Resenha: O Labirinto no Fim do Mundo - Marcello Simoni


Título no Brasil: O Labirinto no Fim do Mundo
Título Original: Il Labirinto ai Confini del Mondo

Autora: Marcello Simoni

Editora: Jangada
Páginas: 389




Caríssimos leitores, o texto de hoje é para falar do mais novo livro do autor Marcello Simoni, um cara que pouco conheço, mas que já considero pacas. Tinha adquirido outra obra dele, em e-book, "O Mercador de Livros Malditos", mas se você é leitor constante e adora comprar livros como eu, deve ter alguns, ou vários, que sempre são colocadas mais para trás na fila de leitura.

Quando ganhei da editora "O Labirinto no Fim do Mundo", além de feliz, não tive mais desculpas para deixar de conhecer o italiano Marcello. 

Você pode estar se perguntando: que diabos esse autor fez para atrair sua atenção diante de um número cada vez maior de opções de leitura? 

A resposta é simples: ele escreve romance histórico.

Minha matéria predileta na escola era História. Sempre me encantou saber e compreender o maior número de fatos históricos possíveis, para melhor entender a humanidade que formamos hoje. Se eu tivesse uma máquina do tempo, com certeza conheceria primeiro o passado e desvendaria os maiores mistérios da humanidade. "Como foram construídas as pirâmides? E as estátuas da Ilha de Páscoa? E Stonehenge? Onde surgiram os primeiros humanos e o elo perdido? Como viemos parar na América e Austrália? Alguém pensou em dinossauros? E o Bing Bang?" Enfim, fiz essa mega saída do foco do texto para que você possa imaginar como fico animado ao encontrar História num divertido romance. Pra mim, esta é a melhor forma que existe de viajar no tempo. Se você conhece uma melhor, avise-me aí nos comentários.


Nesse quesito o livro é espetacular. Mesmo não sendo totalmente verdadeiro, vários personagens reais e de grande importância como Tomás de Aquino, Leonardo Fibonacci, Papa Gregório IX, Imperador Frederico II, tem seus caminhos cruzados com a linha da trama. Alguns personagens importantes para o livro, como o misterioso Michele Scoto, também existiram e isso deixa tudo ainda melhor. Alguns acontecimentos, como uma briga de bar em Paris, são inspirados em documentados acontecimentos da época.

Fãs desse gênero vão adorar, mas se você não é um aficionado por história também pode curtir este livro. Isto por que ele tem uma trama bem envolvente, que passa por várias cidades bem conhecidas. Na contra capa do livro encontrei algo que me fez torcer o nariz: "Revelador como O Nome da Rosa, Envolvente como Os Pilares da Terra, Misterioso como O Código da Vinci", sou totalmente contra essas comparações principalmente quando são feitas com o livro de Umberto Eco, que está entre os cinco melhores que já li. Mas depois de estar envolvido na leitura, fui obrigado a concordar com esta comparação. Sim, ele lembra e muito, com as devidas proporções, estas obras.

A Igreja Católica é apresentada com sua mão forte contra qualquer outro tipo de pensamento, e é possível notar como essa influência maligna atrasa e impede o desenvolvimento do conhecimento humano. É a caçada contra uma seita, que busca obter conhecimento e repassar suas descobertas a mola propulsora que move o livro. Temos uma noção bem clara do que era a inquisição e como ela influenciava a vida das pessoas daquela época.

Goste ou não de História, "O Labirinto no Fim do Mundo" é uma leitura gostosa, tão instigante que as páginas parecem virar sozinhas e você só se sentirá satisfeito quando encontrar a última. 


***

Sinopse do Skoob: Em 1229, o rastro de homicídios deixado por um violento cavaleiro acaba forçando o inquisidor Konrad von Marburg a investigar a misteriosa seita dos Luciferianos. Um mestre em medicina expulso da Universidade de Notre-Dame acaba atraindo as suspeitas do inquisidor, mas ele não será o único a cair nas mãos do religioso, ávido por entregar um culpado à justiça divina da Santa Inquisição Romana. O mercador de relíquias Ignazio de Toledo, chega a Nápoles e desperta a desconfiança de von Marburg. Descobrir uma forma de provar sua inocência não lhe será fácil. Ignazio inicia então uma longa e arriscada investigação que o levará a “Corte dos Milagres” de Frederico II, na qual se reúnem algumas das mentes mais brilhantes e esclarecidas da época. Estará o mistério da temível seita escondido entre os muros do palácio imperial? E o que escondem os Luciferianos de tão precioso que compense o sacrifício de tantas vidas?

Comente com o Facebook:

32 comentários:

  1. O legal de romances históricos é isso, é ter a ficção mas tem os personagens veridicos no meio, no qual deixa o livro rico em detalhes e em história também.
    Curti muito ver que mais um autor se aventura com romances assim ♥
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Helena, Marcello Simoni se aventura e se sai muito bem, o livro vale muito a pena. Obrigado pelo comentário

      Excluir
  2. Olá linda,

    Sempre preferi as disciplinas de Literatura e Filosofia na escola e isso recaiu muito sobre os livros, porque a "Filosofia" que traz as reflexões ao contexto histórico e não a História em si, porque gosto muito de livros que trazem novos olhares sob determinada época ou acontecimento, porque abre novas chances de compreensão do fato em si e o detalhamento de lugares maravilhosos.

    Beijos,
    booksmagiclove.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Joanice, mas sem o conhecimento destes fatos históricos e os responsáveis por ele acontecer não é possível fazer qualquer análise ou reflexão. Por mais filosofia que estude, não compreenderá o pensamento de uma época ou lugar se não conhecer a História envolvida.
      O livro trás uma visão bem legal da época sim.
      Abraços

      Excluir
  3. Romances históricos, são definitivamente um dos meus favoritos. Mas, ainda não li nenhum que coloca nomes de pessoas que já existiram ou por um escritor italiano. Quando o minha lista ficar um pouco "menor" espero conseguir ler ele.
    Beijos, Jaque.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto mais realidade inserida mais gostoso é de ler esse tipo de livro. Não sei a sua mas não importa o quanto eu leia a minha lista de leitura sempre cresce.
      Abraços.

      Excluir
  4. Olá,

    Eu também sou muito ligada em história. Adoro livros que relatam grandes nomes e se passam acontecimentos decisivos da história da humanidade. Não conhecia esse livro e com certeza vou procurar saber mais a respeito. Além do mais, quero ver como a influência da igreja católica é apresentada no livro e quero formar algumas opiniões a respeito. Fico feliz que sua leitura tenha sido satisfatória.

    Abraços
    colecoes-literarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vivianne legal compartilharmos deste gosto por conhecimento pelos momentos decisivos. O livro mostra uma imagem bem legal de como a Igreja Católica era importante, sem querer defender ou esculhambar.
      Abraços

      Excluir
  5. Tenho uma amiga que ama romances históricos, vou passar a dica p ela..
    Adorei a forma como resenhou o livro.
    um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Flávia se ela não conhece o autor com certeza irá gostar. Valeu pelo elogio a resenha.
      Outro abraço

      Excluir
  6. Acho legal romances históricos e curti muito a premissa do livro, sem contar que achei maior barato a capa do livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eai Rafael, bem legal a capa mesmo, mas o melhor é o conteúdo, se curte este tipo de romance pode ler sem medo.
      Abraços.

      Excluir
  7. Ahhh não conhecia esse livro! Fiquei encantada com a premissa e saber que é um romance histórico, pois gosto do gênero :D Sua resenha ficou muito boa e me encheu de curiosidade! Dica anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabrielly se vc gosta do gênero com certeza irá apreciar a leitura, valeu pelos elogios.
      Abraços

      Excluir
  8. Muito bacana, não conhecia.
    Eu tb iria para o passado se tivesse a oportunidade rsrs, sempre brinco dizendo que nasci na época errada. :P
    Não é muuuito o meu gênero de leitura, mas certas coisas me lembraram Dan Brown, que é um autor que gosto bastante.
    Abraços!
    www.viciadosemleitura.blog.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bianca não sei se nasci na época errada pois adoro tecnologia, mas conhecer o passado é algo que faço sempre que posso. Lembra bastante Dan Brown, imagine o Robert Langdon na idade média.
      Abraços

      Excluir
  9. Olá, não conhecia a obra e gostei bastante do título e do enredo. Acredito que seja uma ótima leitura, vou anotar a dica aqui.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raquel muito bom trazer uma dica de leitura nova para os leitores do blog. Além de ótima a leitura é divertida, aproveite.
      Abraços

      Excluir
  10. Olá, tudo bom? Assim como você, sempre tive como disciplina favorita na escola História! Confesso que isso me influencia muito em minhas leituras também pois assim como você sou louca por romances históricos e romances de época! Adorei saber que esse livro envolve personagens verídicos com uma trama envolvente, então a sugestão já está anotada! Parabéns pela resenha!

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo certo Polly, gosto muito de romances de época também. Fico feliz por vc ter gostado da dica e do texto, Abraços.

      Excluir
  11. Olá, que capa linda!!
    Eu gosto muito de livros com pegada histórica, tanto que um dos meus preferidos são a duologia pilares da terra do Ken Follet, quando leio livros com tantas informações preciosas e conhecimento, me sinto até um pouco mais inteligente hahahaha.
    Beijos e parabéns pela resenha, uma ótima escolha de leitura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Giuli, nunca li, mas tenho certeza que lerei "Pilares da Terra" só ouço coisas boas sobre o livro de Follet. Eu também me sinto mais esperto, mas acho q no fundo ficamos mesmo.
      Abraços e valeu pelo comentário.

      Excluir
  12. Também era apaixonada por história quando estava na faculdade e sempre curti livros que narrassem acontecimentos reais, principalmente porque é uma forma mais legal de aprender coisas novas. Fiquei bem interessada no livro e já o adicionei na minha lista.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriela, já leu o livro do Jorge Amado? Os livros históricos não só fazem agente aprender coisas novas mas tbm compreender melhor fatos q já conhecemos. Q bom q fiz sua lista ficar ainda maior.

      Abraços

      Excluir
  13. Oii,

    Não conhecia esse livro e gostei da sinopse, mas romances não são minha praia. Mas estou sempre aberta a ler histórias novas.

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço o comentário, e q bom q vc está disposta a ler coisas diferentes.
      Abraços

      Excluir
  14. Oie Marco!
    Não gosto muito de romance histórico ou história, mas você apresenta o livro de uma forma que me deixou bem curiosa! adoro quando os autores colocam a igreja como ela realmente era, vou procurar o livro para ver se eu leio!!
    Beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lumartinho, fico feliz por minhas palavras estimularem sua curiosidade. Com certeza vai gostar. Abraços

      Excluir
  15. Oie
    não conhecia o livro mas não tenho curiosidade no gênero então vou deixar a dica passar mas bela resenha e ica para quem curte esse tipo de leitura

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu por comentar Catharina, mas se vc pensar em experimentar algo diferente esta é uma ótima opção.
      Abraços

      Excluir
  16. Olá Marco,
    Adorei a premissa do livro e fiquei muito curiosa.
    O que mais me interessou foi o fato de o autor ter falado sobre a Igreja Católica.
    É um livro que pretendo ler, mas num momento específico.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bruna, valeu pelo elogio, o autor mostra a igreja de uma forma imparcial oq pra instituição não é muito bom, mas é importante pra quem quer conhecer a história como ela realmente aconteceu.
      Abraços

      Excluir