Resenha: A culpa é das Estrelas

O desenho dos personagens foi retirado da busca no google e nós desconhecemos seu autor.


Título no Brasil: A Culpa é das Estrelas
Título Original: The Fault in Our Stars
Autor:  J
ohn Green
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
Páginas: 288




Sinopse do Skoob: A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.


O livro de maior sucesso de John Green nos últimos tempos, tão aclamado que virou filme já em 2014. O que muitos não sabiam, na época em que o livro explodiu, é que o autor se inspirou em uma pessoa real para montar sua história, Ester Earl (que, infelizmente, veio a falecer aos 16 anos).

“Esther era uma pessoa incomum, e conhecê-la me lembrou de como os adolescentes podem ser introspectivos e ao mesmo tempo ter uma empatia estonteante. Pensar sobre essas qualidades me deu uma nova visão dessa história, que tentei escrever por 10 anos. É importante dizer que Esther era muito diferente de Hazel e que eu certamente não quis me apropriar da história dela. Mas eu jamais poderia ter escrito este livro se não a tivesse conhecido. Ela inspirou cada palavra.”

Ok Mariana, entendi, mas sobre o que trata o livro afinal? Bem, então vamos a isso...
A culpa é das estrelas é um misto de drama e romance. Ele mostra o lindo amor que se desenvolve entre Hazel - uma jovem de 16 anos que há 03 lutra contra um câncer considerado terminal -  e Gus.

Devido ao grave estado de Hazel ela é obrigada a andar, para cima e para baixo, carregando um cilindro de oxigênio, já que sem ele não consegue respirar. Já conformada com sua morte iminente, Hazel passava sua "sobrevida"
de forma entendiada e triste, já que o câncer havia lhe tirado praticamente tudo que mais amava, entre essas coisas sua saúde, amigos e a escola. Sua única chance é a droga experimental que começa a tomar, mas essa não lhe traz absolutamente nenhuma garantia.

Tudo isso muda no dia que sua mãe insiste para que ela comece a frequentar um grupo de apoio  e conhece Augustus Water, vulgo GUS, um paciente que perdeu a perna por causa do câncer ósseo e que permaneceu no grupo mesmo após entrar em estágio de remissão.

A alegria e a forma positiva de Gus de ver a vida desabam como uma onda de frescor no mundinho cinza de Hazel e eles começam um relacionamento com tanta beleza e emoção que chega a dar arrepios no braço. O medo é uma constante na vida deles: medo de morrer, medo de deixar os pais, medo de não conseguir fazer as coisas que sempre sonharam... ainda sim eles se arriscam naquela que é uma das maiores e mais incertas montanhas russas de todas, a do amor.

Hazel é fã incondicional de um autor cujo livro terminava no meio de uma frase, deixando-a com várias indagações no ar. Ela havia escrito várias cartas para ele, mas nunca obteve resposta e seu maior sonho se tornou descobrir, afinal, o que aconteceu, como a história terminava. 

Com um empurrãozinho da doença, Gus consegue uma passagem para que eles possam ir conhecer o autor dos sonhos de Hazel. E é nessa viagem que encontramos as passagens mais belas do livro e, também, quando se iniciam as reviravoltas que deixam nosso coração apertadinho e nossos olhos com um sério problema de excesso de ciscos.
Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados, e sou muito grata por isso.
John Green escreve uma história bela, emocionante, muito bem narrada (toda a narrativa está em primeira pessoa, contada pelo ponto de vista de Hazel), intensa e surpreendente. Com uma riqueza de pesquisa, tanto em termos da doença quanto em questões histórica, entre outras. Trata de forma exemplar temas tabus como doença terminais em jovens, superproteção, sexo...

Um livro que é capaz de fazer o leitor se apaixonar, rir e chorar... chorar bastante.







CURIOSIDADES:

01 - Existe um livro de Ester Earl, contando sobre sua vida e sua luta, chamado A Estrela que nunca vai se apagar. O livro inclui escritos no diário e esboços de Esther, com anotações escritas por Lori e Wayne, os pais de Esther, e a introdução escrita por John Green.

02 - Há uma fundação chamada “This Star Won’t Go Out” (nome, em inglês, do livro de Ester) que foi criada pela família de Esther e que ajuda financeiramente famílias com crianças com câncer.

Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Amo esse livro, achei super gostoso de ler. Um livro para pensar na vida!

    Adorei a resenha Mari.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gostei bastante! Por causa desse livro resolvi ler outros do autor, mas nenhum chegou nem perto de ser tão bom quanto esse.

      Excluir
  2. Mari, ameii demais esse livro e o filme maravilhoso!!!
    Parabéns pela resenha.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Daya, Eu também gostei muito do livro. Não cheguei a ver o filme, fiquei com medo de me decepcionar.rs. Sou meio medrosa para ver filmes pós leitura de livro.
      Beijos

      Excluir