Resenha: Trilogia 50 Tons



Olá pessoal,

Tem um tempo que nós tivemos um texto aqui que gerou uma polêmica danada. Acredito que muita gente tenha lido correndo, porque vários dos comentários não estavam lá muito coerentes com o que realmente foi dito pela nossa colunista Bel, mas o post me deu uma ideia. Por que não finalmente fazer a resenha dessa trilogia?


A série 50 tons trata do casal Anastácia e Christian Grey. Anastácia é uma garota um tanto fora do seu tempo, tipo, irrealisticamente fora do seu tempo. Ela está para se formar na faculdade (no livro 01) e não entende nada de internet ou sistemas de busca online, nem sabe direito o conceito de e-mail. Isso em pleno anos 2010. Ela também não tem a mais vaga ideia de sua beleza, embora todos os homens ao redor dela caiam aos seus pés (fato este que ela encara como "querem apenas a minha amizade" e "é apenas brincadeira").

Sua amiga precisa fazer uma entrevista, mas tem um problema e pede para ela ir em seu lugar. O entrevistado? Christian Grey, um homem riquíssimo ainda jovem, de inteligência incomparável e um corpo de dar inveja a qualquer macho deste planeta. A partir deste encontro começa a história do casal, que chegou a atingir inclusive as telonas, levando muitas mulheres ao delírio.

O livro tem dois pontos de vista muito diferentes, que até que se coadunam, de alguma forma.

01 - NEGATIVO: a pesquisa da autora sobre o sadomasoquismo (ou a tradução da editora em relação ao termo, já que só li em português), trocando terminologias e explicando muita coisa de forma errada, é um tanto decepcionante para muitos. POSITIVO: abriu a muitas leitoras o interesse em pesquisar sobre o assunto sadomasoquismo e quebrar um pouco dos tabus relacionados a ele.

02 - NEGATIVO: prega como romance o fato de o cara ser um perseguidor, que não respeita o espaço pessoal da garota até mesmo instalando clandestinamente um sistema no celular dela para saber onde ela estava a cada momento sem nem ter ficado com ela ainda. E se vale da famosa frase que "não é sim", uma frase deplorável ao meu ver. POSITIVO: ... bem, não vejo nada positivo nessa parte. Se ele não fosse rico e gato, e se fosse no mundo real, geral ia estar denunciando ele para a polícia, então... vamos para o três.

03 - POSITIVO: no plano de fundo do terceiro livro conhecemos o grande segredo de Grey e o motivo para ele ser como é, que é bastante interessante e pode gerar questionamentos e desejo de aprender mais sobre o assunto. NEGATIVO: infelizmente isso só chega no terceiro livro e é pobremente trabalhado, tendo mais cenas de sexo do que de real desenvolvimento do conteúdo.

04 - POSITIVO: as mulheres começaram a consumir mais abertamente literatura erótica, com menos vergonha de assumir que gostam sim de ler sobre cenas de sexo. NEGATIVO: para que isso acontecesse foi preciso tapar o sol com a peneira e trazer uma nova nomenclatura para a coisa, "romance hot". Foi feito uma divisa entre o erótico e o hot que até hoje não entendo bem, já que muito livro erótico tem conteúdo de história até melhor do que alguns que se autointitulam hot.

Eu poderia continuar enumerando aqui pontos positivos e negativos coexistindo por mais muitas e muitas linhas, mas acho desnecessário. Este foi um livro que despertou o amor de um imenso público leitor e o desprezo de um público igualmente grande, e ambos possuem suas razões. Tudo depende de qual lado vai pesar mais para cada um, os positivos ou os negativos.

No meu caso, eu não suportava ver Anastácia batendo o pé como uma criança por ter que andar com segurança tendo a sua vida ameaçada alegando querer sua independência e liberdade, enquanto aceitava sem nem pensar duas vezes abrir mão de sua independência e liberdade de escolha para todo o resto. Também não achei legal a transformação do Christian de um pitbul no livro um, todo decidido e forte, para um yourkshire com lacinho rosa que abana o rabinho sempre que a dona dá atenção para ele, no final do livro três. Claro que essa é a minha visão particular, totalmente diferente de "ele foi transformado pela força do amor, que lindo" utilizada pelas fãs da obra. Elas não estão erradas, assim como eu também não estou, são apenas formas opostas de enchergar para uma mesma situação.

É isso pessoal, essa é a resenha de hoje. Relativamente imparcial, mostrando lados positivos e negativos, dando a minha opinião pessoal apenas no parágrafo final. 

Até a próxima!


Feito por: Mariana Ramos.

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Bem ja que é para comentar irei da minha opinião. Eu amei essa trilogia. Por que ela me instigava mais e mais a ler. É também porque foi meu primeiro livro erótico. Tudo era novo para mim. Porém, várias vezes eu achei cansativo tentar cenas detalhadas de sexo que tive vontade e passar sem ler. Principalmente no terceiro. É também várias vezes achei Anastásia muito burrinha... e tinha vontade de matar. Maaaaas não posso negar que foi um dos livros mais intensos que eu li a que devorei mais rápido.

    ResponderExcluir
  2. Bem ja que é para comentar irei da minha opinião. Eu amei essa trilogia. Por que ela me instigava mais e mais a ler. É também porque foi meu primeiro livro erótico. Tudo era novo para mim. Porém, várias vezes eu achei cansativo tentar cenas detalhadas de sexo que tive vontade e passar sem ler. Principalmente no terceiro. É também várias vezes achei Anastásia muito burrinha... e tinha vontade de matar. Maaaaas não posso negar que foi um dos livros mais intensos que eu li a que devorei mais rápido.

    ResponderExcluir