Resenha: Enquanto Eu te Esquecia


Título: Enquanto Eu te Esquecia
Autor: Jennie Shortridge
Editora: Única 
Ano: 2013
Páginas: 382




É difícil falar desse best-seller sem dar spoiler, por isso não pretendo dar muitas informações aqui, até porque, quem quiser saber um pouco mais, só precisa conferir a sinopse.

A história de Lucy Walker, protagonista desse livro, é de autoconhecimento. Após perder a memória e enquanto está em tratamento para recuperá-la, ela entra em conflito consigo mesma, com seu “mundo” e com pessoas a sua volta, como, por exemplo, Grady, seu noivo, e Helen, uma tia que há anos não via, mas que teve um papel de grande importância em sua infância. Essas pessoas, sem querer, também são conduzidas a uma busca, já que, influenciadas pelo “estranho” comportamento de Lucy, são obrigadas a questionarem valores, atitudes tomadas no passado e posturas do presente.


“Será que pelo menos ela era boa para ele? Se fosse essa pessoa que estava começando entender que era, por que teria querido se casar com ela?” (Pg. 181)

Vizinhos, parentes, amigos, objetos, tudo isso ajuda Lucy nessa jornada que ela percorre em busca de compreender o que lhe aconteceu para que se esquecesse completamente de seu passado.Em meio a descobertas, confissões, resgate de memórias perdidas e até algumas desilusões vivenciadas pela protagonista e pelas pessoas a sua volta, a autora conduz também aquele que  lê a uma inevitável autognose. Ou seja, leitor, é uma obra que te levará a questionar-se, a meditar sobre quem é, sobre como conduz sua vida, sobre os valores que o dirigem.

“Sentiu-se enojada com a descrição que Susan tinha feito dela, correndo pela vizinhança sem olhar ou cumprimentar ninguém.” (Pg. 181)

Pode-se dizer que é uma história de amor, já que toca nesse tema em diversas esferas, mesmo que de uma maneira, digamos, velada: o amor de um casal, de uma filha, de uma irmã, de uma tia, de uma mãe e até o amor -próprio. Tudo isso entremeado por um “Q” de drama, que, nem de longe, aproxima-se do melodramático, ao contrário, a autora é bem concisa, a meu ver, a esse respeito. Confesso que senti falta de ver ambas vertentes, amor e drama, sendo tratadas de maneira mais profunda, mais crua, mas admito que há grande sensibilidade em cada linha. Acredito que o leitor minucioso não deixará de notar essas nuances também. Além do mais, opino que, nem por isso, a história tenha deixado a desejar em momento algum.

A escrita de Jennie Shortridge é fluida, suave e agradável. A obra tem seu momento surpreendente e a autora conduz o leitor até ele com grande engenhosidade, plantando desde o início as sementes instigadoras que nos fazem querer entrar no livro para descobrir logo o que há no passado de Lucy que determinou seu futuro de uma maneira que até ela, ao reencontrar-se consigo mesma, estranha. É claro que isso não irei contar e, quem quiser saber, terá que ler.

“Enquanto eu te esquecia” é mais que recomendável, mas deve ser lido com olhos e coração atento, aberto. Vai se aventurar? Então, não modere na reflexão e  boa viagem até dentro de você mesmo!

***

Sinopse Skoob: Lucie Walker não se lembra de quem é ou como foi parar nas águas geladas da Baía de São Francisco. Encaminhada para uma clínica psiquiátrica, ela aguarda até que um homem chega afirmando ser seu noivo. Entretanto, com seu retorno para casa, essa mulher sem memória vai tomando conhecimento de sua personalidade antes do acidente, da pessoa controladora, fria e sem vida que era, e dos segredos da infância e da família, assim como da situação do noivado e dos mistérios que podem ter provocado o acidente.

Comente com o Facebook:

7 comentários:

  1. Oi Deh, eu li esse livro e amei!!
    O enredo é bem instigante a leitura é super fluida e me coloquei no lugar da personagem e fiquei com coração bem apertadinho.
    A capa também é um arraso, relamente a autora vai te levando pro final que é bem misterioso de maneira leve, sem brusquidão.

    beijos, ótima resenha!

    ResponderExcluir
  2. Oii.. Deve ser interessante (e amedrontador) nos conhecer pelos olhos de outras pessoas. Ver como os outros nos enxergam e refletir sobre o tipo de pessoa que nós somos. Pela resenha, parece que a personagem leva um choque ao descobrir como ela era. Achei interessante o livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi, não sei porque, quando vi pela primeira vez a sinopse desse livro, eu fiquei louca para ler, mas depois quando li a sua resenha, eu perdi o interesse, não sei porque, mas a sua resenha não me animou, acho que é por causa de você não ter revelado muita coisa sobre a obra e confesso que queria saber mais sobre ela, para enfim, resolver adquirir ou não a obra, já que sou parceira da editora e estou pensando em pedir esse. Ainda não sei o que pensar sobre essa obra, por isso, vou pesquisar mais, antes de resolver gostar ou não dele.
    bjus

    ResponderExcluir
  4. Oi Deh, sua linda, tudo bem?
    Eu recebi esse livro da editora e você me deixou bem empolgada para ler. Já pensou perder a memória? E quando acordar não reconhecer as pessoas que te amam? Gostei muito de saber que esse evento será uma oportunidade para o crescimento dela e todos a sua volta. Não vejo a hora de ler, sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  5. Deh, que análise bacana você fez de Enquanto eu te esquecia e gostei de saber que a autora e sua obra leva o leitor a fazer algumas reflexões até questionamentos, considero isso importante. Fiquei curiosa para saber o motivo que levou a protagonista a perder a memória e também quero saber o final surpreendente que você afirmou que a obra tem.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  6. Olá flor, adorei a resenha. A temática dessa obra é bem atraente, ainda não li, mas pretendo em breve.
    Eu também acho bem difícil resenhar obras famosas, uma por causa dos spoilers, mas o principal motivo é porque todo mundo já conhece a história mesmo...kkk

    Abraços

    ResponderExcluir