Momento Cultura: Livro Digital x Livro de Papel







Desde que me entendo por gente sou um amante dos livros. No jardim de infância, uma das memórias mais fortes que tenho é das visitas à biblioteca. Quando iniciei a escola e realmente comecei a ler, continuei visitando a biblioteca, só que sozinho e de forma mais frequente, sempre fazendo amizades com as bibliotecárias que se encantavam com o menino que saia todo faceiro com seu livro embaixo do braço. Essa relação continuou durante minha adolescência até a fase adulta.



Escrevi está esta pequena introdução para que você  compreenda o longo e intenso caso de amor que tenho com os livros. Esse relacionamento esquentava cada vez mais comigo comprando muitos livros, e não me desfazendo de nenhum! Porém no ano passado, lembro exatamente o dia, 20/10, nossa estável união sofreu um baque tão forte que achei que nunca seria reatada.

Não, eu não fiquei cego ou com outra doença incapacitante, nem parei com os livros. O que aconteceu para revirar minha pacata vida foi que ganhei um Kindle de aniversário e só posso dizer que me encantei com ele imediatamente. 

Depois de quase um ano de uso contínuo é impossível não fazer comparações entre a leitura de um livro em papel e em formato digital. E usarei este texto para expor minhas sensações e experiências nestes 9 meses com um companheiro diferente leitura. 

O primeiro e-reader (leitor de e-books) que tive foi o Kindle, o primeiro a ser lançado no Brasil, ele não tinha touchscreen e sua navegação era realizada através de botões que ficavam na parte inferior. Mesmo sendo o mais simples meu fascínio foi imediato, baixei muito livros no site oficial  e logo tinha uma biblioteca muito grande (e a grande maioria de graça) que poderia carregar embaixo do braço. Os livros chegam quase imediatamente, acabando com aquela terrível espera de alguns dias, entre a compra e o recebimento. 

A tela de e-ink imita muito bem a página de um livro (parece que existe uma folha de papel colocada embaixo dela!) e não cansa os olhos como a tela de tablets.

Conforme fui usando, comecei a conhecer melhor as possibilidades:

Destaque fácil: Sabe aquela parte do livro que você adorou? No Kindle é muito simples fazer uma marcação e os pedaços destacados ainda ficam armazenados numa pasta mostrando o livro de onde foi tirada e a data que ela foi feita. Hoje é possível fazer um destaque e publicá-lo diretamente do Kindle para o Twitter ou Facebook, com apenas dois cliques. É possível ver os destaques de outras pessoas durante a leitura. Se você desejar marcar a página inteira, também é permitido  e ela fica acessível no índice do livro. 
Grande variedade de textos na palma da mão: Minha biblioteca virtual é bem variada, por isso se o livro que estou lendo acaba, ou a vontade de lê-lo termina primeiro, tenho uma série de opções com acesso instantâneo. Nela tenho vários livros de contos, que possibilitam que eu faça uma leitura leve e rápida em qualquer tempo livre. Você já viajou para algum lugar e percebeu que estava ocupando um bom espaço na mala com seus livros?
Dicionário embutido: Com um rápido clique sobre a palavra desconhecida é possível saber seu significado. Se a internet estiver conectado essa pesquisa pode ser realizada imediatamente, com apenas mais um clique, no Google ou Wikipédia. Ah, existe a possibilidade de baixar dicionários de vários línguas, o que ajuda as pessoas que querem ler um livro na sua língua original. 
Tenho que confessar que lendo em livros de papel, as vezes me pego apertando nas palavras e depois pensando "não burro esse não é o Kindle, vai la buscar seu amansa" 

Fácil manuseio: Pelo baixo peso e tamanho diminuído ele é de fácil manejo. Também é fácil de carregar (cabe em alguns bolsos maiores) e é possível ler, confortavelmente, em qualquer posição. Costumo ler mais antes de dormir, deitado na cama. Quando lia livros pesados (como "Os Miseráveis") era difícil encontrar uma boa posição e continuar nela por muito tempo. Pra quem mora em lugares frios como Santa Catarina, ele é muito bom pra segurar com a mão embaixo do cobertor. Descobri esta vantagem neste inverno.
Adeus marcadores de página: Nunca fui muito fã de marcadores, pois estes tinham a incrível mania de desaparecer. Com o Kindle é só fechá-lo ou desligá-lo que quando você voltar a ler, a última página lida estará te esperando. Se você coleciona eles, poderá deixá-los guardados adequadamente.

Mais de um aparelho: Depois de algum tempo baixei no meu celular o aplicativo Kindle para Android. A engenhosidade dele me empolgou. Eu tinha todos os livros do Kindle a disposição em meu celular, com sincronização total das páginas lidas e anotações. Sabe aquela fila do banco em que você não tem um livro para passar o tempo? Pra mim elas nunca mais existiram.

Procura por palavras: Alguma vez você já esqueceu aquele personagem citado no início do livro? É só fazer um busca no ebook e reler rapidamente sua importância na trama.

Dois lados da moeda: Com os livros digitais, é muito mais fácil para um escritor iniciante ter suas obras publicadas. Porém ainda há muitos livros, principalmente aqueles sem uma versão mais atual, que existem apenas em papel.

Uma das desvantagens que li dos e-readers é sobre a bateria. Claro ela não dura pra sempre, mas tenho que confessar que não lembro a última recarga que fiz. O Kindle faz vários avisos de bateria fraca. Então a menos que você fique uns 20 dias num lugar sem energia elétrica, ou seja burro para ignorar os avisos que você recebe, fique tranquilo, seu Kindle não irá te deixar na mão.

Como você pode ter notado minha empolgação com o e-reader era crescente, e eu realmente havia abandonado os livros impressos. Até que no final de fevereiro levei meu novo companheiro inseparável para mais um dia na praia. Não sei o que aconteceu, mas em algum momento a tela ficou parcialmente travada, eu conseguia ligar e mexer nele, porém a parte superior da imagem não alterava. Nem preciso dizer que o dia de praia acabou por ali.

Foi então que percebi uma das desvantagens do livro digital: seu leitor pode quebrar!!! (as vezes, coisas ruins acontecem). E a menos que você desembolse uma boa grana, bye bye leitura.

Porém, no meu caso, o produto tinha uns 4 meses de uso e estava "na garantia". Fui buscar informações sobre garantia e lojas autorizadas. Para aumentar meu desespero descobri que a Amazon.com ainda não tem autorizadas no Brasil e que eu deveria entrar em um site para fazer minha reclamação.

Quando imaginava o início de um grande stress com muitos emails e ligações com esperas intermináveis é que tudo mudou. No dia seguinte recebi um email da Amazon.com pedindo que eu entrasse em um site. Entrei imediatamente e foi com grande surpresa e com um pouco de incredulidade que recebi a informação de que deveria dar meu telefone e que eles me ligariam. Minha incredulidade aumentou quando o site perguntava se eu queria receber a chamada naquele instante ou em cinco minutos (tempo necessário para pessoa pegar o celular).

Não preciso dizer a que nível chegou meu espanto ao atender o telefone apenas alguns segundos depois de solicitar minha chamada. Um rapaz, muito educado, com sotaque americano, solicitou algumas informações e que eu realizasse um reset no Kindle. O problema persistiu e foi com imensa satisfação que poucos minutos após atender a ligação fui notificado que todo o valor do aparelho estava disponível em minha conta na Amazon.com. 

Dando um show de atendimento ao consumidor a Amazon.com me conquistou, tão acostumado que estava ao atendimento da maioria das empresas no Brasil. Por isso aproveitei para comprar uma capinha de proteção para o aparelho. Só para evitar que outras coisas ruins acontecessem.

Só que o modelo que eu tinha não era mais produzido, então pelo mesmo preço acabei ficando com um modelo touchscreen muito melhor. "Se dei bem"
Claro que tive que esperar uns 15 dias para receber meu brinquedo novo. Nesse tempo, tive que voltar às raízes e ler meus livros de papel. 


Dizem que agente só da o valor para as coisas quando perde, comigo foi assim. Sentindo um livro na mão novamente lembrei o quão bom pode ser folhear suas páginas, sentir seu cheiro de novo. Outra coisa que gosto muito nos livros é curtir as capas, num Kindle elas ficam sem graça nenhuma. Livros de papel com figuras ainda são imbatíveis e devem continuar sendo por um bom tempo frente as imagens sem graça dos e-readers. 

Agora filosofando sobre como finalizar este longo texto, e agradeço a você se tiver me acompanhado até aqui, percebo que o ato de abrir um livro me traz na mente, muitas das sensações adquiridas nas milhares de páginas viradas de minha vida. Muito da pessoa que eu sou é devida àqueles amontoados de folhas de papel que tanto adoramos. Por isso mesmo, não importa a quantidade de e-books que eu venha a ler daqui pra frente, sempre haverá um espaço VIP reservado para os livros de papel. Meu coração é grande o bastante para viver um triângulo amoroso onde as três pontas se divertem e se completam sem ciúme nenhum.



Comente com o Facebook:

15 comentários:

  1. oi, faz uns seis meses que comprei o novo kindle touch e achei ele incrível por todas as coisas que você já citou. Ja li ebooks no celular e no Tablet mas a leitura no kindle é muito mais confortável e, melhor ainda, a bateria não acaba tão rápido. Adoro o dicionário, o que torna mais fácil ler ebooks em outras línguas tbm... Bom, já deu pra perceber que eu gosto muito do meu Kindle mas tbm adoro livros de papel e eu adoro capas e no kindle elas ficam sem graça mesmo, infelizmente...
    Adorei o post...
    bjus
    http://reticenciasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pelo recado Andreia. Pelo jeito todos que tem gostam do Kindle. Vc ainda lê em livros de papel? Notou alguma outra desvantagem do Kindle?

      Excluir
  2. Como toda tecnologia nova, os e-books geram estranhamento dos que nasceram e cresceram sem eles, no tempo de Sócrates ele achava que a leitura seria nossa ruína porque "emburrecem, deixam os homens preguiçosos, com a memória fraca e não gera conhecimento porque o leitor não consegue dizer para o autor que ele está falando besteira". Hoje em dia é impensável alguém ser contra a leitura; da mesma maneira hoje quem nasceu no século XX e tem costume com os livros pode estranhar um poucos os e-books e precisa de tempo pra aceitar a novidade, mas para a nova geração que é conehcida como "nativos digitais" isso não é problema, prevejo que em alguns anos ler nesses vai ser tão comum como usar um liquidificador hoje e as pessoas vão se perguntar como os leitores viviam sem um antigamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Alê

      Não acho que serão alguns anos para os e-readers serem assim comuns, até pq ainda são vendidos muitos livros de papel. Mas em alguns anos com certeza será possível terminar o livro e dizer o que achou diretamente para o autor, mesmo se ele estiver escrito muita besteira.

      Excluir
  3. Bem legal teu post. Sinceramente, no início senti muita dificuldade para ler os livros digitais. Sentia a falta do peso do livro, do virar das folhas, da textura...

    Depois de tempo comecei a amar o fato de poder ter vários livros à minha disposição sem todo aquele peso dos livros.

    Ainda acho que nada substitui o prazer de ter um livro físico em mãos, mas os ebooks se tornaram uma opção prática e viável para muitos momentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari vc tem um e-readers ou lê em tablet ou PC? A experiência no Kindle é muito próxima a do livro físico. Mas com certeza este é um caminho sem volta. Não que eu queira aposentar os livros de papel, ate pq eles já foram aposentados algumas vezes. Porém o Kindle atende melhor as necessidades dos leitores modernos.

      Excluir
    2. Marco, realmente em termos de vista o Kindle é o melhor que tem. Funciona perfeitamente em qualquer tipo de iluminação e não reflete como um tablet. A praticidade dele é indiscutível e é fato que os ebooks passaram a ser meus companheiros de viagem no lugar dos físicos.

      O efeito de "virar a página" também é legal e nem vou falar das funcionalidades extras. Mas a questão permanece. Ele NÃO É o livro físico. Não tem a textura da folha do livro físico, o cheiro, a beleza da capa, o peso. Acho que foram essas coisas que senti um pouco de falta no início. É claro que nada disso me fez desgostar dele ou não querer usá-lo, apenas me fez sentir falta do outro por um tempo.

      Tanto que até hoje ainda endoido muito mais em uma livraria do que na Amazon.com kkkkkkkkk

      Excluir
    3. Eu endoido em livrarias pq quero comprar tudo e não posso. Mas na Amazon.com não é muito diferente.

      Excluir
  4. Marcola, sempre tive um pé atrás com e-reader até que vi um promoção linda do Kobo Glo e não resisti. Vou confessar que foi amor a primeira vista, eu sou apaixonada pelo meu kobo e a facilidade de ter vários livros dentro da bolsa sem pesar nadinha é uma maravilha! rsrs
    Mas, amo o livro impresso, o cheiro do livro, sou apaixonada pelas capas, espero que um dia exista e-reader que possamos ver as capas coloridas :D

    Adorei o post!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca tinha visto ninguém comentar sobre o Kobo, e gostei de ver que vc gosta tanto dele quanto eu do Kindle. A competição entre os leitores digitais só favorece a nós leitores, pois estes estão sempre buscando novidades e melhorias para atrais novos consumidores.

      Abraços

      Excluir
  5. Marcolaaaa,
    Fiquei sem net e poxa, não li seu post!! :(
    Então, eu comprei meu kindle tem uns 5 meses e estou amando, muito bom!! Sobre o atendimento da Amazon, já tive essa honra e eles atendem muito bem. Uma amiga também já teve seu kindl trocado e já tinha mais de um ano, mesmo assim trocaram!!!
    Comprei com luz e foi minha salvação, tenho um garoto de 3 anos e sempre qd ele vai dormir, levo meu kindle e fico lendo no escuro rs
    Ainda preciso de algumas aulas para marcar uma parte do livro (não sei fazer isssoooo), juro que já tentei e não foi!
    Mesmo amando meu kindle, eu ainda tenho prazer dos meus livros físicos.
    Parabéns pelo seu post... muito bom
    abraço da sua fã nº 1 kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Daya.

      Obrigada pelos elogios. Pelos comentários vi o sucesso dos e-readers e também que os livros de papel não serão abandonados tão cedo.

      Poxa legal essa de ler enquanto coloca seu filho pra dormir, logo vc estará lendo para ele!!! E quanto ao destaque de partes do texto funciona quase como destacar um texto no cel, vc clica numa palavra e segura até ela ficar selecionada, depois é só arrastar até onde vc quer destacar. Não precisa de muita habilidade. hehehehehehehe

      Abraços

      Excluir
  6. Marcola eu não tenho um kindle ainda rsrsrsrs.
    Baixei o aplicativo no celular e simplesmente viciei,a praticidade de poder carregar pra onde eu for,não vou me perder mais na leitura,já abre onde parei e ter tantos livros num mesmo lugar. Estava numa duvida cruel,comprar um tablet ou um kindle e seu post me ajudou muito,quero um kindle rsrsrsrs. o único problema e que amoooo o cheiro de livro,folhear as paginas são emoções únicas pra mim. Meu sonho uma parede toda coberta por livros no meu quarto. Vc garotinho me fez lembrar de mim mesma, me esquecia das horas na biblioteca e sempre saia de la cheia de livros pra ler. na adolescencia morava ao lado da escola e um dia fiquei no cantinho sentada lendo um livro me fecharam la dentro,adormeci lendo um livro e acordei as 3 da madrugada com o guarda da escola que me achou ali rsrsrs. Meus pais ja tinham chamado ate a policia e me fizeram prometer nao ficar tanto assim na biblioteca mais. Bjus marcola adorei seu post

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda fique atenta pois é impossível comparar um Kindle a um tablet. O Kindle serve única e exclusivamente para leitura. Pra outras coisas como ver fotos e vídeos, baixar jogos e navegar na Internet ele é horrível ou não faz essa tarefa. Por isso fique ligada. Muito legal a revelação sobre sua fuga de casa. Hehehehe

      Valeu pelos elogios, abraços! !!

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir