Momento Cultural: Músicas e Livros



Quando a Daya comentou sobre esse post, perguntando quem poderia escrever, duas perguntas vieram à minha cabeça imediatamente: É possível viver sem música? Todos os livros têm trilha sonora?

A minha resposta para ambas é: Não sei. Sinceramente, eu não sei, porque minha vida tem trilha sonora, então meus livros precisam ter também. Mesmo que os autores não tenham pensado nisso.

Vamos pegar uma das minhas atuais paixões, a série Gabriel (O Inferno, Julgamento e Redenção) de Sylvain Reinard. O(A) autor(a) criou dentro do livro uma playlist, com músicas que inspiram o romance ou que são péssimas recordações para o casal protagonista. Seja como for, em todas as cenas importantes do livro há uma música – ou várias.

Sylvain não é a única pessoa... Certo, eu sei que você está se perguntando porque toda vez que cito essa pessoa eu fico em dúvida sobre o gênero. Olha a explicação aqui (retirado do site da Editora Arqueiro):

Quase nada foi divulgado sobre a verdadeira identidade do autor por trás do pseudônimo Sylvain Reynard. Sabemos que ele é canadense, já escreveu vários livros de não ficção e tem um profundo interesse pela arte e pela cultura renascentistas. Mas, embora declare ser do gênero masculino, seus fãs têm uma forte suspeita de que na verdade S.R. seja uma mulher. Semifinalista ao prêmio de Melhor Autor e Melhor Livro no Goodreads Choice Awards de 2011, Reynard apoia diversas instituições de caridade e acredita que a literatura ajuda a explorar os diversos aspectos da condição humana, como o sofrimento, o amor e a redenção.


Agora que esclareci meu ponto. Vamos voltar ao assunto.



Sylvain não é a única pessoa que pensa e coloca em seus livros a trilha que move as personagens. A autora Jay Crownover, em sua série Marked Men, também usou essa estratégia. Dos – até o momento – seis volumes lançados (Rule, Jet, Rome, Nash, Rowdy e Asa), dois com certeza têm músicas listadas no final dos livros. Rule tem músicas espalhadas por todos os capítulos, assim como Rome e Rowdy. Asa eu ainda não li, porque não consigo comprar na Amazon, seja lá porque motivo doido for. E sem spoiler ou sinopse, mas estou curiosa para saber como a Jay vai fazer funcionar o romance do lindo sulista que cresceu à margem da lei (e quase morreu por isso) com a policial, marginalizada por sua beleza e história familiar. Algumas sugestões da Jay estão no final do post.

Como hoje tudo é referência, uma coisa inspira a outra, temos músicas que são inspiradas em livros e livros que são inspirados em músicas. Na minha modestíssima opinião, a mais famosa referência musical de livro que inspirou uma música é a composição do Gordon Sumner, um professor de literatura. A música é “Don't Stand So Close To Me”, do The Police. Ah! Gordon é o Sting e o livro que serviu de base é “Lolita” de Nabokov. Mesmo que alguns afirmem que é mais pessoal, já que o jovem e bonito professor era alvo de várias alunas. Vai saber.

E voltando à segunda pergunta que abriu o post (não se lembra mais não é verdade?! Eu repito: “Todos os livros têm trilha sonora?”). Eu acredito que todo autor, quando começa a escrever, tem algumas músicas que usa como referência. Então, sim. Todo livro tem uma trilha sonora. Ou melhor, todo livro tem milhões de trilhas sonoras. Porque cada pessoa que escolhe aquele livro para ler, cria sua própria trilha, pensa em músicas específicas para cada cena.

Poderia falar das emoções que são despertadas por determinadas músicas ou como a escolha de um autor pode nos fazer odiar o livro dele, mas eu sou bem eclética e escuto quase qualquer coisa, então para mim é ótimo quando o autor cria a trilha e divide com seus leitores, mas também é uma delícia quando tenho que criar minha própria playlist.


E a sua, qual seria?




Lista de músicas de Jet – Livro 2 Jet

  • Slayer: “Love to Hate” 
  • Danzig: “Twist of Cain” 
  • Neurosis: “Black” 
  • Metallica: “Master of Puppets” 
  • Dystopia: “Backstabber” 
  • Morbid Angel: “Rapture” 
  • Mastodon: “Black Tongue” 
  • Wolves in the Throne Room: “Astral Blood” 
  • Jucifer: “Contempt” 
  • Lacuna Coil: “Heaven’s a Lie” 
  • Memphis MayFire: “TheSinner”, “Vices”, “Prove Me Right” 
  • Venom: “Black Metal” 

Playlist de Nash e Saint – Livro 4 Nash

  • Blood or Whiskey: “Never Be Me” 
  • Band of Skulls: “Fires”; “Navigate” 
  • The Pixies: “Holiday Song” 
  • Deadstring Brothers: “Silver Mountain” 
  • Drive-By Truckers: “Everybody Needs Love”; “Lookout Mountain” 
  • Dropkick Murphys: “Echoes on ‘A.’ Street” 
  • The Kills: “Heart Is a Beating Drum” 
  • The Vines: “Outtathaway” 
  • The Tossers: “Alone” 
  • Flatfoot 56: “Son of Shame” 
  • Her Space Holiday: “No More Good Ideas” 
  • Sea Wolf: “The Cold, the Dark, and the Silence”; “Song for the Dead” 
  • The Pogues: “If I Should Fall from Grace with God”; “(And the Band Played) 
  • Waltzing Matilda” 
  • Johnny Cash: “Danny Boy”


Algumas músicas do blog de Sylvain Reynard (compilada por ele e pelos fãs)

  • “Sinister Kid” by The Black Keys. “That’s me, that’s me – the boy with the broken halo. The devil won’t let me be …” 
  • “Broken” by Livingstone. “Broken in silence, I adore you …” 
  • “Fix You” by Coldplay. 
  • “If You Only Knew” by Shinedown. 
  • “Arms” by Christina Perri. 
  • “A Drop in the Ocean,” by Ron Pope. *I enjoyed listening to this song very much. 
  • “Sigh No More,” by Mumford and Sons. 
  • “Entre tus alas,” by Camila. 
  • “In the End,” by Snow Patrol. 
  • “For The First Time,” by The Script. 
  • “I Love You,” by Sarah McLachlan. 
  • “Cloudbusting,” by Kate Bush. 
  • “Amazed,” by Lonestar.

Comente com o Facebook:

5 comentários:

  1. Oi, Bel!
    Eu, raramente, penso em trilha sonora para os livros que leio. Lembro que uma vez estipulei uma música para "A Seleção", hahaha. Foi a única vez. Era uma música do One Direction, hahaha.
    É legal a gente pensar sobre isso. Curti bastante o post!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Não sou nada ligada em música, e a presença de música nos livros muitas vezes mais me atrapalha que me ajuda. Essa coisa de playlist, então, nunca conseguiria criar e não me peça pra ouvir nada enquanto leio porque não consigo prestar atenção nas duas coisas! rs... Não sabia dessa história que ninguém sabe que é Sylvain, que legal esse mistério!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Oi Bel, sua linda, tudo bem?
    Eu não ouço música enquanto leio e confesso que durante a leitura também não penso em música. Por isso, não saberia criar um lista para cada livro. E confesso que já tentei ouvir as músicas que os autores escolhem e engraçado, elas não despertaram em mim o sentimento da leitura. Por isso acho que as listas são pessoais, pois o livro vai impactar de formas diferentes em cada pessoa.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  5. Oi Bel, tudo bem??
    Bem legal essa postagem, mas devo confessar que não me atenho a playlist, quando tem no final do livro, juro que nem olho direito, se tiver alguma música conhecida, até falo, hum colocou essa. Pode parecer contraditório o que vou dizer, mas eu gosto de ler livros que a música está presente, com nomes e até mesmo trechos e as vezes eu vou lá e escuto a música, e encaixo na cena, mas isso é bem raro de acontecer... geralmente leio meus livros com músicas eletrônicas, gospel ou black music, mas não porque eu estou ouvindo para ler, mas é porque me concentro mais assim, principalmente quando estou no ônibus... Mas acho super válido os leitores fazerem suas escolhas de músicas que combinam com os personagens ou cenas... acho incrível essa dedicação, gostaria de ser assim, mas sou uma pessoa doida... e olha só mais uma contradição... eu tenho uma história que fala de dança obviamente tem que ter música, então fui obrigada a construir uma playlist rs.... Xero!

    ResponderExcluir