Resenha: Cat, Meu amigo Psicopata - Malu Ghiraldeli

Título Original: Cat - Meu amigo psicopata
Autor(a) Nacional: Malu Ghiraldeli
Gênero: Romance / Ficção
Ano: 2016
Idioma: Português
Páginas: 320


"Nunca julgue um livro pela capa". Taí um ditado excelente para CAT. Quando vi a capa desse livro disse "hum... Gostei não. Quero não". Ainda assim, fiquei atenta às notícias a respeito dele porque a sinopse era bastante atrativa.


Depois de ler vários elogios, resolvi: vou comprar. O livro chegou e lá fui eu enrolar para começar a leitura. Tudo culpa daquela capa. kkkk Na segunda semana de janeiro finalmente peguei CAT para ser minha leitura nacional do mês e preciso confessar para vocês: que orgulho que deu da literatura nacional!!! Livro excelente!


Will é um estudante de psiquiatria que quer provar que os psicopatas são capazes de amar (essa é a tese de graduação dele, passaporte para conseguir o emprego com que sonhava). O problema é que a faculdade não concorda com isso e não autoriza o projeto. Determinado a provar o que queria, resolve apelar para as vias clandestinas. Rico, paga para que o psicopata mais famoso da cidade seja raptado da cadeia, para ir morar com ele a fim de testar sua teoria. Para tanto irá se valer da ajuda de Megan (a garota que deveria conquistar o coração de Elijah, o psicopata) e Logan, o melhor aluno da turma de psicologia, que só entrou nessa "roubada" porque a carne é fraca e Will fez uma proposta irrecusável para ele.


Como vocês podem imaginar, tudo o que foi "perfeitamente planejado" não saiu nem um pouco como o esperado. CAT, o codinome que deram para o nosso querido psicopata, tinha sua própria agenda e mudou um pouquinho o rumo programado pelo trio. A chegada de Amy (uma garota albina, ingênua, que vivia trancada em casa pelos pais) à "república" que eles montaram para colocar o plano em prática só torna o que já estava complicado ainda mais "impossível de dar certo".

O(s) psicopata(s) que aparece na obra é um tanto caricato, estilo filme Hollywoodiano ou seriados como Dexter, mas isso não tira em nada o sabor da obra, porque, convenhamos, 99,9% dos livros de ficção com psicopatas apresentam esse modelo. O diferencial desse é mesmo o toque de comédia que a autora dá a cada capítulo da obra e à realidade e coerência dos sentimentos e alguns pensamentos dos personagens.

Com uma escrita fluida, Malu Ghiraldeli trabalhou temas polêmicos e extremamente interessantes, tudo em um clima leve e fácil de ser compreendido. Ri horrores com o paranoico Logan e suas crises existenciais, suspirei com Amy e vibrei com as tiradas inteligentíssimas de CAT. Para coroar a obra com chave de ouro, ao final ainda tem uma cartinha da autora ressaltando que embora ela tenha baseada boa parte das características dos personagens em pesquisa, ninguém deve procurar por psicopatas na vida real, porque eles são muito perigosos e os do livro dela foram bastante romanceados para dar liga à história (achei esse cuidado dela, a preocupação com as ações/reações que sua obra poderia desencadear em alguns leitores, espetacular).

Leitura super recomendada!

Onde comprar: ArwenBooks






Sinopse: Um estudante de psicologia, um estudante de medicina, uma garota albina, e um psicopata. Ou talvez uma gangue deles. Logan Davis sabia que aquilo não ia dar certo, sempre soube, mas como ele mesmo diz: a carne é fraca. Então quando o jovem estudante de medicina William Miller pede sua ajuda para um projeto no mínimo impossível, ele acaba aceitando, e ambos agora são responsáveis pelo psicopata mais perigoso da cidade. O propósito? Fazê-lo se apaixonar, valendo o diploma do jovem médico e uma vaga preciosa em um famoso hospital. Uma experiência que vai acabar trazendo de volta velhos inimigos, criando novos deles, derramando um pouquinho de sangue e virando suas vidas de cabeça para baixo.

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Amo esse livro, de verdade, dei muitas e muitas risadas com ele hahaha Malu escreve maravilhosamente bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem que você me disse que eu iria me divertir com ele. Foi uma excelente sugestão de resenha, obrigada!

      Excluir
  2. Oi, flor! Eu vim aqui depois de ver a sinopse da obra. Sua resenha me animou a lê-la, mas confesso que fiquei receosa de que a autora tenha acabado por realmente provar a teoria do estudante e levar o psicopata em questão a "amar". Sabemos que essa é uma limitação até mesmo neurológica no que se refere à capacidade de sentir e expressar empatia em casos de psicopatia, de modo que não há como existir realmente amor nesse contexto. Mas vemos tantas relações distorcidas, nas quais (mesmo na ausência de um psicopata) o amor não é nada como conhecemos... Então, por que não dar uma conferida nessa obra tão interessante? Gostei da sua resenha e dos seus elogios. Quero ler um dia!

    Beijos!
    http://www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, Francine... O livro se vale da libertade que a escrita e a ficção proporcionam a uma obra nesse estilo.
      Na carta da autora ela deixa claro onde ocorre a cisão entre a realidade e a ficção,

      Excluir
  3. Não conhecia o autor, gostei muito da sinopse. Tens razão a capa não é nada boa, sei do que falo, sou designer :)

    Bitaites de um Madeirense | STUDIOP.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa foi exatamente o que a autora pediu. Ela comentou que a editora deu trocentas sugestões, mas ela queria daquela forma e não aceitou que fosse diferente. Apesar disso, depois de ler a obra entendo melhor a capa

      Excluir