Resenha: Quando te vi, amor.







Título: Quando te vi, amor

Autor: Patricia Dias 

Editora: Bezz

Páginas: 560

Onde Comprar: Loja Bezz





Oi, gente! Tudo bom com vocês?

A resenha que trago hoje foi uma linda surpresa que a editora Bezz nos enviou, um livro que entrou para a minha lista de preferidos e que eu não vejo a hora de ler a continuação pra saber o vai acontecer...

Quando te vi, amor é o primeiro livro publicado da autora portuguesa Patricia Dias. Nele, iremos conhecer Lexie, uma nova iorquina que, para fugir dos seus erros do passado, decidiu largar a agitada vida na Wall Street e ir morar em uma aldeia ao norte de Portugal, em uma casa deixada de herança por seu avô. Durante quatro anos, ela vive nesta aldeia de forma pacata e tentando ser a melhor pessoa que consegue.

Para se sustentar, faz algumas traduções e de vez em quando e recebe turistas em sua casa. Dia a dia, ela tenta ao máximo afastar os fantasmas do passado e com isso acaba se afastando de sua família também. As únicas pessoa com quem ela mantém contato são seu cachorro Eros, sua amiga Susi, seu “amigo” David e D. Olinda – dona da mercearia em que ela faz as compras da semana – que sempre a mantém informada sobre as novidades da aldeia.


"A vida me ensinou que levantar é sempre mais difícil que cair. Reconstruir uma vida, até que se reconstrói. Arranja-se um novo emprego, uma nova casa, pessoas diferentes para se conviver, mas reconstruirmos-nos a nós próprios? Isso é que é a verdadeira merda."

Certo dia, a casa ao lado, que sempre esteve vazia, passa a ser ocupada por dois homens que, segundo a D. Olinda, são um casal de gays fugindo da cidade grande para ter mais privacidade. Com o tempo, Lexie descobre que não é nada disso... (Essa D. Olinda, vou te contar, viu!)

Os novos vizinhos são Gio e Miguel. Gio é restaurador de obras de arte e pintor, mas após descobrir que tem uma doença degenerativa achou que não teria mais sucesso em sua profissão. Por conta disso, decidiu se afastar e pintar seus quadros enquanto lhe fosse possível. Com a progressão da doença, alguns dias são piores que os outros e, nestes dias, Gio tende a ser uma pessoa nada fácil de conviver.

"Disseram-me uma vez, quando estava na clínica de reabilitação, que os demônios, os bichos papão, não se escondem em armários, debaixo de camas. Escondem-se atrás daquela atitude que se sabe ser má, mas que se alimenta, com um gesto a seguir ao outro, que quando damos conta, já somos mais demônio que nós próprios. Somos a contabilidade de coisas boas e coisas más, que num livro da razão, deve tudo bater certo, que os débitos devem ser iguais aos créditos, para que possamos apenas viver, mudar, aceitar e avançar. Nada em mim batia certo e não existiam contas de somar ou de subtrair que me ajudassem."

Miguel, enfermeiro e grande amigo de Gio, após se separar da esposa, decidiu se mudar com o amigo e ajudá-lo em seus cuidados. É uma daquelas pessoas que é impossível não gostar logo de cara: querido, atencioso, sempre com um sorriso no rosto, e faz de tudo para ajudar o amigo a se sentir melhor.

Lexie gosta de Miguel logo de cara. Em contrapartida, ela e Gio não começam da melhor forma. Contudo, com o tempo, os dois vão se aproximando, deixando as implicâncias de lado, aprendendo a respeitar um ao outro. Vamos vendo, aos poucos, Lexie sendo “curada” de todas as feridas que ainda a machucam e Gio mostrando a sua verdadeira personalidade. Vamos conhecer um Gio encantador, romântico e alegre. 


"Sou melhor pessoa do que há oito ou nove anos atrás? Sou com certeza. Se sou melhor que há quatro ou cinco anos? Ora, eu há quatro anos não era uma pessoa. Quer dizer, cumpria todos os requisitos de um ser vivo: respirava, comia e acasalava, mas humana?"

Este livro me fez derramar alguns litros de lágrimas. Ao decorrer da leitura, podemos perceber algumas feridas sendo curadas ao mesmo tempo em que outras são abertas. É lindo ver a forma como Lexie vê Gio, apenas como Gio, sem espasmos ou muletas; e é lindo ver como Gio consegue enxergar a alma de Lexie, como ele consegue com toda a sua sensibilidade demonstrar a ela que é possível se perdoar e que o que você fez no passado não precisa definir quem você é no presente ou será no futuro.

A evolução dos personagens é nitida. Eu amei Lexie e Gio em alguns momentos, em outros definitivamente tive ódio mortal dos dois.

Tirei um coração da avaliação por conta de um acontecimento que não gostei. Infelizmente, não posso contar qual foi porque seria um gigantesco spoiler... Mas quem já leu, com certeza sabe qual é.

Bom, é isso.

Espero que tenham gostado.

Até a próxima, beijo!


Sinopse: Lexie foge há quatro anos das suas escolhas. Ela deixa de ser a menina prodígio de Wall Street e passa a ser apenas uma americana numa aldeia do norte de Portugal. Ela permite que entrem na sua vida poucas pessoas, foge do passado e esconde-se da sua natureza. É uma mulher que está perto dos trinta anos, mas sem objetivos. Vive seus dias passeando com o seu cão Eros, recebendo a visita de Susi e visitas do seu “amigo” David, que são para lá de sexuais.Gio, um restaurador e pintor promissor, foi brindado pela vida com uma doença degenerativa. Ele passou a ser uma pessoa doente, amargurada. Achou que por estar nessa situação, não teria capacidades para continuar com a profissão, por esse motivo, abandonou Florença, acompanhado do amigo Miguel. Conheceu Lexie, uma mulher que o encanta, fascina e o desafia.A caminhada de Lexie acontece com aquela mão quase invisível de Gio, que a faz perceber que o seu crescimento e sua aceitação dependem de ter almas iluminadas, como a dele, por perto, pois são nos erros e no sofrimento de quem a acompanha, que aprende a conviver com os seus fantasmas e reaprende a viver.

Comente com o Facebook:

13 comentários:

  1. Esse dona Olinda, parece minhas vizinhas de vila aqui, kkkk.
    Gostei muito da proposta do livro, em mostrar os sentimentos sendo desarmado aos poucos, destacando o melhor de cada um. Parece ser realmente uma história envolvente.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da história. Porém meu coração fica com medo de ler história assim... Como a eterna apaixona ja me diz a pergunta... eles vai-se apaixonar e ela morrer? Aí meu coração. Pq eu não aguento finais tristes 😭😭😭. Mas gostei demais do contexto

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito da história. Porém meu coração fica com medo de ler história assim... Como a eterna apaixona ja me diz a pergunta... eles vai-se apaixonar e ela morrer? Aí meu coração. Pq eu não aguento finais tristes 😭😭😭. Mas gostei demais do contexto

    ResponderExcluir
  4. Ola
    Nossa que interessante, achei que era mais um romance, mas me surprendi, primeiro a 'vila do interior' fica em Portugal, que é um país lindo, depois temos esses amigos que me deixou encantada, fiquei com muita vontade de ler essa história.

    ResponderExcluir
  5. Opa, parece ser bem interessante e faz derramar lágrimas, já gostei! Não sei porque, mas lendo a resenha só pensei em Como eu era antes de vocês '-'

    ResponderExcluir
  6. Oi Bruna!
    Nossa, parece um romance que faria minha amiga, que curte esse gênero, pirar um pouco. KKKKKKKKKKK. Acho que não sentiria tanta emoção quanto você lendo a obra, até porque, no momento não estão adepto a romances, passando longe deles, devido a não estarem fluindo com facilidade comigo, e também menos ainda pelo lado meio hot da história. Não é uma categoria que me agrade, e por mais positiva que a resenha tenha sido, a trama em si não me chamou atenção :( Apesar da Lexie parecer ser uma personagem legal.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, achei a premissa do livro linda e encantadora, simplesmente magnifica. Me apaixonei pela sua resenha e nem sei o que dizer, só sei que quero ler esse livro e sentir o que você disse que sentiu, pois parece ser um livro maravilhoso e que passa mensagens de engrandecimento e amadurecimento. Preciso desse livro para ontem. Dica mais que anotada.
    bjus

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?! Nossa percebi que gostou mesmo do livro pela forma como se expressou sobre ele. Infelizmente o enredo não chamou muito minha atenção pois não sou muito fã de romances.
    Bj

    ResponderExcluir
  9. Oi Bruna,

    é muito bom ler um livro assim, bem leve e romântico, só para esquecer dos problemas e viajar pela literatura. Gostei mais ainda que a personagem, além de viver um grande amor, pôde curar suas feridas - e mesmo que outras sejam abertas - foi se abrindo e procurando uma forma desse novo amor dar certo. Gostei da sua resenha, explicou bem a obra sem contar spoilers.

    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Oie
    nossa, não conhecia esse livro mas parece ser mega interessante, gostei muito do enredo e adoro esse gênero, ótima resenha e dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Pensei que o livro tinha me ganhado pela capa, mas quando fui lendo sua resenha fui ficando ainda mais e mais animada e aí frase "Este livro me fez derramar alguns litros de lágrimas" me ganhou completamente, vou correr e comprar esse livro o mais rápido que eu puder, genteeee amei amei amei.

    ResponderExcluir
  12. Nossa...que linda história....e triste né? Sabendo que um personagem tem uma doença degenerativa, eu já imagino o que aconteceu que te desagradou.
    Fiquei com vontade de ler o livro mesmo parecendo triste, coisa que não me atrai numa leitura.

    Ótima resenha ☺

    💗 bjs 😀

    ResponderExcluir
  13. Nossa...que linda história....e triste né? Sabendo que um personagem tem uma doença degenerativa, eu já imagino o que aconteceu que te desagradou.
    Fiquei com vontade de ler o livro mesmo parecendo triste, coisa que não me atrai numa leitura.

    Ótima resenha ☺

    💗 bjs 😀

    ResponderExcluir