Filmes & Séries: Jogos Vorazes - Sucesso além do infanto juvenil


Filme: Jogos Vorazes
Lançamento: Jogos Vorazes (1) 2012
SINOPSE: Num futuro distante, boa parte da população é controlada por um regime totalitário, que relembra esse domínio realizando um evento anual - e mortal - entre os 12 distritos sob sua tutela. Para salvar sua irmã caçula, a jovem Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) se oferece como voluntária para representar seu distrito na competição e acaba contando com a companhia de Peeta Melark (Josh Hutcherson), desafiando não só o sistema dominante, mas também a força dos outros oponentes
A franquia Jogos Vorazes é um sucesso, baseada na trilogia literária do mesmo nome, de Suzanne Collins, teve sua estreia nos cinemas em 2012. Será finalizada em novembro de 2015, com Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 2, e já é um dos filmes mais esperados do ano.


O argumento da série de Livros, depois adaptada ao cinema, a primeira vista não parece ser original. A ideia de um reality show no qual os participantes devem se matar até que só o vencedor sobreviva foi criada no romance japonês Battle Royale, de 1999, que por sua vez foi adaptada em uma trilogia de filmes e depois em mangá.

Mas não pense que a obra de Suzanne Collins é uma mera cópia, ou simples plágio. Se à primeira vista, o trabalho dela parece inspirado na saga japonesa, quando observado de perto, é possível perceber a superioridade do roteiro, que vai além dos jogos que dão título à série, e a sua independência da versão japonesa .

A começar pelo enredo: o tal reality show é só o pano de fundo pra uma história muito mais tensa – uma distopia que envolve política, colonialismo e revolução armada. Há tantas referências históricas; desde a política de pão e circo do Império Romano, onde a Capital (cidade central) só se preocupava com alimento e diversão; a Revolução Russa, onde uma grande massa de operários e camponeses trabalhava muito e ganhava pouco, se revoltando contra a capital de seu país e seus moradores nobres que viviam a custa desse povo; à guerra fria, pela propaganda ideológica de ambos os lados, que por si só já era uma “guerra” antes mesmo do conflito armado realmente começar.

Essa propaganda ideológica é uma das características mais marcantes da obra. Presente desde o início do primeiro volume/filme, ela demonstra de uma forma clara e bem realista como toda informação que chega ao público é “maquiada” (se não for manipulada mesmo) pelo governo, que a utiliza como propaganda ou forma de “passar um recado” aos telespectadores.

Mas não pense que, por falar tanto de política, governo e propaganda, é uma história chata, daquelas que você assiste obrigado no colégio porque a professora de História passou. Nada disso! Além de muita ação e emoção, a protagonista Katniss Everdeen (no filme representado pela ganhadora do Oscar Jennifer Lawrence) ajuda a série a não cair no marasmo. Ela é  forte, mas não é masculinizada; não segue nenhum clichê, mas também não tenta ser politicamente correta demais; não deseja salvar ninguém e às vezes parece um pouco egoísta, por se importar primeiramente com a integridade da sua família. Ela é simplesmente jogada aos acontecimentos, envolvida por circunstâncias,  mas essa “espontaneidade” da personagem sempre a leva ao centro dos acontecimentos.

É uma saga que não se limita a uma única faixa etária/estilo de público. Agrada tanto os jovens pela ação, aventura e romance quanto o público mais velho por sua profundidade de conteúdo. É literalmente, uma obra pra toda família.





Comente com o Facebook:

16 comentários:

  1. Respostas
    1. Oi Catie Almeida. Pode sim! Adoramos TAGs, só que ela só irá entrar no ar após o dia 15/05, porque até lá já temos vários agendamentos, inclusive uma outra TAG que fomos indicados, tudo bem?

      Excluir
  2. Oi
    O Livro e o filme são muito bons, eles têm um teor politico que faz o jovens pensarem mais na politica e enxergar o que há de errado. Gostei muito da escrita da autora.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, muito bom o ensinamento! E a forma de escrita da autora é bem envolvente.

      Excluir
  3. Oi, Gi! Tô com esses livros parados aqui em casa e ainda não comecei. Achei interessante vc falar da personagem principal pq nas primeiras páginas achei ela bem fraca. A história te prendeu mesmo?

    Beijos,
    Julieta
    www.julietices.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Julieta como eu disse na resenha, Katniss só quer manter a família segura, ela nunca quis ser rebelde ou lutar por uma causa, mas essa espontaneidade que a fez ser o símbolo da revolução. Gostei muito do livro, acho ele completo, perfeito.

      Excluir
  4. Confesso que este não meu estilo literário preferido, mas eu tenho ouvido falar tanto neste livro que estou quase me rendendo a ele. Parabéns pelo blog. É lindo!

    http://www.oviajantedasestrelas.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada João Paulo, tente dar uma chance ao livro

      Excluir
    2. Obrigada João Paulo pelo elogio e também pela visita. Seja bem vindo! Qual seu estilo preferido?

      Excluir
  5. Oi este não é meu tipo de literatura acho que é voltado para quem gosta de gênero ação o que não é o meu caso por outro lado sei que faz um grande sucesso e seu enredo servir para alertar as pessoas sobre questões politicas que assim seja.Bjos

    Gavetas de pensamentos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kika, a verdade é que a maioria das pessoas tem sempre um estilo que mais gosta e um estilo que não gosta. Felizmente tem gosto para tudo e, com isso, os mais variados estilos têm chance de fazer sucesso.rs.

      Qual o seu gênero favorito?

      Excluir
  6. Sou simplesmente apaixonada pela série, eu amo os livros e os filmes... Acho as adaptações do filme bem fiéis aos livros.
    Recomendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna, vc está completamente certa, os filmes são bem fiéis.

      Excluir
  7. Caraca. Esse livro sempre me intrigou pois tenho muitas visões sobre ele. Sobre as falhas e os acertos. Sempre discuto sobre esse título. Parabéns nem de longe eu faria uma crítica tão completa assim. Palmas.
    Adrielli Oliveira
    loading1blog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Obrigada D, Oliveira. Um livro que gera tantas interpretações só pode ser bom, não é?

    ResponderExcluir