Filme ou Livro? Cidades de Papel


Título no Brasil: Cidades de papel
Título Original: Paper Towns
Autor: John Green
Páginas do livro:  368
Ano do livro: 2013
Editora: Intrínseca

Oi, gente. Tudo bem com vocês?


O Marcola me convidou para fazer uma resenha em dupla onde eu falaria sobre o livro Cidades de Papel, e ele falaria sobre o filme. Topei, então vamos fazer uma comparação, com o ponto de vista de cada um...

No livro vamos conhecer Quentin, um garoto que está cursando seu último ano do colégio e sempre foi apaixonado por sua vizinha, Margo, que é um tanto quando espevitada. Os dois são amigos desde sempre, mas com o passar do tempo acabaram se afastando.

Anos depois, Margo aparece na janela de Quentin convidando-o para viver uma aventura e ele aceita. Nesta noite eles invadem o Sea World, deixam uns peixes, visitam SunTrust e depilam a sobrancelha de Chuck. Quentin não consegue acreditar em tudo aquilo e passa a considerar a melhor noite da sua vida.

No outro dia, Margo some sem aparentemente deixar pistas. Não é a primeira vez que ela some e de inicio os pais nem ficam muito preocupados, mas com o passar dos dias, Quentin resolve investigar e tentar encontrar a amiga.

Juntamente com seus amigos Lacey, Ben e Radar, começam a investigar e achar certas pistas que Margo supostamente deixou para tentar descobrir o paradeiro da garota.

Apesar de muitas pessoas amarem a escrita de John, eu achei este livro extremamente entediante, mais para adolescente, com uma história um tanto quanto "maluca" demais.

Vamos ver o que o Marcola nos diz relacionado ao filme. Espero que tenha sido um dos poucos casos em que o filme é melhor que o livro! rsrs





Lançamento do filme: julho de 2015
Duração: 1h 49min
Direção: Jake Schreier
Gêneros: Aventura, Romance, Drama
Nacionalidade: Eua


Não sou nenhum especialista em relacionamentos, mas para que ocorram de maneira saudável precisa existir uma troca entre as partes componentes. Em um dia é sushi, no outro churrasco. O som do carro toca Metálica e também Beyonce. Um dia você acompanha no espumante e drinques mirabolantes, no outro é acompanhado na cerveja. No meu caso, para assistir aos filmes de suspense e ação (daqueles quanto mais tiros melhor!) tenho que assistir filmes inspirados em livros de Nicholas Sparks e "drogas pesadas" do gênero. Por isso, depois de ter assistido "A Culpa é das estrelas" (e tenho que confessar, cheio de vergonha, que gostei bastante da história de Hazel Grace), tive que assistir "Cidades de Papel."

Os dois são filmes com adolescentes muito maduros, pelo menos se comparados a mim e meus colegas de escola, com histórias muitos mais emocionantes. Afinal, quem não gostaria de ter uma vizinha (vizinho) linda, aventureira, gentil e que ainda te desse moral? E que depois de uns anos sem contato, você descubra que ela deixou um rastro de pistas para encontrá-la em um lugar pra onde ela fugiu para quem sabe viver o romance que você sonhou por anos? Claro que os livros devem contar histórias extraordinárias, se fossem fatos triviais não mereceriam ser registrados. 

Assim acompanhei, de mente aberta como sempre faço, a saga de Quentin (Nat Wolff), um cara super certinho e que pensa muito em seu futuro (se formar, casar, ter filhos), mas não aproveita a estrada até ele. Essa mensagem, que também deve ser a do livro, foi muito bem passada, e por isso mesmo não empolgando posso dizer que este é um bom filme. 

Achei muito bem feito e interpretado o grupinho de amigos do protagonista. Eram engraçados de forma natural, nada de pastelão forçado. Não gostei muito de Margo (Cara Delevingne), ela não pareceu tão misteriosa e fascinante como o livro deve apresentar. O final bem realista, mas não ruim, mostra que os adolescentes devem ter mudado mesmo.


Sinopse por skoob:
Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.


Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Não li e nem assisti Cidades de Papel. Foi um livro muito comentado e a adaptação também rendeu muitos comentários, mas foi meio ou oito ou oitenta né. Muitos gostaram e muitos odiaram.
    Vou ter que assistir agora :)
    Beijos,
    Juliana.
    http://www.fabulonica.com/

    ResponderExcluir