Resenha: Priest - Sierra Simone


Título Original: Priest
Autora: Sierra Simone
Editora: Kindle
Ano: 2015
Páginas: 354 páginas (na Edição do Kindle)
Estrelas: Nenhuma, mas como não existe 1 estrela 
Pimentas: Sério que eu li isso? 




Faz tempo que não temos uma resenha hot, né? Então, a de hoje será meio hot (meio, porque o livro não é lá essas coisas, mas vamos lá).

Eu recebo diariamente informes de um aplicativo com os livros que estão de graça na Amazon. Cerca de um ano atrás, algumas amigas estavam discutindo um que era o sucesso do momento: Priest, de Sierra Simone. Falavam que era polêmico, blasfemo, quente e bom. Eu, que não acredito em coincidências, lembrei que tinha deletado a mensagem informando que o tal livro estava de graça naquele dia e corri para baixar – sim, minha versão do livro é em inglês, até porque, a menos que eu esteja 100% enganada, não foi lançado por nenhuma editora no Brasil.

Levei mais ou menos 15 dias para conseguir começar a ler a porcaria e confesso, eu ri da primeira até a última página. Não, o livro não é de comédia, ele é, teoricamente, hot (o que já deve dizer muito para vocês, certo?). Ele é tão mal escrito, tão pessimamente pesquisado e estruturado, que ficou engraçado. Melhor: hilário.

Vamos à história. 


Tyler Anselm Bell é um jovem padre que quebra uma das regras da igreja, o celibato. Antes que vocês pensem que ele sai pegando geral, o cara se apaixona. Até aí, nada demais, eu li Os Pássaros Feridos (aguardem, resenha em breve), então um livro onde um padre se apaixona por uma mulher e faz sexo não é novidade.

O que me irritou profundamente foi a falta de sentido da trama. O tal Tyler Bell é padre, tudo bem, mas... A autora tenta (sem sucesso) dar a entender que é um padre católico, porque cita bispo, cardeal e papa. Até aí seria normal também, certo? Só que padres católicos precisam cursar um seminário antes da ordenação; não são “contratados”, são designados para uma paróquia; também não pedem demissão do cargo, pois aquilo não é um emprego. Quando um padre católico, seja por que motivo for, decide deixar de exercer o apostolado, existe um processo que dura no mínimo dois anos, com cartas, entrevistas, visitas e acompanhamento de outros padres, bispos e cardeais, até psicólogos entrevistam os padres, para entender suas reais motivações. Só depois de todo esse processo é que o pedido vai a julgamento pelo colegiado de cardeais, em Roma, para decidir se o padre pode ou não deixar a batina.

Não posso falar dos processos dos pastores da Igreja Batista ou Anglicana ou de outras denominações religiosas porque não conheço (embora se este fosse o caso, o termo usado em inglês deveria ter sido Pastor ou Minister, não Priest, mesmo que "priest" possa ser usado na igreja Ortodoxa e na Anglicana). O da Igreja Católica eu conheço porque li muito sobre o assunto quando o, hoje, ex-padre Zeca decidiu largar a batina porque, segundo ele, a vida religiosa estava em desacordo com os desejos dele naquele momento. Ficou curioso? Procura no google (José Luiz Jansen de Mello Neto).

Voltando ao livro. É um amontoado de descrições, mal feitas, de sexo. Descrições que têm o intuito de chocar, porque o padre Bell faz sexo na sacristia, na nave central da igreja onde é sacerdote, no altar, na residência episcopal (ah, peguei você?! Aposto que não sabia que a casa do padre tem esse nome). Na cozinha, no carro... Pois é, você entendeu, o livro é uma colcha de retalhos de cenas de sexo, cansativas e enfadonhas, onde para vender mais livros a autora tirou o milionário tarado e colocou um padre. Fim da história.

Querem ler uma história boa com cenas quentes e enredo? Tentem Os Pássaros Feridos. É mais coerente e não apenas um monte de descrições tão mal elaboradas de sexo que nem para a produtora Brasileirinhas serviria de roteiro.

Pois é... Lamento muito para quem amou, mas essa foi a minha opinião sincera sobre Priest. Prometo que semana que vem eu volto com um livrinho melhor!


***
Sinopse Goodreads (em tradução livre):  Existem muitas regras um padre não pode quebrar. Um padre não pode casar. Um padre não pode abandonar seu rebanho. Um padre não pode abandonar seu Deus. Eu sempre fui bom em seguir regras. Até que ela veio. Meu nome é Tyler Anselm Bell. Eu sou vinte e nove anos de idade. Seis meses atrás, eu quebrei meu voto de celibato no altar da minha própria igreja, e Deus me ajudar, gostaria de fazê-lo novamente.Eu sou um padre e esta é a minha confissão.


Comente com o Facebook:

39 comentários:

  1. Lembro muito bem do alvoroço que foi esse livro logo que saiu... rsrsr
    Ainda bem que nem li!

    Suas resenhas sempre 100% sinceras né, Bel!
    Adorei, sem papas na lingua! rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, eu dei minha impressão pessoal, fiz apenas uma análise técnica... Ele é péssimo, tipo de livro que não recomendo nem para quem não gosto.

      Excluir
  2. Eu li na época. Não encontrei nada que justificasse aquele alvoroço todo. Concordo que o intuito era chocar. Os locais onde eles transavam acabou com o tesão do livro. Pelo menos, pra mim.
    Bem sincera sua resenha, rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fran, tenho a maior vontade de entrevistar essa autora, a primeira pergunta seria: além de ganhar dinheiro, o que você queria ao criar um personagem sem profundidade e coerência? Porque o livro não tem nada, até as cenas de sexo são ruins. rssrsrs

      Excluir
  3. Eu li na época. Não encontrei nada que justificasse aquele alvoroço todo. Concordo que o intuito era chocar. Os locais onde eles transavam acabou com o tesão do livro. Pelo menos, pra mim.
    Bem sincera sua resenha, rsrsrs

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia esse livro e nem tenho interesse em ler, ainda mais depois de ler sua resenha, que por sinal ficou ótima e bem esclarecedora tambem. Eu gosto do gênero, mas nem todo livro vale a pena ler, ainda mais se não tiver um bom desenvolvimento.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Fecprates, tudo certo com você?

      Menina, não me arrependo de ler esse trem, mas não recomendo! rsrsrsrs

      Excluir
  5. Olá
    Excelente resenha, tudo muito bem abordado. Eu li esse livro e achei ruim e Concordo com vc em tudo.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rosana, você também tem esse troço na sua lista? Vou contar um segredo, acho que precisamos ler livros ruins para valorizar ainda mais os livros bons! Esse definitivamente é um dos piores de todos os tempos rsrsrsrs

      Excluir
    2. Muito ruim, né. Dificilmente eu acho livro tão porcaria kkkkk mas esse, ai ai

      Excluir
  6. Não sou fã de lviros hot :| Ainda mais quando trata padre e irmãos no meio, acho que tem livros que querem polêmica e não conseguem.
    Não iria ler, e pelo que notei faltou autora se aprofundar mais na igreja em si.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Helana, existem livros hot e existem livros hot. Como eu já sou velhinha, não sou da época de hot, sou da geração de eróticos. Já li ótimos livros eróticos ou livros com sexo no meio da trama. Aí é que está a grande diferença: um livro ter história ou um livro só ter sexo. Se tem história, além do sexo, nada contra. O resto é resto.

      bjsss

      Excluir
  7. Oi, nem nem o que dizer desse livro, que porcaria de livro, hein?!!
    Sério, a premissa é horrivel e o desenvolvimento também e confesso que rolei de rir ao ler sua resenha, sério, eu já não curto livros hot e esse ainda por cima foi mal escrito e estruturado, não tem mas nada o que dizer.
    bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thatyane, a ideia central que, teoricamente, nem é ruim: Amor. A luta entre religião e amor laico. Já foram construídas excelentes histórias tendo essa linha como fio condutor, o problema aqui foi o oportunismo: criar um pano de fundo para cenas de sexo sem estrutura ou realismo.

      Excluir
  8. Olá,

    Não sou muito fã de livros hot, a maioria que já li não tem uma história boa, e isso tira bem a graça da leitura mesmo. Adorei a resenha!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gabrielly,

      aconselho a tentar literatura erótico. Existem excelentes livros, muito bem escritos, em que algum momento os personagens fazem sexo. O que estragou o gênero foi essa alcunha hot e porcarias como 50 tons. Tente Marguerite Duras e o seu O Amante, uma biografia ficcional...

      Excluir
  9. oiii!
    A-DO-RO resenha sinceras!
    Ganhou uma seguidora moça!
    kkkkkkkkkkk
    Os autores estão extrapolando, sério! Querem fazer todo mundo virar C. Gray!
    É irmão com irmaõ, mulher com dinossauro oO (sério já ouvi falar de uma história assim)
    Ahhhhhhhhh
    Obrigada pela resenha e por ter me livrado dessa!
    Beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thays,

      eu leio qualquer porcaria - mentira, algumas coisas realmente não consigo ler - então conheço algumas coisas bem ruins. Eu acho justo avisar que é ruim e porque é ruim. Se a pessoa quiser ler, ou assistir ou ouvir, aí é com a pessoa!

      Obrigada por me seguir, terá umas resenhas bem divertidas por aqui.

      Excluir
  10. Oie!
    Ahahah eu imagino o seu sofrimento ao ler o livro, e o quanto riu durante a leitura. Eu aqui já estava rindo com o absurdo da história, imagino você que ainda conferiu o livro inteiro. COm certeza, esse não vai para a lista.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carla,sofreeeeer eu não sofri, mas não foi fácil. Esse não foi o único livro ruim da minha vida, já tive piores...

      Têm coisas melhores para ler, vai por mim... mas mesmo sendo tão fraquinho, tem muita gente que gosta.

      Excluir
  11. Que resenha mais sincera! Adoro quando blogueiras alertam sobre os problemas do livro, isso me faz pensar se realmente vale a pena comprar. É uma pena tanto descaso com assuntos que deveriam ser bem pesquisados pra melhor estrutura do livro, o melhor de tudo é que ri muito com a sua resenha, você foi honesta e engraçada, adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dayhara,

      eu acho que esse livro seguiu a estrutura de Sylvia Day e Maya Banks: algum texto ao redor das cenas de sexo... Por isso ficou tão ruim.

      Excluir
  12. Oiiii, como vai?
    to desmaiada gente huahauahauahauahauahauah morrendo ainda, gente amei a resenha, sincera!!! E confesso que não gosto de livros assim.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Morgana,

      não morra... Ainda tem muita resenha para escrever. kkkkkk

      Eu acho que a única maneira de "conquistar" leitores e seguidores é sempre ser sincera, se eu gosto eu falo, se não gosto, deixo claro porque.

      bjsss

      Excluir
  13. Vish odeio livros mal escritos, principalmente hot. Adorei sua resenha, tem que ser sincera mesmo. Essa já não vai ser minha opção de leitura.
    Beijos.

    Treslivrolatras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo certo?

      Livros mal escritos ninguém merece, mas quando é hot e mexe com as crenças e ideologias das pessoas é mais complicado ainda.

      bjsss

      Excluir
  14. Sempre desconfio de livros hot que geram alvoroços e leitoras escandalosas. Já é difícil gostar de um livro que só fala nisso e quase não investe em trama, pra piorar nem uma pesquisadinha pra firmar o conteúdo? Tô fora, passando longe! E adorei essa resenha sincera! Mandarei um áudio com aplausos, peraí! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nuccia,

      eu não entendo essas leitoras de hot, o livro pode não casar Lé com Cré, mas elas estão lá, defendendo a porcaria. Vai entender.

      Eu gosto de histórias que sejam coerentes e bem construídas, se tiver sexo e ele fizer parte da história, tudo bem. Mas esse Priest ninguém merece.

      Excluir
  15. Ola Bel lindo lembro que esse livro causou furor, ele não me chamou atenção e não li, mas acredito que muitas gostaram, um fato importante que você destacou é a pesquisa que todo autor deve fazer ao retratar um tema, para não se perder. beijos e adorei a sinceridade.

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que andam fazendo muita festa para a quantidade e esquecendo a qualidade. Esse livro não tem qualidade nenhuma, ele não levanta nenhum questionamento. Não tive saída a não ser essa: sinceridade!

      Excluir
  16. Oi Bel, primeiramente como assim que aplicativo é esse que te avisa dos livros grátis?! Passa o ouro pras amiguinhas! Outra é realmente um saco livros hot, que na verdade não são livros é um monte de sexo com três parágrafos em volta, sem pesquisa ou cuidado. Gostei muito da sua sinceridade, e que bom que pelo menos te fez rir.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Giu, tudo bem. O app é um de dentro do kindle mesmo, quando você faz o cadastro ele pergunta se vc quer receber mensagens com as dicas e promoções. Eu recebo todo santo dia, mas tem alguns apps na loja google que fazem isso. Quase todos em inglês rsrrs (o bookgrow é um deles).

      Espero que se divirta com as dicas! rsrsrs

      Excluir
  17. Oi Bel, tudo bem?
    É tão ruim...quando criamos expectativas em cima de uma leitura e ela simplesmente não é nada daquilo... pelo que falou aqui parece uma história mau desenvolvida... e que deixa o leitor frustrado, mas depende muito de quem lê... da forma como você disse que foi escrito o enredo... eu não leria de jeito nenhum... ainda mais porque não são todos os livros hot que leio, então esse seria um que eu não leria mesmo.... que pena que a experiência não foi satisfatória... Xero!!

    ResponderExcluir
  18. Olá, Bel!
    Não sou fã de hot, e não tinha ouvido falar sobre este livro, mas pela resenha sincera que você fez, não acha que eu vá ler em um futuro próximo, nem em um longínquo. Fora que a premissa também não me interessou...
    E bom... Livro com pesquisa mal feita! Eu que sou autora senti vergonha alheia agora.
    Bj

    ResponderExcluir
  19. Oie
    não costumo ler nada de digital e também não conhecia o livro ma sabem legal o enredo, não é meu gênero literário favorito mas quem sabe indico a algumas amigas que curtem

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Bel do céu! que resenha é essa????

    adorei!!!!

    Que sinceridade....parabéns!

    eu não gosto de hot, nem um pouco... mas com a tua resenha eu me diverti mesmo!!!!

    bjs

    ResponderExcluir
  21. Oi Bel!
    Li Priest assim que começou a bombar o boato sobre ele, minha versão era traduzida por fãs então pode colocar a culpa nisso se quiser, não me apeguei aos fatos religiosos em si e nem em como um processo desse funciona, mas confesso que gostei bastante da história, achei diferente, pois nunca tinha lido nada do tipo e não achei enfadonho! Mas como você mesmo disse é questão de opinião

    Beijokas

    ResponderExcluir
  22. Oi Bel!!!
    Bem tenho que admiti que esse livro eu não li, porém tenho ele para ler. Eu já vi tanto pessoas falando bem quanto mal do livro, então não sei nem o que dizer pois ainda não li ele.
    Gostei que você foi sincera e disse que não gostou do livro, pois é tem pessoas que gostam e outras não.
    Parabéns pois sinceridade é tudo :)

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Normalmente eu não leio livros com esse enredo, mas eu gostei muito desse em particular, com certeza eu vou dar uma chance.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir