Resenha: Paris Vermelha - Silvia Regina Pellegrino

Título no Brasil: Paris Vermelha
Autora: Silvia Regina Pellegrino
Editora: 
Clube dos Autores
Ano: 2015
Páginas: 332



Oi, pessoal!!!

Hoje trago a resenha de um livro cuja autora ainda não conhecia. Fiquei encantada com a capa e um pouco intrigada com a narrativa, o que me animou a lê-lo. A autora escreve de uma forma diferente; nunca tinha lido algo assim, mas gostei bastante e a leitura fluiu com facilidade.

Em Paris Vermelha, vamos conhecer Hosana, uma mulher muito inteligente, bonita e que se apaixona por Gerald, um homem ambicioso, rico, advogado e dono de uma grande marca de perfumes. Ele a convida para trabalhar como sua assessora e não demora para jogar todo o seu charme para conquistá-la.

Hosana estava feliz e realizada na profissão. Acompanhada por um homem que fazia de tudo para agradar, desfrutava de viagens pelo mundo. Apaixonada e certa de que Gerald era seu príncipe encantado, ela não percebeu o mundo de ilusões em que estava entrando. Algo acontece e eles se separaram, deixando-a arrasada psicologicamente.

Depois de alguns anos, eles se encontram em um novo cenário. Gerald é candidato a governador de um estado e contrata a empresa de Hosana para ajudar na campanha. Com a aproximação, eles se envolvem novamente, Hosana embarca nessa paixão e eles marcam a data do casamento. O que ela não imaginava, era que seria trocada, nas vésperas do casamento, por outra mulher. 

Depois de tudo o que aconteceu, Hosana se torna uma mulher fria e solitária, que vive para o trabalho. Marcada pela rejeição, ela cria um plano com o único objetivo de destruir a carreira política de seu ex-amado. 

Não pense que vai encontrar uma história de amor, daqueles romances melancólicos e melosos, rsrs. A autora traz uma história com bastante suspense, com um pouco de ação, intrigas e um gostinho de vingança.





Sinopse do SkoobHosana se apaixona loucamente por Gerald Champoudry. Eles se separam após inúmeras reviravoltas de suas vidas. Com o passar dos anos ela o encontra novamente. Agora ele quer ser governador de um estado recém-criado no Brasil. Ela o ajuda na campanha e voltam a se apaixonar. Às vésperas do casamento ele a troca por outra. Aquela humilhação precisava ser lavada de sua vida. Suportou uma vida cercada de trabalho, sem afeição e solidão. A Imperatriz de Pedra sobreviveu. Não era mais ela, mas aquele alter ego criado para continuar viva. Pagou o preço necessário. Marcas ficaram e nem o tempo jamais apagou. Deixou para trás toda a inocência daquela moça de vinte e três anos. Agora a inocência dera lugar a um ser frio e calculista. Seu único objetivo de vida era destruir a carreira política que Gerald Champoudry traçava. A humilhação pública seria dele, não mais dela.Esta não é uma história de amor. É sim uma história de caminhos paralelos e de vingança.

Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Daya!
    Me parece que o livro tem um enredo bem instigante e curioso.
    Não gosto muito de vingança, mas vai ser interessante ler esse livro.
    Desejo uma ótima semana.
    “Todo o nosso saber se reduz a isto: renunciar à nossa existência para podermos existir.” (Johann Goethe)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de NOVEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir