Leituras da Mari: A Herdeira



Título no Brasil: A Herdeira (Série A Seleção)
Título Original: The Heir
Autor(a): Kieara Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 390



Olá pessoal! Vocês devem estar estranhando essa resenha não ter vindo com a sinopse do Skoob logo de cara, né? Mas eu explico. A sinopse do Skoob está, dessa vez, ao final da resenha porque A Herdeira é mais um livro da série A Seleção (para ver resenhas anteriores dessa série, clique AQUI) e sua sinopse dá um baita Spoiler sobre basicamente todos os livros anteriores. 

Diferente dos livros anteriores de A Seleção, que são todos contados pela visão de America, uma das participantes de A Seleção que tinha seu coração dividido entre Aspen e Maxon, A Herdeira conta a história da filha de Maxon com sua esposa pelo ponto de vista de Eadlyn, a filha. Então, se você ainda não leu A Seleção, não leia este ou ficará sabendo quem foi a escolhida por Maxon e que fim levaram várias das selecionadas, inclusive America.

Então, não recomendo que leia a sinopse e nem essa resenha se você não terminou de ler os livros anteriores. Depois não vão dizer que não avisei...

Como esse post vai ficar grande (não consegui reduzir), vou dividi-lo em tópicos e aí cada um lê o seguinte se gostar do tema.

A RESENHA EM SI

A série originalmente seria uma trilogia e terminaria em A Escolha, mas nesse ano de 2015 todos fomos surpreendidos com o lançamento de mais um livro... A Herdeira. Sinceramente achei o nome uma péssima estratégia de marketing porque, convenhamos, qualquer leitor com um mínimo de astúcia e experiência literária consegue ligar os pontos e já passa a ter certeza do final dos três livros anteriores com base nesse título.

Em A Herdeira conheceremos Eadlyn, a primogênita de nosso fofo casal America e Maxon. Desde seu nascimento, apenas alguns minutos antes de seu irmão gêmeo, é treinada para ser a futura rainha. É a única filha mulher do casal, que tem ainda mais dois meninos, obviamente mais novos que Eadlyn.  (eu disse pra você não ler, pessoa que não leu a trilogia completa. O que você está fazendo aqui? Agora não reclama! Eu avisei!). 

Juntos, Maxon e America eliminaram o sistema de castas e mudaram a lei para que o primogênito pudesse herdar a coroa independente do seu sexo. O problema agora é que de acordo com a natureza do ser humano "ninguém nunca está satisfeito com o que tem, sempre querendo mais" e revoltas tornaram a aparecer por vários motivos diferentes, entre eles a discriminação dos mais velhos pela lembrança da associação do sobrenome à casta anterior e o desejo de alguns do fim da monarquia.

Para tentar acalmar os ânimos, distrair e alegrar os ânimos uma nova Seleção é proposta, dessa vez para encontrar um marido para a futura rainha Eadlyn. O problema é que nossa princesinha não é assim tão fã e esperançosa em relação à essa ideia quanto havia sido o seu pai.

O livro é ótimo, na verdade, o meu favorito de toda a série, mas é dividido em duas partes e a segunda sai apenas em 2016. Então, se você tem problemas de nervos e ansiedade, talvez seja melhor esperar até a segunda metade dele estar disponível para ler a primeira.

CRÍTICAS AO LIVRO E MINHA OPINIÃO SOBRE ELAS:

Li, em várias resenhas e chats sobre esse livro, muita gente reclamando da personalidade da Princesa. Alegaram que ela era mimada, temperamental, imatura, irritante, entre outras coisas, e que isso foi extremamente decepcionante . Eu concordo e não concordo. Vou explicar:

Ela é mimada? Sim. Um dos chega-pra-lá mais legais do livro foi dado por seu irmão mais novo, Kaden, e confesso que vibrei com ele nesse momento:

"E seu nome um dia aparecerá em um livro de história. Um moleque de 10 anos entediado vai decorá-lo para a prova e depois esquecê-lo. Você tem um emprego, como qualquer outra pessoa. Pare de agir como se ser rainha fizesse de você alguém melhor ou pior que os outros."
Mas ao mesmo tempo temos todos os outros pontos que devem ser considerados e que acho que estão sendo negligenciados pelos críticos

1. Ela é uma personagem do sexo feminino, em plena adolescência, e como tal uma pilha de nervosismo e incoerência. Incoerência? Sim. Pois ela é extremamente decidida em coisas sérias, mas totalmente insegura em situações muito mais simples.

"Era engraçado que eu tivesse aprendido um monte de técnicas de desarme para entrevista e negociações, mas precisava aprender sozinha a lidar com garotos."


2. Ela é uma ariana (e pra quem entende e acredita em signos só essa palavra já diz tudo), que foi criada desde que nasceu para ser rainha e sempre teve que arcar com uma responsabilidade sem tamanho. Tem uma personalidade extremamente forte, assim como mãe, e se cobra perfeição por acreditar que essa é a função dela e qualquer mínimo deslize de sua parte faz com que se consuma em remorso.

3. Aos quase 18 anos se vê na seguinte situação: é a única de todo o reino que, aparentemente, não tem direito a escolher sua profissão, sendo obrigada a ser rainha por ter nascido na ordem que nasceu; terá que passar por uma Seleção pelo "bem do povo", onde ao final espera-se que ela escolha um marido e case, mesmo que seus pais tenham lhe prometido que nunca arranjariam um casamento para ela enquanto ela não quisesse um.

Vocês realmente aceitariam numa boa tudo isso e agiriam com maturidade aos 18 anos? 

Para mim, as inseguranças e birras de America foram muito mais infundadas que as de Eadlyn. A vi como uma adolescente, com medo das mudanças que estavam se apresentando em sua vida, que precisou criar uma muralha ao seu redor para dar conta de todo o peso da responsabilidade de seu cargo em um mundo que ainda estava se construindo.  Uma das frases dela no texto, inclusive, é perfeita para corroborar minha visão:


"[...] talvez eu sentisse medo de que alguém cruzasse essa barreira e tomasse o controle da minha vida."

INFORMAÇÃO EXTRA QUE SÓ TEM EM UMA EDIÇÃO ESPECIAL DO LIVRO:

De acordo com o blog Leitura Virtual, o livro A Herdeira tem uma edição exclusiva para a livraria Barnes & Noble, com material extra. São algumas fotos e duas partes escritas: uma carta muito esclarecedora do Ahren para a Camille e uma conversa muito doida entre Kile e Fox feita por bilhetes. Eu não tive acesso à essa versão porque não comprei na Barnes & Nobel, mas o blog foi super gentil e disponibilizou esses extras para quem quiser ler. Se interessou, assim como eu? Então confira AQUI o post deles.


SINOPSE DO SKOOB
Vinte anos atrás, America Singer participou da Seleção e conquistou o coração do príncipe Maxon. Agora chegou a vez da princesa Eadlyn, filha do casal. Prestes a conhecer os trinta e cinco pretendentes que irão disputar sua mão numa nova Seleção, ela não tem esperanças de viver um conto de fadas como o de seus pais… Mas assim que a competição começa, ela percebe que encontrar seu príncipe encantado talvez não seja tão impossível quanto parecia.

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Resenha perfeita. Tenho que confessar achei nossa princesinha mimada, arrogante e tudo mais no começo não gostava dela. Mas fui percebendo suas dúvidas, seus medos hj já somos amigas rsrsrs.
    Os extras me deixaram meio triste. Meu preferido é kile e bem parece que ele não tá tão afim assim né? Eu sei que ele é doido pra sair do castelo e tudo mais, mas ele pode usar seus talentos em prol do povo. Seria sem dúvida um príncipe amoroso. Que venha logo 2016 rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda, tudo bem. Entendo as pessoas que a verm dessa forma. É uma questão de ponto de vista, nada mais. Faz parte. Rs

      Eu gostei dos extras. Primeiro porque torço pelo tradutor e não pelo amigo de infância; segundo porque achei que as trocas de mensagens mostram o quanto o amigo está começando a ficar abalado e não o contrário. Ele tenta parecer forte, mas todo comentário mais íntimo faz com que ele fuja ou desconverse, notou?

      Excluir
    2. Mari estou dividida entre o tradutor e Kile. Sera que ela poderia escolher o tradutor? oooo céus só em 2016 pra saber sniffff

      Excluir
    3. Pelas regras acho que não poderia, mas como é um livro de fantasia... Tudo é possível! Kkkk

      De início eu tinha certeza de que Kile seria o cara, mas agora penso que ela vai se valer da mesma estratégia usada com o primeiro casal e o "amor de infância" será apenas "fogo de palha".

      Excluir
  2. Oiii, adorei sua resenha e seu ponto de vista sobre a personalidade de Eadlyn, embora eu ainda ache ela muito chata, mimada e arrogante. Mas é sempre bom ler opiniões diferentes das nossas, afinal, para que procurar resenhas novas se você não quer ler algo que vai contra o que você acredita? No final das contas eu só quero mesmo que chegue o próximo livro logo ahahahahahahah
    Obrigada pela citação do Leitura Virtual no seu blog, me sinto realmente honrada. Seu blog é uma graça. Voltarei!!! :) beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina Carol,
      Como sempre digo, o que é bom merece ser divulgado. Rs

      Também gosto de ler opiniões doferentes das minhas; elas nos estimulam a abrir os olhos e analisar mais. Estava muito apreensiva com a leitura deste livro, por todas as resenhas criticando o comportamente de Eadlyn que já havia lido e acabei me surpreendendo positivamente.

      Excluir
  3. Eu nem deveria estar comentando este post, por que vou falar a mesma coisa de todos os outros da 'Seleção'!!! Eu amei ter um pouquinho mais da série, adorei matar a saudade, mas fiquei chocada com o final e muito p* da vida por ter lido antes de sair a continuação... rsrs
    Minha ansiedade não permite esperar tanto!!

    Adorei a resenha :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna, concordo contigo sobre a questão da continuação. Realmente, esperar até 2016 será torturante!

      Cheguei a pensar em não lê-lo agora, esperar a continuação sair. Mas é um lançamento e algumas pessoas estavam pedindo... Então... Li e agora sofro. Kkkk

      Excluir