Momento Cultura: Filmes de Natal



Todo mundo gosta de Natal, certo? Errado! Nem todo mundo é fã de Natal ou das Festas de Final de Ano. Agora uma coisa que ninguém pode negar é que filme de Natal é uma delícia. OK, podemos negar até isso, alguns não merecem o tempo que ficamos assistindo. Vou salvar as coisas boas e falar de alguns bons filmes de Natal.

Eu tenho um vício, todo ano assisto O Milagre da Rua 34 (Miracle on 34th Street), gosto do mais antigo, de 1947. É uma história singela: Papai Noel vem à Terra e ajuda uma menininha a realizar seu sonho de Natal: ter uma casa bonita e uma família feliz.



Outro vício? A Felicidade não se Compra (It's a Wonderful life). Esse é de 1946, e é uma lição de vida. Choro todo ano. E sabem a melhor parte? Vários seriados usam esse filme para os episódios especiais de Natal: George Bailey é o amigo que todos querem. Gente boa, ele ajuda todo mundo, doando-se, sendo um bom pai e marido. Até que o homem mais rico da cidade arma contra ele e, em desespero, George tenta se matar na véspera do Natal. Todos na cidade, que foram ajudados por George, oram por ele, então Clarence, um anjo em treinamento, aparece para mostrar a George como seria o mundo se ele não existisse. Parece um filme triste, né? Esqueça! É uma obra prima, sensível e envolvente.

Mas ainda não acabou! Outros filmes de Natal que indico vêm a seguir, porém agora vamos tentar pegar alguns mais coloridos.

Duro de Matar 1. Sério. Eu amo esse filme de Natal. Bruce Willis (gato) salvando um prédio, onde está sua ex-mulher, de terroristas e melhor, durante uma festa de Natal.

Trocando as Bolas, também é dos anos 1980, mas é fantástico ver duas pessoas nada a ver trocando de papéis: um rico e outro morador de rua; ambos se adaptando a sua nova realidade. História cheia de graça, uma comédia das boas.

Apesar de ser com Jim Carrey, que não gosto de maneira nenhuma, Os Fantasmas de Scrooge é um filme que vale a pena colocar na lista. Em 2009, a Disney apostou no famoso conto de Dickens para criar uma fábula com o careteiro Carrey como o adorável avarento.

Romance? Temos também! Simplesmente Amor. Seis histórias, meio entrelaçadas, de amor que acontecem no Natal. Ah! Rodrigo Santoro faz uma participação, hilária, no filme.

Para terminar, Um Homem de Família. Levemente inspirado em A felicidade não se compra, ele conta a história de Jack Campbell, rico, bonito, bem sucedido e solteiro. Infeliz e entediado, ele um dia se pergunta como seria sua vida se ele tivesse se casado com a namoradinha de infância. Um anjo diz amém e... Ele acorda casado, com filhos, dívidas e pobre. Agora tem que descobrir se ser rico e sozinho é melhor do que ser casado e pobre.


Sentiu falta de uma penca de filmes, né? Bom, essa foi a minha lista. Monte a sua e me conte, vou adorar saber o que vocês assistem no Natal.


Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Adorei a postagem. Mas parei para pensar e não sei quais filmes de natal já vi. Essa semana assisti na globo, mas não anotei o nome e amei. Acho que é "procura-se desesperadamente por um papai noel", romance, tudo de bom! Mas vou tentar lembrar, amo filme, estou sempre assistindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bianca, tenho uma lista gigantesca de filmes de ou que se passam no Natal. Nada recente, confesso, porque acho que o cinema parou de se reinventar e anda meio chatinho.

      Excluir
  2. Amiga, você tem uns hábitos estranhos. Por isso que eu gosto de você! Kkkk Ótimo post, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só porque assisto o mesmo filme todo ano? O filme é bom. A Felicidade não se Compra é um clássico que todos os seriados homenageiam! rsrsrsrs

      Excluir
  3. Filmes de natal são tudo de bom, mas não assisti nada hoje kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mais fácil encontrar filmes de Natal do que de Ano Novo! Mas qualquer dia é dia de assistir um bom filme de Natal.

      Excluir
  4. Filmes natalinos têm um clima muito gostoso! Né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto de quase todos, ultimamente não tenho coração para filmes muito sentimentais.

      Excluir