Resenha: Os Espinhos do Amor - Arlette Geneve


Título no Brasil: Os Espinhos do Amor (Família Penword #1)
Título Original: Las Espinas del Amor
Autor: Arlette Geneve
Editora: independente
Ano: 2016
Páginas: 505



Antes de “Os Espinhos do Amor”, eu já havia lido várias obras da autora Arlette Geneve, porém em espanhol. Quando encontrei alguns de seus livros publicados como e-book, na loja Amazon, em português, fiquei muito feliz e parti logo para ler esta série que há muito tempo eu andava “namorando”: “Família Penword”.

A história, que se passa por volta dos anos de 1925, está ambientada parte na Espanha, parte na Inglaterra. 

Aurora é uma jovem espanhola, filha de mãe solteira e orfã que, prestes a completar dezoito anos, descobre que tem um pai inglês, que este está doente e deseja muito conhecê-la. A princípio, a mocinha resiste em deixar seu país para se aventurar em território inglês, mas, levada por circunstâncias políticas que afetam diretamente sua família, é obrigada a aceitar a proteção do pai, lorde John Beresford.

O que ela não sabia era que entre os Beresford e outra nobre família inglesa existia um tratado assinado perante o rei, no qual os Beresford comprometiam em casamento sua filha mais velha com o primogênito Penword, herdeiro de um ducado.

Aurora é uma espanhola extremamente temperamental e criada de modo totalmente avesso à formalidade britânica. Nutre uma paixão de infância pela qual é correspondida, por um militar espanhol com quem jura que irá se casar, e não pensa em aceitar o absurdo do tratado entre as duas famílias. Porém Justin Penword, herdeiro do ducado inglês, ao conhecê-la, apaixona-se loucamente e, obstinado, coloca a mocinha em uma situação que a obriga a deixar todos os seus sonhos para se tornar a futura duquesa. A partir de então, o leitor testemunhará uma guerra de vontades de testar os nervos de qualquer ser vivente.

Bom, comigo foi o que aconteceu e, conhecendo outras obras da autora, já esperava por isso. Se você, leitor, já teve vontade de (literalmente) entrar no livro e cometer vários “homicídios literários”, sabe bem do que estou falando. Caso fosse possível “matar” alguns personagens desta história, e isso acontecesse pelas minhas mãos, restariam apenas as crianças e os cães, porque todos, TODOS, irritaram-me ao extremo. 

Não, não estou dizendo que o livro é ruim, ao contrário, Arlette Geneve tem um dom ímpar de prender o leitor de maneira irrevogável, mesmo que ao fim os deixe exauridos, estafados, extremamente irritados, rsrsrs. Sou realmente fã dela, e isso não é brincadeira.

Deixando o enredo de lado, há outros elementos da escrita da autora que não posso deixar de mencionar, porque me encantam. Seus textos, em termos de ambientação, são extremamente ricos. O leitor fã dos romances de época, que já está saturado da realidade londrina, terá a oportunidade de praticamente pisar em solo espanhol, já que as descrições da autora são fantásticas. Além disso, saberá que, entre os europeus, há aqueles de “sangue quente”, bem diferentes dos austeros ingleses com sua formalidade. O encontro dessas duas “personalidades”, além de divertido, é bastante conturbado e interessante. 

A pesquisa história também é inegavelmente rica. A autora faz menção a fatos históricos, obviamente, adaptados à ficção que é sua obra, descreve hábitos e elementos culturais da época de maneira realmente maravilhosa.

Okay, agora preciso explicar por que, depois de tecer tantos elogios à autora e à sua obra, eu, que costumo ser muito generosa em minhas avaliações, dei apenas três corações para “Os espinhos do Amor”... A história é coerente, bem escrita e prende o leitor, mas a tradução e a revisão, infelizmente, deixaram muito a desejar, isso me deixou bastante frustrada. Encontrei expressões tão 
estranhas, que algumas vezes tive a impressão de estar lendo uma tradução mecânica, além de pontuação (em alguns trechos) que, apesar de utilizada no idioma espanhol, é inconcebível na língua portuguesa. Percebi também certa confusão nos diálogos entre os personagens, algo que tenho notado não só neste, mas em muitos romances publicados na atualidade. Às vezes é praticamente impossível saber quem realmente está falando o quê, pois os comentários do narrador que seguem logo depois das falas estão relacionados a outro interlocutor, o que confunde o leitor. Uma pena, pois é um problema que seria facilmente resolvido com uma boa revisão, que preze não somente pela ortografia, mas pelo sentido e construção do texto de forma geral. 


SINOPSE SKOOB: Um homem apanhado entre a paixão e o orgulho... Uma moça que trocará seu destino por amor... Justin Clayton Penword fica fascinado pela impetuosa espanhola que lhe roubou o coração desde que a viu discutindo com seu irmão em Whitam Hall. Sente-se cativado por sua beleza arrebatadora e seu caráter impulsivo, embora, ela ignore que está destinada a lhe pertencer apesar de suas contínuas negativas à reclamação dele. A atração que Justin sente por Aurora irá crescendo com a mesma violência com que se enfrentam. Justin deve obter que essa rosa espanhola deixe de vê-lo como um espinho inglês. Aurora de Velasco descobre que seu pai não está morto como acreditava, é inglês e está vivo. Deve viajar a Inglaterra de forma imediata deixando atrás Ronda, e sobre seu tio, o conde Ayllon pesa uma ordem de arresto do rei da Espanha que o acusa de trair a coroa. Sua chegada à Inglaterra está cheia de vicissitudes, deve enfrentar um compromisso com um inglês arrogante e ao que detesta por seus contínuos confrontos e, pela posse de uma herança que não deseja, mas ali, entre espinhos ingleses conhecerá o amor com uma força que supera todas as adversidades.
Leia resenhas de outras obras da autora clicando nas imagens abaixo: 


Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário