Momento Cultura: O Advogado do Diabo




Direção: Taylor Hackford
Roteiro: Tony Gilroy
Elenco: Al Pacino (John Milton), Keanu Reeves (Kevin Lomax), Charlize Theron (Mary Ann Lomax), Jeffrey Jones (Eddie Barzoon), Judith Ivey (Mrs. Alice Lomax), Connie Nielsen (Christabella Andreoli), Craig T. Nelson (Alexander Cullen), Tamara Tunie (Mrs. Jackie Heath)
Preparem seu orgulho. Sua vaidade será testada, sua gula saciada, sua ira provocada e a avareza posta à prova. A luxúria está em todos os lugares. Será impossível não sentir inveja e a preguiça não será admitida. E o livre arbítrio? Hora, ele é uma piada jogada sobre os Homens.

Sim, hoje vou falar sobre O Advogado do Diabo! (aplausos, muitos aplausos. Obrigada!)


Sou simplesmente apaixonada por alguns atores. Paixão a ponto de assistir (quase) qualquer coisa que eles façam. E existem personagens que são tão difíceis e complexos para interpretar, além de mal vistos, que precisam de um grande ator para encarar o desafio. No caso, não tão grande, porque o Al Pacino tem "só" 1,70 de altura. Em uma época de atores com mais de 1,90, é quase ser anão, rsrsrs

Mas vamos lá, corria o ano de 1997, Keanu Reeves (você está lendo esse nome e pensando “Quem?”... O cara de Matrix. Ajudou?) amargava vários fracassos de crítica, público e bilheteria, motivados por péssimas escolhas de roteiro e uma carreira que sinceramente ia ladeira abaixo. Porém quando Brad Pitt recusou o papel de Kevin Lomax em O Advogado do Diabo os produtores não pensaram duas vezes, “Vamos chamar o Keanu, ele é perfeito para o papel”.

O astro de Caçadores de Emoção e Garotos de Programa caiu como uma luva no papel de Kevin Lomax, brilhante advogado de uma cidade pequena no interior da Flórida, que nunca perdeu um caso em sua carreira. E que, no momento em que é convidado para integrar o elenco de uma das maiores firmas de advocacia dos Estados Unidos, vê todos os seus sonhos se tornarem reais.

Mas até onde você iria para realizar seus sonhos?

E aí entra Al Pacino e a melhor fala de todos os tempos em um filme:

“Deixe-me dar algumas informações sobre ele. Deus gosta de olhar, é um gozador. Pense: ele dá instintos ao homem. Ele dá esse dom extraordinário e aí o que ele faz? Eu juro que, para sua própria diversão, para sua comédia cósmica particular, ele cria regras em oposição a isso. É a maior piada de todas: Olhe, mas não toque. Toque,mas não prove. Prove, mas não engula... Enquanto você pula de um pé para o outro, o que é que ele faz? Ele fica mijando de tanto rir! Ele é um sacana, um sádico! É um patrão ausente. Adorar isso? Nunca!”.

Pacino interpreta John Milton (brincadeira do autor do livro e do roteirista com o famoso autor de Paraíso Perdido, sobre a queda de Lúcifer). 

Sinceramente, eu acho que o filme é muito melhor que o livro do Andrew Neiderman. Diz a lenda que Pacino recusou o papel cinco vezes até que fossem feitas alterações no roteiro, que ele considerasse adequadas ao personagem. E as alterações funcionaram, porque o filme é ótimo, muito mais emocionante e envolvente que o livro.

As subtramas e reviravoltas do enredo prendem o espectador. Por isso é difícil contar muito sobre o filme (ou livro), porque tudo é spoiler. Tudo revela detalhes insignificantes que no final fazem toda a diferença para entender a história. Todos os personagens são importantes.

Mas posso dar três dicas:
DICA 01: Atenção para a primeira cena do tribunal, o julgamento por pedofilia.
DICA 02:Atenção para a cena em que a mãe de Lomax conhece o futuro patrão do filho.
DICA 03: Atenção redobrada para a última cena do filme.

***

Sinopse Adoro Cinema: Kevin Lomax (Keanu Reeves), advogado de uma pequena cidade da Flórida que nunca perdeu um caso, contratado John Milton (Al Pacino), dono da maior firma de advocacia de Nova York. Kevin recebe um alto salário e várias mordomias, apesar da desaprovação de Alice Lomax (Judith Ivey), sua mãe e uma fervorosa religiosa, que compara Nova York a Babilônia. No início tudo parece correr bem, mas logo Mary Ann (Charlize Theron), a esposa do advogado, sente saudades de sua antiga casa e começa a testemunhar aparições demoníacas. No entanto, Kevin está empenhado em defender um cliente acusado de triplo assassinato e cada vez dá menos atenção sua mulher, enquanto que seu misterioso chefe parece sempre saber como contornar cada problema e tudo que perturba o jovem advogado.

Comente com o Facebook:

10 comentários:

  1. Bel, gostei muito desse filme quando vi. Faz bastante tempo, é verdade. Mas lembro deste detalhe. Suas dicas são ótimas! Foram quase um spoiler, mas o que não é spoiler em relação a esse filme?rs

    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O grande spoiler do filme é: Al Pacino aceitou fazer um papel no filme chamado O Advogado do Diabo.... Don Corleone não seria um simples advogado!

      Excluir
  2. Oi Bel, tudo bem?
    Eu adoro este filme. A atuação de Al Pacino é brilhante, e o filme é show!
    Confesso que todo vez que assisto sinto arrepios em algumas cenas... kkkk
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Al Pacino dá show quase sempre, muito bom ator. Também adoro o filme Lia

      Excluir
  3. Bel eu amei esse filme assisti umas 3 vezes pensando em assistir pela quarta rsrsrs
    Keanu Reeves não sei porque me faz assistir todos filmes dele( odeio matrix) mas assisto por ele <3
    Al Pacino dispensa apresentações e foi o diabo perfeito kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nanda, eu tenho problemas com o Reeves, acho muito fraquinho. Mesmo tendo assistido Caçadores de Emoção umas 15 vezes, mas tinha o Patrick "Dirty Dancing" Swayze. Enfim... Em O Advogado ele tem uma atuação menos ruim, não sei se por vergonha de fazer feio pro Pacino ou pq o diretor é bom.
      Pensando em termos de diabo, o do Pacino é o clássico: irreverente, sarcástico, bon vivant. Mas o DeNiro em Coração Satânico ainda é o dono do meu coração rsrsrsrs

      Excluir
    2. Bel,Reeves ganhou meu coração quando assisti "caminhando nas nuvens" adoro romances e ele tava tão perfeito ali rsrsrsrs

      Excluir
    3. Hahahahahaha, Nada, eu sempre acho que ele parece o bonequinho da Barbie e que só tem duas expressões: tédio e tédio profundo. Tenho uma amiga que sempre me xinga quando falo isso!

      Excluir