Maratona Os Bridgertons



Olá pessoal, tudo bem com vocês?

O Conchego das Letras resolveu trazer como novidade em 2017 as "Postagens Temáticas" e a primeira delas será a Maratona Os Bridgertons, onde resenharemos ao longo das próximas nove terças-feiras cada um dos nove livros dessa série escrita pela autora Julia Quinn e lançada pela editora arqueiro.

Antes de iniciar, porém, resolvemos fazer um "apanhado geral" sobre a série, de forma a ajudar os leitores a irem se ambientando com os livros.


Toda a história se passa na Inglaterra do início século XIX, onde as mulheres eram educadas em casa e o maior propósito da vida delas era casar; enquanto os homens eram os responsáveis por fazer o "nome da família seguir em frente" e "manter o título que foi de seu pai". 

O casamento de Violet Ledger foi um tanto atípico. Em uma época onde os casamentos nada mais eram do que negócios, ela teve a sorte de, aos 19 anos, se apaixonar por um visconde (o que era considerado muito bom) e ele por ela, casando, assim, por amor. O relacionamento desta família também não era nada convencional... Enquanto a maioria dos pais deixavam seus filhos para serem criados por babás e os viam apenas esporadicamente, em eventos, poucas vezes por ano, os Bridgertons faziam questão de estar presentes em todas as etapas, lotando os filhos de atenção, carinho e amor. 

Infelizmente, Edmund Bridgerton faleceu de forma completamente inesperada, aos 39 anos, em 1803, deixando Violet sozinha com 7 filhos pequenos e mais um para nascer dentro em semanas. Agora, nove anos depois, sua filha mais velha está iniciando a primeira temporada londrina de "caça aos maridos" e é nesse momento que nossa história realmente terá início. Violet casou por amor, teve um casamento muito feliz enquanto durou e deseja nada a menos do que o que já teve para seus amados oito filhos e irá lutar por isso de forma ferrenha, mesmo que a contragosto de sua prole.

Em casa obra conheceremos a história de amor de um dos filhos dessa maravilhosa matriarca...

Já o livro nove, E viveram felizes para sempre, é um "segundo epílogo" da história de cada um dos oito livros anteriores.

Os livros são de uma leitura bastante leve e fluida, no esquema bastante romântico de amor à primeira vista em sua maioria. Faz uma estranha e improvável união entre o estilo erótico e os romances de época, que por mais ilógico que possa parecer, dá certo.rs

Então é isso, pessoal. Na terça-feira que vem, preparem-se para a resenha de O Duque e Eu, com a história de Daphne e participação especial de Simon Basset, o Duque de Hastings.


Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário