Entrevista: Lori Nelson Spielman





Lori Nelson Spielman’s debut novel, The Life List, became a #1 International bestseller. It has been translated into 29 languages, and Fox 2000 purchased the film option. Her second book, Sweet Forgiveness, releases in the US in June, 2015. She lives in Michigan with her husband and their very spoiled cat. 

O primeiro livro lançado de Lori Nelson Spielman, A Listra de Brett, se tornou o 1º lugar em vendas na categoria Bestseller Internacional. Foi traduzido para 29 línguas e teve o direito de filmagem comprado pela Fox 2000. Seu segundo livro, Doce Perdão (tradução não oficial, feita pelo blog), será lançado nos Estados Unidos em Junho de 2015. Ela mora em Michigan, com seu marido e o gato, muito mimado, deles.



In respect to the fact that the author is American and that the entire interview has been made with her in English, we kept here both texts, the English and the Portuguese version.

Em respeito ao fato da autora ser americana e toda a entrevista ter sido feita com ela em inglês, mantivemos aqui ambos os textos, em inglês e em português.


Hi Lori Nelson Spielman,
Olá Lori Nelson Spielman, 

We, of Conchego das Letras’s Blog (Letter’s Cosiness’ Blog) were overjoyed because you accepted our invitation for this little chat. It’ll be a pleasure to give a little bit more information about you and your work to your Brazilians fans.
Nós do Blog Conchego das Letras ficamos muito felizes por ter aceitado nosso convite para este bate papo. Será um prazer passar "um pouquinho mais de você" para seus fãs.

Well… Let’s go to the interview?
Bem… Vamos à entrevista? 


1. How was the decision of start writing professionally? 
1. Como foi a decisão de começar a escrever profissionalmente?

First, I want to thank all of you at Conchego das Letras for hosting me on your wonderful blog. It’s an honor to be here today.
Primeiro, eu gostaria de agradecer a vocês, do Conchego das Letras, por me receberem em seu maravilhoso blog. É uma honra estar aqui hoje.

I always loved writing, but I never considered it as a career. My parents were very practical. When I went to college, my mother asked me, “Would you like to be a teacher or a nurse? These are good careers for women.” 
Eu sempre amei escrever, mas eu nunca considerei isso como uma carreira. Meu pais eram muito práticos. Quando eu fui para a faculdade, minha mãe me perguntou "Você gostaria de ser professora ou enfermeira? Essas são boas carreiras para uma mulher."

I took a writing class at a local community college when I was forty years old. I loved it. I stared by writing a young adult novel, then a psychological thriller screenplay. All of these collected a lot of rejection from literary agents. Finally, after writing two more novels that didn’t get published, an agent offered to represent me. She sold my first book, The Life List, in 29 countries, as well as the film rights. And now my second book, Sweet Forgiveness, is being sold worldwide. I am thrilled! 
Eu fiz uma aula sobre escrita em uma faculdade comunitária local quando tinha 40 anos. Eu amei. Iniciei escrevendo um romance estilo New Adult, depois um roteiro no estilo terror psicológico. Todos eles receberam uma enorme rejeição dos agentes literários. Finalmente, depois de escrever outras duas histórias que não conseguiram ser publicadas, uma agente se ofereceu para me representar. Ela vendeu meu primeiro livro, A lista de Brett, em 29 países, assim como os direitos autorais para um filme. E agora, meu segundo livro, Doce Perdão (tradução não oficial, feita pelo blog), estará sendo vendido no mundo todo. Eu estou extasiada!


2. What was the biggest obstacle you found along the way?
2. Quais as maiores dificuldades que encontrou pelo caminho?

The biggest obstacle initially was finding a literary agent. And most recently, the biggest obstacle was breast cancer. It was the fall of 2013 and The Life List had just released in the US. My life felt perfect. I’d just begun writing Sweet Forgiveness when I was diagnosed. For many months, all could concentrate on was my health. After two surgeries, I’m happy to say I’m feeling great and cancer-free. 
O maior obstáculo, inicialmente, foi encontrar um agente literário. E, mais recentemente, o maior obstáculo foi o câncer de mama. Foi no outono de 2013 e A Lista de Brett tinha acabado de ser lançado nos Estados Unidos. Minha vida parecia perfeita. Eu tinha acabado de começar a escrever Doce Perdão (tradução não oficial, feita pelo blog) quando fui diagnosticada. Por muitos meses tudo em que pude me concentrar foi em minha saúde. Depois de duas cirurgias, estou feliz em dizer que estou me sentindo ótima e livre do câncer.


3. How did you choose the subject of a book? What do you consider easier and harder about developing a story?
3. Como se dá a escolha do tema de cada livro? O que você considera mais fácil e mais difícil ao desenvolver uma história?

I found the idea for The Life List in a small wooden box. Inside the box was an old piece of paper with the words, ‘Lori’s List’ written at the top. I was a young girl—somewhere between the ages of 12 and 14—when I created the list of 27 things I thought would make for a good life. I read the list, and it pleased me that I had, indeed, accomplished many of the goals I had set for myself. But there were others I had not—and would not—achieve. It made me think about dreams, and whether we women give up on our dreams as we get older, or if our dreams evolve. Soon, the story and characters were coming to me. I was rushing home from work each day to write my novel.
Eu encontrei a ideia para A Lista de Brett em uma pequena caixa de madeira. Dentro dela estava um pequeno pedaço de papel com as palavras "A lista de Lori" escritas no topo. Eu era uma menina - algo entre os 12 e 14 anos - quando criei a lista que continha 27 coisas que achei que fariam uma vida boa. Eu li a lista e fiquei feliz ao perceber que havia, de fato, conquistado muitos dos objetivos que havia estabelecido para mim mesma ali. Mas haviam outros que eu não havia - e nem viria a ter - alcançado. Isso me fez pensar sobre sonhos, e se nós, mulheres, desistimos de nossos sonhos conforme vamos amadurecendo ou se nossos sonhos evoluem. Logo, a história e os personagens foram surgindo para mim. Eu corria para casa após o trabalho todos os dias para escrever minha história.

After The Life List sold, my agent wanted another novel. And she wanted something she called, “high concept.” This meant a unique story idea, something fresh and unusual. I agonized over this. I wrote, re-wrote, scrapped and started over a dozen times. I felt enormous pressure not to disappoint my agent, my editor and, most importantly, the many wonderful readers who’d sent me heartwarming messages after reading The Life List.
Depois que A Lista de Brett foi vendida, minha agente quis outro romance. E ela queria algo que ela chamou de "conceito inovador" (tradução feita com base no sentido da expressão e não na literalidade das palavras). Isso queria dizer uma história com uma ideia única, nova e incomum. E agonizei sobre isso. Escrevi, re-escrevi, rascunhei e recomecei uma dezena de vezes. Senti uma enorme pressão para não desapontar minha agente, meu editor e, mais importante ainda, os vários leitores maravilhosos que me enviaram mensagens de aquecer o coração após lerem A lista de Brett.

In the end, I created a concept around a phenomenon sweeping the country a called the Forgiveness Stones, a pouch of stones that requires the recipient to forgive and seek forgiveness. And despite my stress and discomfort when writing this one, I’m grateful that my agent set the bar high. I needed to prove to myself that I could write a new and high-concept novel.
No final, eu criei um conceito em torno de um fenômeno abrangendo o país que chamei de Pedras do Perdão, uma bolsa de pedras que exige de seu receptor que ele perdoe e que busque perdão. E, apesar do meu estresse e desconforto enquanto escrevia este livro, estou grata que minha agente tenha colocado um limite alto. Eu precisava provar a mim mesma que eu poderia escrever algo novo e de alto nível.


4. Which dream have you already realized as an author? And which one do you still wanna realize? 
4. Qual sonho você já realizou e qual ainda deseja realizar como autora?

As I mentioned, I actually accomplished many of the goals on my original life list. I am happily married. I’m a teacher. I have a close family and a nice home. But I don’t have a horse or a dog. I don’t have children. Some of the dreams I still want to accomplish are to visit Italy and Brazil, write a mystery novel, and start a non-profit agency to help women and children.
Como eu mencionei, eu, de fato, realizei muitos dos objetivos da minha lista original. Sou feliz no casamento; sou professora; eu tenho uma família próxima e uma boa casa. Mas eu não tenho um cavalo, ou um cachorro. Eu não tenho filhos. Alguns dos sonhos que eu ainda quero conquistar é visitar a Itália e o Brasil, escrever um livro de mistério e abrir uma agência não lucrativa para ajudar mulheres e crianças.


5. How do you feel about having your book translated and sold in so many languages and countries?
5. Como foi a sensação de ter seu livro traduzido em várias línguas e vendido em todo o mundo pela primeira vez?



The international sales have been the most unexpected, serendipitous bonus in this entire writing adventure. I have received so many beautiful messages from readers around the world. It’s thrilling to think that the stories resonate with readers from Paris to Peru. I can only conclude that human emotions are universal, including the desire to dream, and the need to forgive and be forgiven. I love that about literature. By following someone else’s journey, we often connect with our own, regardless of our cultural background. Whether it’s a book, a movie, a song, or a painting, art and literature are the connective tissues in our web of life.

As vendas internacionais têm sido o mais inesperado, fortuito bônus em toda a minha aventura na escrita. E tenho recebido tantas belas mensagens de leitores de todo o mundo. É emocionante saber que as histórias repercutem em leitores de Paris ao Peru. Eu posso apenas concluir que as emoções humanas são universais, incluindo o desejo de sonhar e a necessidade de perdão e de ser perdoado. Eu amo isso na literatura. Ao seguir a jornada de alguém, nós também nos conectamos com a nossa própria jornada, independentemente da nossa situação cultural. Seja com livros, filmes, músicas ou uma pintura, arte e literatura são o tecido conectivo em nossa teia da vida.



6. You may know that many people read books thinking about the movie version. We, from Conchego das Letras (Letters’ Cosiness), can’t stop thinking of Emily VanCamp as Brett (principally after watching Beyond the Blackboard. Trailler: https://www.youtube.com/watch?v=YNpaHnTt4eA) .Who would you choose for the role? 
6. Você deve saber que muitas pessoas leem o livro já imaginando a versão cinematográfica. Nós, do Conchego das Letras, não conseguimos afastar da cabeça Emily VanCamp no papel de Brett (principalmente após o filme Beyond the Blackboard. Trailler: https://www.youtube.com/watch?v=YNpaHnTt4eA). Quem você imagina para o papel?

Until now, I thought Emma Stone would be a good Brett Bohlinger. But now that you mentioned Emily VanCamp, I think you’re absolutely right. She would be perfect! Thank you so much, Conchego das Letras! Now, could you please let Hollywood know that we’ve cast the movie for them!?  
Até o momento, eu pensava que Emma Stone seria uma boa Brett Bohlinger. Mas agora que vocês mencionaram Emily VanCamp, eu acho que vocês estão absolutamente certos. Ela seria perfeita! Muito obrigado, Conchego das Letras! Agora, vocês poderiam, por favor, informar a Hollywood que já montamos o elenco por eles!?


7. Which advices would you give to the ones who want to be an author one day?
7. Que conselho você daria para aqueles que desejam ser "futuros autores nacionais"?

Never give up on your dream. Take your writing seriously, but don’t take yourself seriously. Prepare yourself for rejection. Invest in writing classes and writing workshops. Read everything you can on the craft of writing, and also read for pleasure. Decide what you enjoy reading, and write in that genre. Find your authentic voice. Try not to compare yourself to other writers. Enjoy!
Nunca desista dos seus sonhos. Leve sua escrita a sério, mas não leve você mesmo a sério demais. Prepare-se para a rejeição. Invista em aulas de escrita e workshops sobre isso. Leia tudo que você puder sobre estratégias de escrita, e também leia por prazer. Decida o que você gosta de ler e escreva sobre esse gênero. Encontre a sua voz interna. Tente não se comparar a outros escritores. Divirta-se!


8. Message from you to your fans.
8. Mensagem da autora para os seus fãs.

Dear Readers,
Queridos Leitores,

Thank you from the bottom of my heart for taking a chance on a new author and reading my work. Connecting with you has been the most gratifying part of this writing journey. To me, art is all about touching emotions. It’s an amazing feeling when I have tears streaming down my cheeks as I write scene, or when I realize I’m grinning when I type the words. Somewhere in my mind, I know that someone like you might one day read the scene and experience the very same feelings. It’s like a little gift of emotion, from me to you. Thank you for accepting it. 
Obrigada, do fundo do meu coração, por darem uma chance a um autor novo e lerem o meu livro. Conectar-me com vocês tem sido a parte mais gratificante dessa jornada. Para mim, arte é tocar as emoções das pessoas. É um sentimento maravilhoso quando eu tenho lágrimas correndo pelo meu rosto enquanto escrevo uma cena, ou quando percebo que estou sorrindo ao digitar algumas palavras. Em algum lugar na minha mente, eu sei que alguém, como vocês, podem estar lendo aquela cena e experienciando os mesmos sentimentos. É como um pequeno presente de emoção, de mim para vocês. Obrigada por aceitá-lo.

Big hugs to you,
Um grande abraço para vocês,

Lori
Lori


If you did not read The Life List yet and became curious about it, read our digest by clicking HERE FOR THE ENGLISH VERSION.
Se você ainda não leu A Lista de Brett e ficou curioso(a), veja nossa resenha clicando AQUI PARA VERSÃO EM PORTUGUÊS.

Comente com o Facebook:

15 comentários:

  1. Que simpático a autora ter cedido a entrevista.
    Ainda não li A Lista de Brett, mas sei que o livro agradou vários leitores. Não sabia que a autora também tinha a sua lista.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela é um amor e foi extremamente simpática conosco.O livro é uma graça também e super vale a pena ser lido.

      Excluir
  2. Oi,
    Adorei essa entrevista. Ótimas perguntas!
    Ainda não li esse livro, mais o titulo chamou minha atenção.
    Beijos ♥

    Livros Para o Chá das Cinco

    P.S: Desculpa por dizer isso, sei que é meio chato. Mais era melhor avisar:
    Tem uma palavra errada.
    "Ela -more- em Michigan, com seu marido e o gato, muito mimado, deles."
    Sorry (com vergonha)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ketelyn, não sinta vergonha de nos avisar essas coisas. Errar é humano, acontece com todo mundo e, as vezes, os erros passam. Obrigada por nos informar que estava "more" no lugar de "mora", já arrumamos.

      Excluir
  3. Adorei a entrevista!! :D
    Amei esse livro, adorei o jeito leve da autora escrever e achei a autora uma querida.

    Parabéns meninas!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou do livro e da entrevista Bruna! Obrigada pelos parabéns!

      Excluir
  4. Simplesmente amei a entrevista! A autora me pareceu ser muito inteligente, além de uma simpatia! O Conchego está de parabéns por nos proporcionar esse contato delicioso com a escritora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Deborah!!! Ficamos muito emocionados quando, já no dia seguinte, a autora respondeu ao nosso pedido informando que aceitava nos dar a entrevista. Foi quase que surreal, porque tem autora nacional que não aceita dar entrevista se não pagarmos, mas essa autora com publicalções em 29 línguas diferentes aceitou fazer isso gratuitamente.

      E não apenas isso, ela se dedicou às respostas!!!! Ela se abriu na entrevista. Foi lindo!

      Excluir
    2. E que fique bem claro, nós não pagamos por entrevistas!

      Excluir
  5. Oiii. Nossa, muito bacana a autora ter dado essa entrevista :)
    Eu ainda não li o livro, mas ele está na minha listinha faz um bom tempo, hehehhe
    E ela tem um gato mimado, haha, que lindo. Eu tenho uma gata =D
    Um beijão
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma fofura essa parte do gato, né? Rimos bastante. Não sabemos se é gato ou gata, porque em inglês é cat tanto pra fêmea quanto para macho, mas...

      Sugestão do Blog? Leia logo o livro. Ele é ótimo! Mas leia com atenção, porque apesar de ser um chick-list é cheíssimo de lições de vida que, se vc estiver desatenta, pode deixar passar.

      Excluir
  6. Já deixei minha impressão como leitora e frequentadora do blog, agora volto para falar do efeito dessa entrevista para a escritora Deh Ratton. Nada como um escritor para compreender outro! Acredito que a maioria dos autores têm seus dilemas, e tropeçam neles o tempo inteiro enquanto estão criando uma história. Nesse sentido, todos os conselhos da Lori foram muito valiosos para mim. Mas um em especial, foi diretamente no alvo: o de que devemos escrever aquilo que gostamos de ler. Esse foi muito precioso para mim, pois esse 'sobre o quê' escrever é uma constante em minhas reflexões, e uma questão geradora de diversos conflitos internos, por isso, entesourarei o conselho da autora! Querida autora Lori Nelson, muito obrigada por dividir conosco suas experiências!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Deborah, que legal esse seu comentário! Bom saber que os conselhos que ela deu lhe foram valiosos. Nós também amamos cada um deles.

      Quanto ao seu "sobre o que escrever"... sua primeira opção com Pretérito Imperfeito foi maravilhosa!

      Excluir
  7. Que lindaaa! Adorei a entrevista meninas! Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela é fofa, né? Que autora simpática, gente. Super amamos o contato que tivemos com ela.

      Excluir