Resenha: A Dama e o Cavaleiro



TÍTULO NO BRASIL: A Dama e o Cavaleiro
AUTOR: Christina Dodd
EDITORA: Nova cultural
ANO: 2009


Quando pensam em romances medievais, o que lhes vêm à mente?

Bom, eu penso logo em bravos e honoráveis cavaleiros de armaduras reluzentes, castelos suntuosos, montarias impressionantes, lindas e doces donzelas em perigo. Então vejamos o que encontrei nesse romance que se passa no século XIII, nos arredores da Nortúmbria:


  • Cavaleiros de armadura reluzente (só que não é o mocinho).
  • Lindas e doces donzelas em perigo (exceto pelo perigo, esta não é a mocinha).
  • Castelos suntuosos (porém nem todos).
  • Montarias impressionantes (com o acréscimo de um genioso e possessivo garanhão).


O que falta em convencionalismo nesta história, sobra em surpresas e, como adoro falar da criação dos personagens, começo por esse tópico, que, para mim, é o ponto forte deste romance.


A mocinha, Alisoun de George Cross, é uma pedra de gelo. Não sorri, não chora, não ama. É difícil acreditar que essa metódica viúva (detalhe interessante: é uma viúva virgem) nutra alguma afeição por quem quer que seja, embora o mocinho garanta que sim. Obcecada por organização e limpeza, sua vida se resume em manter tudo em ordem em seu magnífico castelo, além de preservar e aumentar sua impressionante riqueza; uma vida vazia, embora ela não saiba disso a princípio.

Falando em mocinhos fora dos padrões, eis aquele que, para mim, é a grande estrela dessa história, o não tão honorável assim David de Radcliffe. Ex-campeão do Rei, no imaginário popular, ele é uma verdadeira lenda. Mas, na realidade, não passa de um decadente e desesperado saco de ossos (por essa eu não esperava). Mas o que lhe falta em riqueza e habilidades sobra-lhe em astúcia, inteligência e, o que é melhor, alegria. Sua capacidade de rir e amar mesmo nas adversidades, contagiando todos a sua volta, pode fundir as rochas mais duras.

Ele perdeu algumas partes do corpo; faltam-lhe pelo menos dois dedos, um na mão e um no pé. Perdeu também sua dignidade, ao ser humilhado diante do Rei, derrotado pelo atual campeão. Exibe agora um corpo magro, as costelas saltando e não é muito chegado a banhos (Meus Deus, o cadê o cavaleiro da armadura brilhante? Bem, este é o cara do mal).

Apesar de toda a falta de sorte dos últimos tempos, graças a sua fama, De Radcliffe depara com a oportunidade de livrar seu povo da extrema pobreza; ele cuidará da segurança de lady Alisoun. Há vários anos, porém, David deixou de exercer as funções de cavaleiro e não passa de um granjeiro morto de fome.

A mocinha, nem de longe, desconfia da incompetência daquele mercenário. Sua vida continuará em perigo, mas seu coração também, pois, apesar de a herdeira ser uma criatura intragável, David está totalmente seduzido por sua... Riqueza? (É isso mesmo produção? O mocinho é um interesseiro?) Bom, é isso ou ver sua linda filha, cuja ausência faz seu coração em pedaços, padecer de inanição.
Chega de falar da história! Não conto mais nada!

Christina Dodd escreve em terceira pessoa (eba!), exceto por alguns trechos, que são narrados por um dos personagens, na época pajem, protegido da mocinha e, mais adiante, escudeiro de David de Radcliffe. Eu gostei muito desse recurso utilizado pela autora, o pajem é uma figura interessantíssima e conhecer um pouco da história por seu ponto de vista foi bem legal. No entanto, incomodou-me um pouco a maneira como a autora fez isso, com transições muito abruptas entre a narrativa em terceira pessoa e a outra em primeira.

Amei, amei, amei o mocinho. Odiei, odiei, odiei a mocinha, apesar de ter me identificado muito com ela (Gente, será que sou tão insuportável assim?)

Enfim, amei a história e recomendo, claro! É a primeira de Christina Dodd que eu leio e já estou correndo atrás de outras.

Até a próxima!


SINOPSE SKOOB: Inglaterra, 1252Uma vez cavaleiro... Eterno amante!Só mesmo uma ameaça à sua vida pode fazer com que Alisoun contrate David de Radcliffe para proteger seu castelo. David foi um herói, um guerreiro habilidoso no manuseio da espada, e agora precisa de dinheiro para sustentar a filha órfã... E Alisoun corre um perigo grande demais para regatear. Ao chegar a George's Cross, David precisa recorrer à astúcia e à força que fizeram dele um guerreiro lendário, quando o inimigo de Alisoun começa a fechar o cerco. No entanto, depois de salvar a vida da jovem dama, ele ficará surpreso ao descobrir que a bela Alisoun se apoderou de seu tão bem protegido coração...



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário