Venham Conhecer: Mariposa, autora Patrícia Baikal


Caso o Vídeo não esteja abrindo, abaixo tem a descrição do que foi dito.


"Olá leitores do Conchego da Letras, meu nome é Patrícia Baikal e eu sou a autora de Mariposa.

O livro se passa em 2020 e conta a história de um jovem senador chamado Nicholas que desvenda crimes de corrupção no Senado Federal. 

Ele só não contava com a ajuda de uma mulher mascarada e de identidade desconhecida, a Mariposa. E também de uma organização política e secreta, a Ordem. 

Eu convido vocês a acessarem a página do Facebook do livro. Mariposa, Asas que mudaram a direção do vento. E também a conhecerem o meu blog, http://www.palavrasdebandeja.com.br/, onde toda semana eu escrevo contos inéditos.

Um Beijo."

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Não conhecia a autora Patrícia Baikal, mas confesso que a premissa que ela nos apresentou através do vídeo relacionada a Mariposa me cativou bastante. Gostei muito da história passada em 2020 e das máscaras dos políticos caindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito agradável vermos uma autora nacional tratando um tema tão polêmico como a corrupção na política. Em breve teremos resenha de Mariposa aqui no blog também!

      Excluir
  2. Estamos precisando do Nicholas e da Mariposa em 2015.
    Quem sabe eles dariam um jeito em nossos políticos né rsrss.
    Patrícia Baikal sucesso linda <3
    Adoro contos então vou correndo conhecer o blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Fernanda. Quem sabe se todos os brasileiros começarem a ler Mariposa alguns deles não se animam e tornam o livro um pouco real?rs

      Excluir
  3. Não conhecia o livro Mariposa. E só pela pequena resenha, já estou entusiasmado para ler o livro. Adoro livros assim, que contém um pouco de ação, e nesse livro só pelo que foi falado podemos esperar muita coisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale a pena Gustavo. É uma temática bastante diferente em termos de literatura nacional. Temos isso em jornais e no nosso dia a dia, é verdade, mas não temos livros ficcionais tratando sobre o tema dessa forma.

      Leia e depois conte pra gente o que achou... Que tal?

      Excluir