Momento Cultura: Grandes Autoras

Lygia Fagundes Telles



Minha paixão por Lygia Fagundes nasceu de uma pequena coincidência: fazemos aniversário no mesmo mês. Quase no mesmo dia. Como eu acredito que todo ariano é genial, precisava que conhecer a obra dela. Não me lembro de algum professor indicar Lygia como leitura obrigatória, mas como nunca fui de ficar parada e ler é um prazer corri atrás de alguns livros e contos.

Antes de falar sobre a obra, vamos conhecer um pouco da vida dessa escritora indicada para o Nobel de Literatura?

A primeira autora brasileira a ser indicada ao prêmio Nobel, Lygia de Azevedo Fagundes nasceu em São Paulo, em 19 de abril de 1923, e cresceu em diferentes cidades do interior do Estado. Seu pai, Durval de Azevedo Fagundes, atuou como promotor público e também delegado. A mãe, Maria do Rosário de Azevedo (Zazita), era pianista.

Seu pai gostava de jogos de azar e sempre levava seu amuleto da sorte, a filha. Por isso ela uma vez afirmou:
"Na roleta, gostava de jogar no verde. Eu, que jogo na palavra, sempre preferi o verde, ele está em toda a minha ficção. É a cor da esperança, que aprendi com meu pai."
Começou a criar histórias ainda criança, graças aos contos, lendas e narrativas ouvidas dos pajens que a tutoreavam. Quando a família voltou a fixar residência em São Paulo, Lygia estudou na Escola Caetano de Campos e em seguida ingressou na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, da Universidade de São Paulo, onde se formou. Quando era estudante do pré-jurídico, cursou a Escola Superior de Educação Física da mesma Universidade. Foi nesse período que conheceu grandes nomes do modernismo como Mário e Oswald de Andrade, entre outros, nas rodas literárias que participava. Ativa politicamente, participou, junto com colegas de curso, de inúmeros protestos contra o Estado Novo.

Em 1950 casou-se com seu ex-professor, o jurista Goffredo da Silva Telles Jr., o que ocasionou sua mudança para a então Capital Federal, já que seu marido era deputado federal.

Ficou apenas dois anos no Rio de Janeiro e ao retornar para São Paulo em 1952, quando deu início ao seu primeiro romance.

Seu casamento chega ao fim dez anos depois e no verão de 1962 ela começa um romance com Paulo Emílio Salles Gomes; mesmo ano em que ela começa o romance As Meninas, baseado no momento político que vivia o país.

Vinte anos depois, em 1982, ela foi eleita para cadeira 28 da Academia Paulista de Letras e, em 1985, para ocupar a cadeira 16 da Academia Brasileira de Letras, fundada por Gregório de Mattos, na vaga deixada por Pedro Calmon.

Algumas obras da autora

IndividuaisContos:

Porão e sobrado, 1938
Praia viva, 1944
O cacto vermelho, 1949
Histórias do desencontro, 1958
Histórias escolhidas, 1964
O jardim selvagem, 1965
Antes do baile verde, 1970
Seminário dos ratos, 1977
Filhos pródigos, 1978 (reeditado como A estrutura da bolha de sabão, 1991)
A disciplina do amor, 1980
Mistérios, 1981
A noite escura e mais eu, 1995
Venha ver o por do sol
Oito contos de amor
Invenção e Memória, 2000 (Prêmio Jabuti)
Durante aquele estranho chá: perdidos e achados, 2002
Meus contos preferidos, 2004
Histórias de mistério, 2004
Meus contos esquecidos, 2005

Romances:

Ciranda de pedra, 1954
Verão no aquário, 1963
As meninas, 1973
As horas nuas, 1989

Prêmios:

Prêmio do Instituto Nacional do Livro (1958)
Prêmio Guimarães Rosa (1972)
Prêmio Coelho Neto, da Academia Brasileira de Letras (1973)
Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro (1980)
Prêmio Pedro Nava, de Melhor Livro do Ano (1989)
Melhor livro de contos, Biblioteca Nacional
Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro
Prêmio APLUB de Literatura
Prêmio Jabuti (Ficção) (2001)
Prêmio Camões (2005)

Dados obtidos em livros da escritora, outras publicações, na Internet e na revista "Cadernos de Literatura Brasileira - Instituto Moreira Salles e no site da Academia Brasileira de Letras.

Comente com o Facebook:

19 comentários:

  1. Já li Venha ver o por do sol e Ciranda de Pedra, ambos ótimos :)

    http://bloglucidezembriagada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ciranda de Pedra virou novela, contou até com a própria Lygia ajudando na adaptação. Muito bom mesmo.

      Obrigada pela visita!

      Excluir
  2. Olá!
    Sem dúvidas a Lygia é um dos grades nomes da literatura brasileira. A conheci através de Ciranda de Pedra, que acredito ser sua obra mais conhecida.
    Achei muito interessante sua iniciativa de falar um pouco sobre nossos grandes nomes da literatura. Com certeza merece destaque. Precisamos conhecer e apostar nos novos autores, sem esquecer dos nossos clássicos.
    Abraços!
    https://blogladoescuro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andei sentindo falta de um espaço para valorizar a cultura, não só a brasileira, mas muitos nomes da literatura mundial estão sendo relegados em detrimento de coisas sem conteúdo, ou até mesmo que incitam a violência. Todo mundo concordou que valia a pena lembrar o que é bom.

      Excluir
  3. Oie, li o livro As Meninas quando estava no ensino médio e não foi uma leitura que fluiu. Ainda não estava pronta para ler aquilo. Anos depois, reli e foi uma experiencia maravilhosa. Ela sabia lidar com as palavras, construir personagens e nos prender na leitura. Quero ler os outros livros e espero fazer em breve!!!
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ivi, desculpe a demora em responder.

      Adorei seu comentário, porque isso é uma coisa que pouca gente entende, temos que estar no momento certo para ler aquele determinado autor. Já comecei livros que odiei, porque não era o momento de ler aquele livro em particular.

      Obrigada pela visita.

      Excluir
  4. Olá... Bel...
    Interessante... não conhecia a autora... e quantos prêmios ela ganhou... lendo sua história de vida... jamais imaginei que ela seguiria para este lado da literatura rs... ela fez Educação Física... é sempre bom ler postagens assim porque conhecemos um pouco mais das pessoas que fizeram o nosso passado literário... xero!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Diana,

      faz nosso presente, ela está bem viva e ainda na ativa! Uma escritora iluminada, que destila talento em seus escritos.

      Obrigada pela visita.

      Excluir
  5. Olá Bel,
    Arianos são demais (risos)
    Eu conheci a autora através de uma amiga que terminou de ler As Meninas e falou muito bem do livro.
    Por esse motivo, foi graças ao seu post que conheci um pouco mais da autora e achei fantástico.
    Adoro ver esse tipo de postagem *-*
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna,

      arianos são o máximo. rsrsrsrs

      Os livros da Lygia são uma delícia. Demorei um pouco a me apaixonar pelo estilo em que ela escreve, mas hoje não largo mais.

      Excluir
  6. Oiee ^^
    Quantos prêmios! *-* Ainda não conhecia a autora, muito legal ela ter sido a primeira autora brasileira a ser indicada ao Nobel, só prova que ela deve ser mesmo muito boa, né?! Fiquei curiosa para conhecer suas obras, e saber que você gosta tanto dela só me deixou ainda mais animada para conhecê-la melhor.
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dhry,

      Lygia é fantástica, excelente escritora. No mesmo nível de Clarice Lispector e outras grandes nacionais

      Excluir
  7. Olá!!!
    Como surgem os interesses pelas coisas, no seu caso foi a autora fazer aniversário no mesmo que que o seu e ser do mesmo signo. Ela é uma referencia de nosso literatura e devemos dar seu devido valor, com tantas obras escritas e prêmios ganhos. Obrigada pelo post detalhado e de muito bom gosto.

    Beijos
    Carla Fernanda
    http://livrosqueliblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Bel,
    Eu não conhecia, acredita nisso? gostei de saber um pouco mais sobre a vida da Ligia e como ela começou a escrever quando criança. Nunca tinha ouvido falar de nenhuma das obras, mas agora eu fiquei curiosa para conhecer

    ResponderExcluir
  9. "todo ariano é genial" há! Concordo ;D
    Nunca li nada da autora, mas quero muuuito! Principalmente As Meninas e Ciranda de Pedra; duas obras que me chamam muito atenção.
    Adorei o post!! <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá! Já ouvi ótimos comentários a respeito da Lygia e, sinceramente, não sei o motivo de ainda não ter lido suas obras. Me interessei bastante por As Meninas pelo fato de o enredo ter como cenário a política do país. É notável a importância da autora na literatura e é gratificante ver que muitas mulheres estão seguindo seus passos e ganhando espaço no mercado editorial. Adorei a sua homenagem a ela. :3

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart,
    Império Imaginário.

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    A Lygia é uma grande autora, muito famosa por seus prêmios e fico realmente feliz em saber quando brasileiros são reconhecidos no mundo todo, como é o caso dela.
    A escrita dela é complexa, nos faz refletir sobre a vida, sobre as coisas passageiras que damos tanta importância, eu gosto bastante.
    Adorei o post, onde conhecemos melhor um pouco mais da vida dela.
    Abraço!

    Karla Samira
    http://www.pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. A Lygia é uma mulher fantástica! Estou torcendo para que ela ganhe o Nobel esse ano.
    Os contos dela são muito bons!
    Abraços.

    Minhas Impressões

    ResponderExcluir
  13. Oii, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia a autora e nenhuma das obras dela, mas pelo que vi do seu post e dos comentários, ela é maravilhosa! Espero sinceramente ter a oportunidade de ler algo dela.

    ResponderExcluir