Resenha: Drácula

Título original: Drácula
Tradução: José Francisco Botelho
Capa: Rogério Borges
Páginas: 648
Lançamento: 09/10/2014
ISBN: 9788582850053
Selo: Penguin



Passei minha infância e adolescência assistindo adaptações do livro de Bram Stocker, até que um dia eu criei coragem e encarei a leitura do original. Ou seja, sou fã de vampiros antes daquela coisa adolescente meio sem noção com um chupa sangue estranho e uma mocinha que deixa Van Helsing parecendo personagem de Jane Eire. Brincadeira rs. A verdade é que gosto de Vampiros másculos, fortes e decididos (Stephen Dorff, Ted King, Luke Goss, Dominic Purcell, Ryan Reynolds, Rudolf Martin, Ethan Hawke, Gary Oldman, Gerard Butler, Thomas Kretschmann, Jude Law, Tom Hiddleston, Karl Urban, Stuart Townsend, Vincent Perez, David Bowie, Gregory Lee Kenyon e Luke Evans são alguns dos grandes atores que já interpretaram versões de vampiros no cinema ou tevê, estão na próxima resenha)

O primeiro ponto a deixar claro que é nunca vi Drácula, de Bram Stocker, como um livro de terror, ou assustador. É um livro de romance, de amor. Do amor de Harker por Mina, do amor de Van Helsing por caçar monstros e finalmente temos o amor do conde Drácula.

É uma leitura bem interessante, principalmente quando colocamos dentro da época em que foi escrita e lançada. Um pequeno spoiler, porque nem todo mundo nota isso, mas o ato de chupar o sangue da vítima é uma alegoria para o ato sexual.

Minha edição de Drácula é de um sebo, presente de um namorado quando foi para os Estados Unidos. Como sou "pão dura", não quis comprar outra edição, dessa vez em português, mas fui até a uma livraria e pude conferir a edição da Penguin para o mercado brasileiro e posso dizer sem sombra de dúvidas que está muito boa: um texto explicando a época em que o livro foi escrito, uma pequena biografia do autor, notas de rodapé esclarecedoras. Além é claro da famosa explicação do que levou Bram Stocker a escrever Drácula.
Leitura mais do que recomendada.



Sinopse Penguin: As inúmeras adaptações cinematográficas e o lugar crucial do conde Drácula na cultura popular criaram uma mitologia em torno dessa figura, que costuma ser vista como um dândi sedutor em traje de gala e capa preta. A versão original do vampiro mais famoso da literatura surpreenderá até mesmo os admiradores mais fervorosos ao contar a história desse aristocrata sisudo e muitas vezes repulsivo. Quando um agente imobiliário ajuda um conde a comprar uma propriedade em Londres, não poderia imaginar o mal que estava levando ao Ocidente. Na partida de xadrez que se segue, entre esse nobre perturbador (que pouco aparece, mas é onipresente) e um determinado grupo de adversários (que inclui o professor Van Helsing e a inteligente Mina Harker), o que está em jogo vai além da luta entre a vida e a morte. Esta edição traz notas e introdução de Maurice Hindle, ph.D. em literatura pela Universidade de Essex, e prefácio de Christopher Frayling, reitor da Real Academia de Artes em Londres.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário