, do lugar escolhido?
Clint Eastwood usou Iwo Jima, pela importância da batalha em questão, mas contextualizou amigos e inimigos, política, expressão histórica. A correção de Dunkirk esqueceu-se dessa parte.
O filme é um sucesso, vale o ingresso, vale a experiência sensorial. Vale ver Tom Hardy em um papel diferente – e ainda há quem diga que ele não é versátil. Kenneth Branagh se perde em alguns momentos e fico esperando uma cena de Henry V, mas tirando isso ele é sempre um bom ator. Cillian Murphy está irreconhecível, novamente.
Esse é outro truque de Nolan, o vínculo que ele cria com atores. A sucessão de trabalhos entre eles ajuda no desenvolvimento das tramas.

O filme é bom, mas não está no mesmo nível de Memento ou de Inception. Se tenho tantas ressalvas ao filme, a culpa é do próprio diretor que me acostumou mal, criando obras excepcionais.


Sinopse AdoroCinema: Não recomendado para menores de 14 anosNa Operação Dínamo, mais conhecida como a Evacuação de Dunquerque, soldados aliados da Bélgica, do Império Britânico e da França são rodeados pelo exército alemão e devem ser resgatados durante uma feroz batalha no início da Segunda Guerra Mundial. A história acompanha três momentos distintos: uma hora de confronto no céu, onde o piloto Farrier (Tom Hardy) precisa destruir um avião inimigo, um dia inteiro em alto mar, onde o civil britânico Dawson (Mark Rylance) leva seu barco de passeio para ajudar a resgatar o exército de seu país, e uma semana na praia, onde o jovem soldado Tommy (Fionn Whitehead) busca escapar a qualquer preço.

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Já li uma resenha que falava super bem, e agora essa que fala bem, mas com algumas opiniões que me deixam apreensivo de assisti ao filme ou não. Mas a resenha está ótima. O filme tem uma premissa muito boa.

    ResponderExcluir
  2. Eu confesso que sou fã do Nolan, mas ainda não tive oportunidade de ver o filme, a minha curiosidade só aumenta ao ler tantas críticas boas. Gostei da sua visão diferente de tudo o que li sobre o filme, sobe apontar aspectos menos positivos como a descontextualização ou a fotografia, vou prestar atenção a isso. Boa review :)

    Bitaites de um Madeirense

    ResponderExcluir
  3. Oi, Bel! Eu já assisti alguns filmes do Nolan e estou bem curiosa para assistir esse filme, também quero ver o Tom Hardy rs, mesmo ele não sendo o ator principal. Porém, como você mencionou na crítica que há momentos que ficaram subentendidos, acho que irei ler o livro primeiro para conferir se há mais detalhes e depois comparar com o filme. Obrigada pela dica, bjss!

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bem?

    È a segunda vez que leio sobre esse filme, e preciso ver logo!!! Adoro filmes de guerra, e com o Kenneth Branagh então? Parece bem interessante esse filme, com certeza vou ver.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Filmes precisam escolher em que ponto vão focar. Pelas coisas que te incomodou calculo que o roteiro tenha elencado fatores que não foram os que você esperava. O livro, provavelmente, traga as respostas que procuras. Normalmente é assim, não?

    ResponderExcluir
  6. Oi linda,

    É uma tendência cinematográfica se perderem em filmes sobre guerra, porque não procuro um ponto específico para pautar o desenvolver do enredo e ficam só em tiros e mortes que ficam bem confusas sem contexto para compreende-las.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi Bel.
    Excelente análise do filme, com bastante embasamento.
    Era um filme que eu não conhecia, nem tinha ouvido falar, do diretor tampouco, mas quando eu assistir vou me atentar a esses detalhes que você apontou. Também não costume gostar quando um filme não contextualiza determinados acontecimentos.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Oiii!

    Bel, eu não conhecia tanto o trabalho do diretor (não me julgue) mas curti assistir a obra, achei que o clima muito incrivel que me deixou tensa durante um bom tempo o que eu gostei bastante.
    Não tive capacidade de escrever sobre o filme, mas fiquei muito feliz em ver que você conseguiu expor muito bem sua opinião!

    Beijinhos

    ResponderExcluir