O Marco Leu: O Homem de São Petersburgo - Ken Follett

Título no Brasil: O Homem de São Petersburgo 
Autor: Ken Follett
Ano: 2016
Páginas: 336
Editora: Arqueiro



Há muito tempo conhecia a fama do autor Ken Follett, mas não sua escrita. Sempre ouvi falar muito bem dele e o fato de escrever histórias com história, os conhecidos romances históricos, fazia-me sempre ter vontade de entrar no seu mundo. 

Por motivos que qualquer leitor conhece, alguns livros simplesmente são empurrados para o fim da nossa interminável lista... Com os dele foi assim. Graças ao blog Conchego das Letras esta procrastinação teve fim, conheci e adorei o mundo criado por Ken (já me sinto um amigo íntimo) e com certeza pretendo visitá-lo mais vezes. 

“O Homem de São Petersburgo” tem uma trama muito bem amarrada, em uma Inglaterra pré 1ª Grande Guerra. Nesse ambiente um nobre inglês tem que arrumar um acordo com um príncipe russo para que a Rússia também entre na guerra e a poderosa Alemanha tenha que dividir suas forças lutando em dois frontes. 

Contudo o livro não fala apenas de política e diplomacia. Temos ação, traição, romance, questionamentos importantes sobre os costumes da época, surpresas e, pasmem, um toque de erotismo. Tudo isso com cenas em Londres, São Petersburgo, Sibéria, Suíça; além de personagens muito bem construídos e que vão evoluindo com o avanço da trama. 

Os rivais Stephen, o conde inglês que tenta o acordo, e Feliks, o anarquista petersburguês, que passará por cima de qualquer um para conseguir seu objetivo, matar o príncipe russo, são apaixonantes, ainda mais quando interagem com personagens reais como Rei Jorge V, Winston Churchill. 

A trama é envolvente desde o início e me fez literalmente devorar (ou seria devorar literalmente?) a história. Porém do meio para frente ela se torna um pouco previsível e com um final relativamente clichê. Isto não contra indica a leitura que, além de divertida, traz uma imagem da Inglaterra e do mundo numa época tão conturbada.











Sinopse do Skoob: A história pode estar prestes a mudar. 1914: a Alemanha se prepara para a guerra e os Aliados começam a construir suas defesas. Ambos os lados precisam da Rússia, que enfrenta graves problemas internos e vive na iminência de uma revolução. Na Inglaterra, Winston Churchill arquiteta uma negociação secreta com o príncipe Aleksei Orlov, visando a um acordo com os russos.
No entanto, o anarquista Feliks Kschessinsky, um homem sem nada a perder, está disposto a tudo para impedir que seu país envie milhões de rapazes para os campos de batalha de uma guerra que nem sequer compreendem. Para isso, ele se infiltra na Inglaterra com a intenção de assassinar o príncipe e, assim, frustrar a aliança entre russos e britânicos.
Um mestre da manipulação, Feliks tem várias armas a seu dispor, mas precisa enfrentar toda a força policial inglesa, um brilhante e influente lorde e o próprio Winston Churchill. Esse poderio reunido conseguiria aniquilar qualquer homem no mundo – mas será capaz de deter o homem de São Petersburgo?
Costurando com maestria a narrativa ficcional à colcha da História, mais uma vez Ken Follett fala sobre assuntos universais, como paixões perdidas e reencontradas, amores e traições, ao mesmo tempo que oferece uma visão precisa sobre os acontecimentos que mudaram o mundo para sempre.

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Se não me engano, já li uma resenha desse livro faz um tempo. E parece que a mulher dele surge não? Ou estou enganada? Enfim... eu curto histórias clichês e se puder, darei uma chance a essa obra. Até porque, histórias com ação e segredos sempre me chamam atenção.

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?
    A escrita do autor não faz muito o meu gênero, mas gostei bastante da premissa da obra e da sua resenha.
    Um beijo.

    ResponderExcluir