Leituras da Mari: Entre o Agora e o Nunca


Título do Livro no Brasil: Entre o Agora e o Nunca
Título Original: The Edge of Never
Autora: J. A. Redmerski

Editora: Suma das Letras
Ano: 2014
Páginas: 359

Olá pessoal, hoje trago para você um livro que me irritou bastante, mas que geral amou. Então aqui vai meu primeiro conselho: não deixe de ler o livro por causa dessa minha resenha pois "eu sou a exceção no que se refere a essa obra". É claro que isso não quer dizer que o que falarei aqui não é uma realidade.

Geral enxerga nesse livro uma linda história de amor e desenvolvimento da confiança, além de superação. Eu vejo um amontoado de cenas de irresponsabilidade, conceitos absurdos e... Bem... Vocês vão entender na minha resenha.

No livro Entre o Agora e o Nunca conheceremos a história de Camryn Bennett, uma jovem de 20 anos completamente irresponsável que abandona o emprego do nada, sem dar aviso prévio (porque emprego é mole de conseguir e dinheiro nasce em árvore), porque ela resolve que "está na hora de mudar" e vai para rodoviária, onde compra uma passagem para o primeiro ônibus que fosse sair, sem se importar com o destino dele.

Ok, ok... O namorado dela havia morrido em um acidente de carro um ano antes e ela andava para baixo desde então, tendo como único consolo a amiga, Natalie, e o namorado da amiga resolveu dizer para ela que estava afim dela... Mas mesmo assim... Nem para os pais ela fala nada, simplesmente no lugar de ir para o trabalho vai para a rodoviária. E isso é posto no livro como "se aventurar", tipo, ótimo para ensinar senso de responsabilidade a um adolescente, não?

Na viagem de ônibus ela conhece Andrew, um rapaz lindo, que ela nunca tinha visto antes na vida até aquela tarde no ônibus, e então ela resolve que ele é confiável o suficiente para  que os dois façam uma viagem de carro, sozinhos, pelo interior de Estados que ela não conhece, porque  ele a salvou de um estupro no banheiro da rodoviária em uma das paradas.

Sim, porque isso vai super de acordo com o que todos os pais ensinam "confie em estranhos bonitos que demonstram UM ÚNICO ATO DE DESCÊNCIA e vá para lugares desconhecidos completamente sozinha com ele, é seguro!". Se fosse no Rio de Janeiro, ela não chegaria viva ao dia seguinte, provavelmente seria encontrada em uma vala, morta, depois de ter sido estuprada pelo "gatinho confiável". Mas continuemos...

Como se nada disso bastasse, na história também tem a célebre frase usada no filme (hoje em dia considerado antigo) Uma linda Mulher. "Sexo pode, mas beijo na boca não, é íntimo demais". Acho que aqui vale lembrar que quem falou essa frase no filme foi uma prostituta que vendia sexo e só podia mesmo decidir entre beijar ou não o cliente, mas no livro isso é pregado como uma máxima da pureza. Tipo, HEIN???

Resumindo a parte romântica da coisa... Eles vão se conhecendo ao longo da viagem, apaixonando-se, mas sem querer assumir, claro. E o carinha tem um segredo... Óbvio que ele tem um segredo! E uma tatuagem, e um corpo de matar de inveja muito homem por aí. Ah... E ele também sabe exatamente o que ela quer na cama levando-a ao clímax sem grande esforço.

Acho que é isso, gente. Entendo que muitas vão ODIAR a minha resenha, mas... Eu avisei lá no início que eu era a exceção. Além do mais, nenhuma de vocês tem como realmente dizer que falei alguma mentira aqui, tem? =)

Até a próxima!

***
Sinopse do Skoob: Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino.Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho. Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois.Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, Entre O Agora e O Nunca é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade

Comente com o Facebook:

31 comentários:

  1. Gostei muito de Entre o Agora e o Nunca.
    Geralmente New Adult são lotados de jovens com problemas semelhantes. Mas eu vi coisas interessantes no livro que você não viu :)
    A moça no caso estava bem devastada e acabou deixando um desconhecido chegar perto dela em uma viagem, acredito que quando tu precisa de um ombro amigo, uma viagem pode ajudar.
    É um livro com uma excelente narrativa, o casal é irresponsavel, mas Andrew no meu ver é um cara bem bacana que além de tudo ajuda bastante.
    Uma pena que não gostou do livro.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, eu até encontrei coisas positivas, e gostei do Andrew. Não achei o livro ruim, mas as coisas negativas dele me incomodaram demais e com isso também não consegui acha-lo bom ou um livro que eu recomendaria para uma adolescente.

      Mas concordo quando você diz que, às vezes, precisamos de um ombro amigo.

      Excluir
  2. Oi, Mari.
    O começo da resenha, com suas explicações a respeito da sua opinião, me fez lembrar de um livro que eu li (e que me irritou muito), mas que todos amam e acham lindo! (O Duque e Eu, só para constar, rs). É super normal termos opiniões que não seguem o rumo da maioria.
    Acredito que esse livro vá em direção da fantasia. As situações propostas pela autora, mesmo que "absurdas" podem ser verossímeis, e isso depende muito da autora. Não foi o caso?
    Gostei da sua posição. Parabéns por expor sua opinião verdadeira.
    A única coisa que não compreendi foi a respeito da frase do filme "Uma linda mulher".
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Thamiris. Eu explico a frase. No filme "Uma Linda Mulher", Vivan (a personagem interpretada pela atriz Julia Roberts) é uma prostituta que é contratada por Edward (o personagem interpretado por Richard Gere) para ser a acompanhante dele por uma semana.

      Vivian tem uma amiga, também prostituta, que é "mais experiente", embora seja mais nova e que a orienta a nunca beijar na boca porque beijar na boca é íntimo demais. Elas vendem o corpo e, por isso, deixam de considerar o ato sexual como forma de intimidade... Mas o beijo na boca é algo que elas podem recusar, então esse é o foco que elas dão para considerar se estão ou não se envolvendo emocionalmente... O beijo na boca, não o sexo.

      Excluir
  3. Eu nunca me interessei muito pelo livro, lendo sua resenha me desinteressei mais ainda, rs
    Não por que sua resenha foi ruim, pelo contrário fó ótima, você deixou os pontos do livro bem claro, mas a impressão que me passou é de que a autora faz tudo acontecer muito rápido entre os personagens.
    Parabéns pela resenha sincera.

    http://blogliteraturanacional.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! O livro tem pontos positivos e a maioria amou, achando um romance envolvente. A escrita é fluida e realmente envolve, mas eu não consegui superar as situações negativas. Simplesmente não consegui.

      Excluir
  4. Olá!

    Podemos dar as mãos. Odiei esse livro e nem consegui chegar ao final.
    Simplesmente não tive paciência para nenhum dos personagens, muito chatinhos na minha opinião.
    Sua resenha ficou ótima e parabéns por expor sua opinião com sinceridade.

    bjs
    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Fernanda! Eu posso dizer que até gostei do Andrew, mas no geral a história acabou por me irritar devido aos motivos que coloquei na resenha. Gostei de ter lido, mas não consigo recomendar em sã consciência.

      Excluir
  5. Olá Mari,
    Adorei sua resenha e, sinceramente, consigo entender porque você não curtiu a leitura. pra mim, é inadmissível que uma pessoa, simplesmente, decida largar tudo e conhece um cara que é totalmente confiável. Isso me incomodaria muito.
    Entretanto, tem uma olha da autora, A Morte de Sarai, que é muito bom.
    Parabéns pela resenha e obrigada por expor seu ponto de vista de forma sincera.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna, muito obrigada! Eu sou meio "chatinha" com algumas coisas. Gosto de livro new adult, embora raramente dê cinco estrelas, já dei quatro estrelas várias vezes. Mas essa coisa de "fazer tudo 'errado' (ou seja, de forma bem perigosa para a própria vida) e ainda dar absolutamente tudo certo tende a me deixar bastante irritada.

      Excluir
  6. Olá! Não me sinto atraída pelo livro, mas não descarto a possibilidade de vir a realizar a leitura um dia, pois gosto muito do gênero. Sua resenha, apesar de negativa, abre os olhos dos leitores para um outro lado do livro, que fica oculto pelo "romance" e mocinho "perfeito". Obrigada pela sinceridade.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois então, Grabrielly... Todas as resenhas que eu lia sobre esse livro eram justamente elogiando como o romance era fofo. Não vi ninguém criticando esses pontos que tanto me angustiaram e, assumo, senti-me enganada ao ler e ver todos eles.

      De romance fofo passou para uma situação potencialmente suicida onde tudo dá certo porque... bem... nada é real. Fiquei com bastante medo das jovens de mente fraca (não todas as jovens, apenas as de mente fraca) que podem ter lido esse livro e achado que aquilo sim era uma verdadeira aventura e uma forma de achar o amor real.

      Excluir
  7. Olá,
    Adorei a sua resenha, super sincera. Esse é um livro que eu sempre tive vontade de ler, mas, sempre deixei de lado por achar que a história ia acabar sendo mais do mesmo. Talvez algum dia eu acabe lendo ele, mas, não agora. :)

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se é mais do mesmo, não posso garantir. É flui de forma até agradável de ler... Quando você nota, o livro já acabou. Mas eu não consegui superar essas partes que tanto me irritaram.

      Excluir
  8. Adorei esse livro e sua resenha também! Li e notei muitas coisas boas que a vida pode nos proporcionar e com apenas uma chance. Espero que um dia esse livro vá parar nos cinemas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha que legal e diferente. Você adorou o livro e a minha resenha ao mesmo tempo, mesmo a minha resenha sendo focada no fato de que eu não gostei do livro. Prova de que dá para ter os dois pontos de vista e ainda assim amar a obra.

      Excluir
  9. Oi Mari!
    Por incrível que pareça eu ri com a sua resenha! Não pelo que foi escrito, mas pela forma como você escreveu! Dava pra ver que você ficou revoltada mesmo... rsrs Juro pra você que super entendo sua colocação, eu mesma pararia pra pensar nestes mesmos pontos. Mas atualmente, se enfiar em roubadas e sair com completos desconhecidos está na moda (pode ter certeza que se fosse aqui no RJ a moda era o cemitério....). Essa romantização de irresponsabilidade inverte os valores e deixa tudo muito inverossímel. Já não gosto de romancinho, daí então... Ms seu texto? Show!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk Nuccia, só você mesmo para rir da minha insanidade ao escrever uma resenha kamikaze dessas. kkkkkk

      Mas sério, super concordo contigo que "se fosse no RJ a moda era o cemitério" e foi isso que mais me angustiou. Imagina o tanto de gente fazendo isso? O tanto de adolescente que pode nunca mais ter voltado para a casa porque achou que um lindo estranho poderia ser o amor da vida dela se ela apenas confiasse cegamente?

      AGONIA!!!

      Excluir
  10. Olá,

    Eu sou uma das pessoas que tanto amou o livro haha. Bom gostei das suas críticas, mas acredito que cada livro possui um foco, este com certeza não tinha o intuito de alertar as pessoas a respeito do perigo de conhecer estranhos, de viajar sozinha entre outras coisas. O mundo que a autora nos apresenta, reflete o amor, a perda, a superação e a luta por pessoas que amamos. E principalmente algo que aprendi muito nessa história foi saber perdoar e tentar ver a vida com outros olhos, nem sempre o que as pessoas fazem são para nos atingir, mesmo que pareça ser exatamente isso que elas fazem. Eu gostei muito do livro. O segundo volume que não me agradou tanto, mas quanto a este, achei o romance bem desenvolvido e os personagens secundários são excelentes também. Uma pena você não ter gostado, mas lhe desejo melhores leituras futuramente.

    Abraços
    colecoes-literarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vivianne, achei lindas as coisas que você aprendeu com o livro. Sério. Seu comentário foi ótimo!

      Realmente, esses são pontos positivos do livro. Ele fala sobre o perdão e sobre a necessidade de lutar pela vida. Mas eu, infelizmente, não consegui superar aqueles outros pontos. Como disse, uma coisa muito pessoal e que muitos podem nem ligar.

      Excluir
  11. Eu sempre digo que literatura é arte e como tal é subjetiva. É claro que um livro tem que seguir padrões de gramática e outras coisinhas, mas o gostas é de cada um. Entendo você perfeitamente, já li muitos livros amados e que não me agradaram. Em resumo achei divertida a maneira como você abordou.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Nelmaliana. E você está certíssima, a leitura é realmente uma arte completamente subjetiva e gostar ou não de uma obra não quer dizer que ela seja boa ou ruim. É muito mais relacionado ao nosso gosto particular do que à obra em si.

      Excluir
  12. Puxa vida, não precisava detonar o Rio... :/ Isso é bem coisa de livro mesmo, mas, fazer o que, eu adoro essa duologia.
    www.viciadosemleitura.blog.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas Bianca, convenhamos... É verdade! Morei no Rio praticamente toda a minha juventude, adolescência e parte da vida adulta e, mesmo sendo uma cidade maravilhosa, é também uma cidade repleta de perigos ocultos. ;)

      Excluir
  13. Oii,

    Tenho esse livro em e-book, mas ainda não li. Mas tenho interesse em ler, por ter uma história linda e também pelos comentários positivos.

    Bejios

    ResponderExcluir
  14. Menina!!!!!

    Que show!!!!

    Amei...amei...amei sua resenha!!!! Eu nunca vi uma resenha negativa ser tão divertida!!!! Sério!!!!! Sua ironia e seu sarcasmo na medida exata pra explicar porque não gostou da obra só me convenceu....pois tu pontuou o negativo (que dependendo de quem lê, pode ver como positivo) de forma extraordinária!

    Eu até tinha uma vontade de ler esse livro, mas agora,lendo suas considerações, tenho que concordar que é meio fora da realidade demais mesmo!!!!

    Parabéns pela resenha e pela sua (divertidíssima) sinceridade!!!!

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkk. Muitíssimo obrigada! Fico feliz que tenha se divertido ao ler a resenha. =)

      O que vejo é que muita gente passa por cima dos fatos negativos por focar no romance. Eu, infelizmente, passei por cima do romance por não conseguir superar o que considerei fatos negativos.

      Faz parte...

      Excluir
  15. Hi baby, tudo bem? adorei sua resenha, dei muita risada com a sua escrita espontânea e divertida hehe olha ainda não li esse livro mas acredito que se um dia eu ler ficarei com as mesmas inquietações que você,não engulo fácil essas atitudes "aventureiras" dos jovens nos livros! parabéns pela ótima e corajosa resenha <3

    Lilian Valentim
    http://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
  16. Mari eu tive que rir, desculpa amiga... Kkkkk Eu não li o livro, mas acho que tudo que você disse me irritaria, como assim beijo não pode e sexo pode? A parte do RJ eu ri, sou carioca, só quem realmente conhece o rio vai entender o quanto ela estaria ferrada fazendo o que fez lá....
    Parabéns pela resenha!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  17. Olá, sempre vejo ótimas críticas sobre o livro e confesso que fiquei assustada com sua resenha. Uma nota bem baixa para um livro tão adorado...kkkk
    Mas é assim mesmo, ninguém é obrigado a gostar de tudo que é "modinha".

    Abraços

    ResponderExcluir